Novo

Kelso PC-1170 - História

Kelso PC-1170 - História


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Kelso

Uma cidade no condado de Cowlitz, Wash.

(PC-1170: dp. 295; 1. 174 '; b. 23'; dr. 8 '; s. 20 k .; cpl. 65;
uma. 1 3 ", 1 40 mm., 2 20 mm., 2 rkt., 4 dcp. 2 dct.

PC-1170 foi instalado por Sullivan Dry Dock & Repair Co., Brooklyn, N.Y., 3 de julho de 1943; lançado em 16 de outubro; patrocinado pela Sra. M. McCauley; e comissionado em 21 de fevereiro de 1944; Tenente Burrill. D. Barker, Jr., no comando.

Depois de ser expulso da costa da Flórida, o PO-1170 foi designado para escoltar o serviço de escolta entre Guantánamo, Cuba e Nova York. Protegendo-se contra possíveis ataques de sub-barcos alemães, a compradora fez a viagem Nova York-Cuba 33 vezes de maio de 1943 a junho de 1945. Saindo de Nova York em 18 de junho, ela rumou para o Pacífico para fortalecer o poderio naval naquela guerra inacabada.

Após uma breve estada em San Diego, o PC-1170 seguiu para Pearl Harbor, chegando lá no final de julho. Em 2 de agosto, ela partiu do Havaí para patrulhar as Ilhas Marshall. O veterano subcomprador estava operando em Eniwetok quando a Segunda Guerra Mundial terminou. Transferido para a Fronteira do Mar do Havaí, o PC-1170 pelos próximos 10 anos cumpriu o dever de patrulha e relatou informações meteorológicas no Pacífico Central.

Em 26 de fevereiro de 1955 ela chegou a São Francisco e descomissionou em 8 de agosto de 1955. Enquanto atracada com a Frota da Reserva do Pacífico, ela foi nomeada Kelso em 15 de fevereiro de 1956. Kelso foi excluído da Lista da Marinha em 1 de julho de 1960 e vendido para a Ship Supply Corp. .


História

J. W. Kelso Company, Inc. foi fundada em 1979 por John Kelso e J. H. Wedemeyer. O seu estabelecimento deu continuidade a uma longa tradição da família Kelso de envolvimento na indústria da construção no condado de Galveston, que remonta à virada do século XIX. A rica história inclui a construção de:

  • Galveston Causeway
  • Porções do quebra-mar de Galveston
  • Moody Civic Center
  • First Hutchings Sealy Bank (atualmente Bank of America)
  • Texas Cruise Terminal (uma renovação de um projeto originalmente construído em 1927 por John Kelso & avô # x27s)
  • Renovação do Open Gates Conference Center no campus da University of Texas Medical Branch
  • Centro de Convenções de San Luis
  • Renovação do Open Gates Conference Center no campus da University of Texas Medical Branch
  • Adições à Moody Memorial First United Methodist Church (um projeto originalmente construído em 1969 por John Kelso & # x27s pai)
  • Galveston County Justice Center

A empresa possui uma quantidade significativa de equipamentos de construção e auto-execução grande parte do seu trabalho, incluindo demolição, cravação de estacas, terraplenagem, concreto, carpintaria e acabamento de interiores.

Nossa filosofia na J. W. Kelso é simples - começamos e concluímos cada projeto sabendo que nossa reputação de excelência está em jogo. Nós nos esforçamos para concluir todos os projetos com um proprietário satisfeito e com orgulho do nosso trabalho. Acreditamos firmemente que é esta filosofia que conduz ao nosso sucesso contínuo.

Para cada novo projeto, J. W. Kelso reúne uma equipe de profissionais qualificados de primeira linha, incluindo artesãos de longa data e dedicados membros da equipe interna de desenvolvimento e construção. Esses especialistas conhecem e entendem os critérios de projeto, padrões de construção e materiais de construção. Seu foco é manter uma forte comunicação com o proprietário e o arquiteto para garantir que cada projeto seja da mais alta qualidade quando entregue ao proprietário. É nosso compromisso com nosso cliente que construiu o nome J. W. Kelso nos últimos 39 anos.


Seção 1170 do Código Penal da Califórnia

(a) (1) O Legislativo determina e declara que o propósito da sentença é a segurança pública alcançada por meio de punição, reabilitação e justiça restaurativa. Quando uma sentença inclui o encarceramento, esse propósito é mais bem atendido por termos que sejam proporcionais à seriedade do delito, com previsão de uniformidade nas sentenças de infratores que cometem o mesmo delito em circunstâncias semelhantes.

(2) O Legislativo ainda determina e declara que os programas devem estar disponíveis para os presidiários, incluindo, mas não se limitando a, programas educacionais, de reabilitação e justiça restaurativa que são projetados para promover a mudança de comportamento e preparar todos os infratores elegíveis para uma reentrada bem-sucedida no comunidade. O Legislativo incentiva o desenvolvimento de políticas e programas destinados a educar e reabilitar todos os infratores elegíveis. Ao implementar esta seção, o Departamento de Correções e Reabilitação é incentivado a permitir que todos os presidiários qualificados tenham a oportunidade de se inscrever em programas que promovam o retorno bem-sucedido à comunidade. O Departamento de Correções e Reabilitação é direcionado a estabelecer uma declaração de missão consistente com estes princípios.

(3) Em qualquer caso em que a sentença prescrita por lei para uma pessoa condenada por um crime público é uma pena de prisão na prisão estadual ou um termo de acordo com a subdivisão (h) de qualquer especificação de três períodos de tempo, o tribunal deverá condenar o réu a um dos termos de prisão especificados, a menos que a pessoa condenada receba qualquer outra disposição prevista em lei, incluindo multa, prisão, liberdade condicional ou suspensão da imposição ou execução da sentença ou seja sentenciado de acordo com a subdivisão (b) da Seção 1168 porque ele ou ela cometeu seu crime antes de 1o de julho de 1977. Ao condenar a pessoa condenada, o tribunal deverá aplicar as regras de condenação do Conselho Judicial. O tribunal, a menos que determine a existência de circunstâncias para atenuar a sentença prescrita, também imporá qualquer outra cláusula que seja obrigada por lei a impor como cláusula adicional. Nada neste artigo afetará qualquer disposição de lei que imponha pena de morte, que autorize ou restrinja a concessão de liberdade condicional ou suspenda a execução ou imposição de pena, ou preveja expressamente prisão perpétua na prisão estadual, exceto conforme disposto no parágrafo (2) de subdivisão (d). Em qualquer caso em que o valor do crédito pré-prisão nos termos da Seção 2900.5 ou qualquer outra lei seja igual ou superior a qualquer sentença imposta de acordo com este capítulo, exceto para a parte restante da supervisão obrigatória de acordo com o subparágrafo (B) do parágrafo (5) do subdivisão (h), toda a sentença será considerada cumprida, exceto o período remanescente da fiscalização obrigatória, e o réu não será efetivamente entregue à guarda do secretário ou do administrador correcional do condado. O tribunal deve informar o réu que ele deve cumprir um período aplicável de liberdade condicional, supervisão comunitária pós-liberação ou supervisão obrigatória, e ordenar que o réu se apresente ao escritório de liberdade condicional ou liberdade condicional mais próximo da última residência legal do réu, a menos que Os créditos de custódia equivalem à pena total, incluindo o tempo de confinamento e o período de liberdade condicional, supervisão comunitária pós-libertação ou supervisão obrigatória. A sentença deve ser considerada uma sentença de prisão anterior separada ou uma sentença de prisão em uma prisão de condado sob subdivisão (h) para os fins da Seção 667.5, e uma cópia da sentença e outra documentação necessária deve ser enviada ao secretário.

(b) Quando uma sentença de prisão for imposta e a lei especificar três termos possíveis, a escolha do termo apropriado ficará a critério do tribunal. Pelo menos quatro dias antes da data fixada para a imposição da sentença, qualquer das partes ou a vítima, ou a família da vítima, se a vítima for falecida, podem apresentar uma declaração de agravamento ou atenuação. Ao determinar o prazo apropriado, o tribunal pode considerar o registro do caso, o relatório do oficial de condicional, outros relatórios, incluindo relatórios recebidos de acordo com a Seção 1203.03 e declarações de agravamento ou mitigação apresentadas pela acusação, o réu ou a vítima, ou a família da vítima, se a vítima for falecida, e quaisquer outras provas apresentadas na audiência de condenação. O tribunal deve selecionar o termo que, a seu critério, melhor atenda aos interesses da justiça. O tribunal deverá registrar as razões para a imposição do prazo selecionado e o tribunal não poderá impor um prazo superior usando o fato de qualquer melhoria sobre a qual a sentença seja imposta de acordo com qualquer disposição da lei. A pena de prisão não será especificada se a execução da pena for suspensa.

(c) O tribunal deverá expor as razões para a escolha da sua sentença no registro no momento da sentença. O tribunal também informará o réu que, como parte da sentença após o término do prazo, ele pode estar em liberdade condicional por um período conforme previsto na Seção 3000 ou 3000.08 ou supervisão comunitária pós-libertação por um período conforme previsto na Seção 3451.

(d) (1) Quando um réu sujeito a esta seção ou subdivisão (b) da Seção 1168 foi condenado à prisão na prisão estadual ou na prisão do condado de acordo com a subdivisão (h) e foi entregue à custódia do secretário ou o administrador correcional do condado, o tribunal pode, dentro de 120 dias da data do compromisso por sua própria iniciativa, ou a qualquer momento por recomendação do secretário ou da Junta de Audiências de Liberdade Condicional no caso de presidiários estaduais ou do condado administrador correcional no caso de presidiários de comarca, revogar a sentença e o compromisso previamente ordenados e reenviar o réu da mesma maneira como se ele ou ela não tivesse sido sentenciado anteriormente, desde que a nova sentença, se houver, não seja maior que a inicial frase. O tribunal que reenvia a sentença ao abrigo desta subdivisão deve aplicar as regras de condenação do Conselho Judicial de forma a eliminar a disparidade de sentenças e a promover a uniformidade da sentença. O crédito será dado pelo tempo cumprido.

(2) (A) (i) Quando um réu que tinha menos de 18 anos de idade no momento da prática do crime pelo qual o réu foi condenado à prisão perpétua sem possibilidade de liberdade condicional está encarcerado há pelo menos 15 anos, o réu pode apresentar ao tribunal de condenação uma petição de recall e reenvio.

(ii) Não obstante a cláusula (i), este parágrafo não se aplica aos réus condenados à prisão perpétua por um delito em que foi penhorado e provado que o réu torturou, conforme descrito na Seção 206, sua vítima ou a vítima foi um oficial de segurança pública, incluindo qualquer pessoal de aplicação da lei mencionado no Capítulo 4.5 (começando com a Seção 830) do Título 3, ou qualquer bombeiro conforme descrito na Seção 245.1, bem como qualquer outro oficial em qualquer segmento da aplicação da lei que seja empregado pelo governo federal governo, estado ou qualquer uma de suas subdivisões políticas.

(B) O réu deverá apresentar a petição original ao tribunal de condenação. Uma cópia da petição deverá ser entregue à agência que processou o caso. A petição deve incluir a declaração do réu de que ele ou ela tinha menos de 18 anos de idade no momento do crime e foi condenado à prisão perpétua sem possibilidade de liberdade condicional, a declaração do réu descrevendo seu remorso e trabalho para a reabilitação, e a declaração do réu de que uma das seguintes é verdadeira:

(i) O réu foi condenado por crime de homicídio ou auxílio e cumplicidade nas disposições legais sobre homicídio.

(ii) O réu não tem julgamentos de crime juvenil por agressão ou outros crimes criminais com um potencial significativo de danos pessoais às vítimas antes do crime para o qual a sentença está sendo considerada para revogação.

(iii) O réu cometeu o crime com pelo menos um co-réu adulto.

(iv) O réu praticou atos que tendem a indicar reabilitação ou potencial para reabilitação, incluindo, mas não se limitando a, valer-se de programas de reabilitação, educacionais ou vocacionais, se esses programas estiverem disponíveis em sua classificação nível e facilidade, usando auto-estudo para autoaperfeiçoamento, ou mostrando evidências de remorso.

(C) Se alguma das informações exigidas no subparágrafo (B) estiver faltando na petição, ou se a prova de serviço no órgão de acusação não for fornecida, o tribunal deverá devolver a petição ao réu e avisar o réu de que o assunto não pode ser considerado sem as informações que faltam.

(D) Uma resposta à petição, se houver, deverá ser apresentada ao tribunal dentro de 60 dias a partir da data em que o Ministério Público foi notificado com a petição, a menos que uma continuação seja concedida por justa causa.

(E) Se o tribunal decidir, por preponderância das evidências, que uma ou mais das declarações especificadas nas cláusulas (i) a (iv), inclusive, do subparágrafo (B) é verdadeira, o tribunal deve revogar a sentença e o compromisso anteriormente ordenou e realizou uma audiência para ressentir o arguido da mesma forma como se o arguido não tivesse sido previamente condenado, desde que a nova sentença, se houver, não seja maior do que a sentença inicial. As vítimas, ou familiares da vítima, se a vítima for falecida, mantêm o direito de participar na audiência.

(F) Os fatores que o tribunal pode considerar ao determinar se deve reenviar o réu a uma pena de prisão com a possibilidade de liberdade condicional incluem, mas não estão limitados a, o seguinte:

(i) O réu foi condenado por crime de homicídio ou auxílio e cumplicidade nas disposições legais sobre homicídio.

(ii) O réu não tem julgamentos de crime juvenil por agressão ou outros crimes criminais com um potencial significativo de danos pessoais às vítimas antes do crime pelo qual o réu foi condenado à vida sem a possibilidade de liberdade condicional.

(iii) O réu cometeu o crime com pelo menos um co-réu adulto.

(iv) Antes da infração pela qual o réu foi condenado à prisão perpétua sem possibilidade de liberdade condicional, o réu teve apoio ou supervisão de um adulto insuficiente e sofreu de trauma psicológico ou físico, ou estresse significativo.

(v) O réu sofre de limitações cognitivas devido a doença mental, deficiências de desenvolvimento ou outros fatores que não constituíram uma defesa, mas influenciaram o envolvimento do réu no crime.

(vi) O réu praticou atos que tendem a indicar reabilitação ou potencial para reabilitação, incluindo, mas não se limitando a, valer-se de programas de reabilitação, educacionais ou vocacionais, se esses programas estiverem disponíveis em sua classificação nível e facilidade, usando auto-estudo para autoaperfeiçoamento ou mostrando evidências de remorso.

(vii) O réu manteve laços familiares ou conexões com outras pessoas por meio de cartas, ligações ou visitas, ou eliminou o contato com indivíduos fora da prisão que estão atualmente envolvidos com o crime.

(viii) O réu não teve ações disciplinares por atividades violentas nos últimos cinco anos em que o réu foi declarado o agressor.

(G) O tribunal terá o poder de reenviar o réu da mesma maneira como se o réu não tivesse sido condenado anteriormente, desde que a nova sentença, se houver, não seja maior do que a sentença inicial. O arbítrio do tribunal deve ser exercido levando-se em consideração os critérios do subparágrafo (F). As vítimas, ou familiares da vítima, se a vítima for falecida, serão notificados da audiência de reenvio e manterão os seus direitos de participação na audiência.

(H) Se a sentença não for revogada ou o réu for condenado novamente à prisão perpétua sem a possibilidade de liberdade condicional, o réu pode apresentar outra petição para revogação e reenvio ao tribunal de condenação quando o réu foi entregue à custódia do departamento por pelo menos 20 anos. Se a sentença não for revogada ou o réu for condenado à prisão perpétua sem possibilidade de liberdade condicional nos termos dessa petição, o réu pode apresentar outra petição após ter cumprido 24 anos. A petição final poderá ser apresentada, e a resposta a essa petição será determinada, durante o 25º ano da sentença do réu.

(I) Além dos critérios do subparágrafo (F), o tribunal pode considerar quaisquer outros critérios que o tribunal considere relevantes para sua decisão, desde que o tribunal os identifique no registro, forneça uma declaração das razões para adotá-los, e declara porque o réu cumpre ou não os critérios.

(J) Esta subdivisão terá aplicação retroativa.

(K) Nada neste parágrafo se destina a diminuir ou revogar quaisquer direitos ou recursos de outra forma disponíveis para o réu.

(e) (1) Não obstante qualquer outra lei e consistente com o parágrafo (1) da subdivisão (a), se o secretário ou a Junta de Audiências de Liberdade Condicional ou ambos determinarem que um prisioneiro satisfaz os critérios estabelecidos no parágrafo (2), o o secretário ou o conselho podem recomendar ao tribunal que a sentença do prisioneiro seja revogada.

(2) O tribunal terá o poder de reenviar ou revogar se o tribunal considerar que os fatos descritos nos subparágrafos (A) e (B) ou nos subparágrafos (B) e (C) existem:

(A) O preso está com uma doença terminal com uma condição incurável causada por uma doença ou enfermidade que causaria a morte em seis meses, conforme determinado por um médico empregado pelo departamento.

(B) As condições sob as quais o prisioneiro seria libertado ou receberia tratamento não representam uma ameaça à segurança pública.

(C) O prisioneiro está permanentemente incapacitado do ponto de vista médico com uma condição médica que o torna permanentemente incapaz de realizar atividades básicas da vida diária, e resulta no prisioneiro requerendo atendimento total 24 horas por dia, incluindo, mas não se limitando a, coma, persistente estado vegetativo, morte encefálica, dependência de ventilador, perda de controle da função muscular ou neurológica e que não existia incapacitação na época da sentença original.

A Junta de Audiências de Liberdade Condicional deve tomar decisões de acordo com esta subdivisão antes de fazer uma recomendação de ressentimento ou retirada ao tribunal. Esta subdivisão não se aplica a um preso condenado à morte ou a prisão perpétua sem possibilidade de liberdade condicional.

(3) Dentro de 10 dias após o recebimento de uma recomendação positiva do secretário ou do conselho, o tribunal deve realizar uma audiência para considerar se a sentença do prisioneiro deve ser revogada.

(4) Qualquer médico contratado pelo departamento que determine que um preso tem seis meses ou menos de vida deve notificar o médico-chefe do prognóstico. Se o médico-chefe concordar com o prognóstico, ele ou ela deve notificar o diretor. Dentro de 48 horas após o recebimento da notificação, o diretor ou representante do diretor deve notificar o preso sobre os procedimentos de recall e ressentimento, e deve providenciar para que o preso designe um membro da família ou outro agente externo para ser notificado sobre a condição médica e o prognóstico do preso , e quanto aos procedimentos de recall e reenvio. Se o recluso for considerado mentalmente incapaz, o diretor ou o representante do diretor deve entrar em contato com o contato de emergência do recluso e fornecer as informações descritas no parágrafo (2).

(5) O diretor ou representante do diretor deve fornecer ao preso e seu membro da família, agente ou contato de emergência, conforme descrito no parágrafo (4), informações atualizadas ao longo do processo de recall e reenvio no que diz respeito à condição médica do preso e a situação do processo de retirada e nova sentença do prisioneiro.

(6) Não obstante quaisquer outras disposições desta seção, o prisioneiro ou seu membro da família ou pessoa designada pode, de forma independente, solicitar consideração para recall e reenvio entrando em contato com o oficial médico-chefe da prisão ou com o secretário. Após o recebimento da solicitação, o oficial médico-chefe e o diretor ou representante do diretor devem seguir os procedimentos descritos no parágrafo (4). Se o secretário determinar que o prisioneiro satisfaz os critérios estabelecidos no parágrafo (2), o secretário ou o conselho pode recomendar ao tribunal que a sentença do prisioneiro seja revogada. O secretário deverá apresentar recomendação de libertação no prazo de 30 dias no caso de reclusos condenados a prazo determinado e, no caso de recluso condenado a prazo indeterminado, o secretário deverá fazer recomendação à Mesa de Audiências de Liberdade Condicional em relação aos reclusos que se candidataram nesta seção. O conselho deve considerar esta informação e fazer um julgamento independente de acordo com o parágrafo (2) e fazer as conclusões relacionadas a ele antes de rejeitar o pedido ou fazer uma recomendação ao tribunal. Esta medida será tomada na próxima reunião do conselho legalmente notificada.

(7) Qualquer recomendação de revogação submetida ao tribunal pelo secretário ou pelo Conselho de Audiências de Liberdade Condicional deve incluir uma ou mais avaliações médicas, um plano pós-liberação e conclusões de acordo com o parágrafo (2).

(8) Se possível, o assunto deverá ser ouvido perante o mesmo juiz do tribunal que condenou o prisioneiro.

(9) Se o tribunal conceder o pedido de revogação e reenvio, o preso deve ser libertado pelo departamento dentro de 48 horas após o recebimento da ordem do tribunal, a menos que um período de tempo mais longo seja acordado pelo preso. No momento da libertação, o diretor ou o representante do diretor deve garantir que o prisioneiro tenha cada um dos seguintes itens em sua posse: um resumo médico de alta, registros médicos completos, identificação do estado, liberdade condicional ou medicamentos de supervisão pós-libertação da comunidade e todos os bens pertencente ao prisioneiro. Após a alta, quaisquer registros adicionais devem ser enviados para o endereço de encaminhamento do prisioneiro.

(10) O secretário emitirá uma diretiva para o pessoal médico e correcional contratado pelo departamento que detalha as diretrizes e procedimentos para iniciar um procedimento de recall e reenvio. A diretriz deve declarar claramente que qualquer prisioneiro que receba um prognóstico de seis meses ou menos de vida é elegível para consideração e nova sentença, e que os procedimentos de revogação e nova sentença devem ser iniciados com base nesse prognóstico.

(11) As disposições desta subdivisão estarão disponíveis para um recluso que seja sentenciado a uma prisão de condado de acordo com a subdivisão (h). Para os propósitos desses reclusos, “secretário” ou “diretor” significa o administrador correcional do condado e “oficial médico chefe” significa um médico designado pelo administrador correcional do condado para este propósito.

(f) Não obstante qualquer outra disposição desta seção, para os fins do parágrafo (3) da subdivisão (h), qualquer alegação de que um réu é elegível para prisão estadual devido a uma condenação anterior ou atual, reforço de sentença ou porque ele ou ela é obrigado a registrar-se como um agressor sexual não estará sujeito a demissão de acordo com a Seção 1385.

(g) Uma sentença a prisão estadual por um determinado período para o qual apenas um termo é especificado, é uma sentença a prisão estadual de acordo com esta seção.

(h) (1) Exceto conforme previsto no parágrafo (3), um crime punível de acordo com esta subdivisão, quando o prazo não for especificado no delito subjacente, será punível com uma pena de prisão em uma prisão municipal por 16 meses, ou dois ou três anos.

(2) Exceto conforme disposto no parágrafo (3), um crime punível de acordo com esta subdivisão será punível com prisão em uma prisão de condado pelo período descrito no delito subjacente.

(3) Não obstante os parágrafos (1) e (2), onde o réu (A) tem uma condenação anterior ou atual por um crime grave descrito na subdivisão (c) da Seção 1192.7 ou uma condenação anterior ou atual por um crime violento descrito na subdivisão (c) da Seção 667.5, (B) tem uma condenação por crime anterior em outra jurisdição por um delito que tem todos os elementos de um crime grave descrito na subdivisão (c) da Seção 1192.7 ou um crime violento descrito na subdivisão (c ) da Seção 667.5, (C) deve se registrar como agressor sexual de acordo com o Capítulo 5.5 (começando com a Seção 290) do Título 9 da Parte 1, ou (D) for condenado por um crime e, como parte da sentença, uma intensificação de acordo com a Seção 186.11 for imposta, uma sentença executada por um crime punível de acordo com esta subdivisão será cumprida na prisão estadual.

(4) Nada nesta subdivisão deve ser interpretado para impedir outras disposições autorizadas por lei, incluindo desvio pré-julgamento, adiamento da sentença ou uma ordem de concessão de liberdade condicional de acordo com a Seção 1203.1.

(5) (A) A menos que o tribunal considere que, no interesse da justiça, não é apropriado em um caso particular, o tribunal, ao impor uma sentença nos termos do parágrafo (1) ou (2), deve suspender a execução de um parte final do prazo por um período selecionado a critério do tribunal.

(B) A parte da pena de condenação de um réu que é suspensa nos termos deste parágrafo será conhecida como supervisão obrigatória e, a menos que ordenado de outra forma pelo tribunal, deve começar após a libertação da custódia física ou de um programa de custódia alternativo, o que ocorrer mais tarde. Durante o período de supervisão obrigatória, o réu será supervisionado pelo oficial de condicional do condado de acordo com os termos, condições e procedimentos geralmente aplicáveis ​​às pessoas colocadas em liberdade condicional, para a parte restante não cumprida da sentença imposta pelo tribunal. O período de supervisão é obrigatório e não pode ser encerrado antes, exceto por ordem judicial. Qualquer procedimento para revogar ou modificar a supervisão obrigatória nos termos deste parágrafo será conduzido de acordo com as subdivisões (a) e (b) da Seção 1203.2 ou Seção 1203.3. Durante o período em que o réu estiver sob essa supervisão, a menos que em custódia real relacionada à pena imposta pelo tribunal, o réu terá direito apenas a crédito de tempo real contra a pena de prisão imposta pelo tribunal. Qualquer período de tempo suspenso porque uma pessoa fugiu não será creditado no período de supervisão.

(6) Quando o tribunal está impondo uma sentença de acordo com esta subdivisão simultânea ou consecutiva a uma sentença ou sentenças anteriormente impostas de acordo com esta subdivisão em outro condado ou condados, o tribunal que profere a segunda ou outra sentença subsequente determinará o condado ou condados de encarceramento e fiscalização do arguido.

(7) As alterações de condenação feitas pelo ato que adicionou esta subdivisão serão aplicadas prospectivamente a qualquer pessoa condenada em ou após 1º de outubro de 2011.

(8) As alterações de condenação feitas ao parágrafo (5) pelo ato que adicionou este parágrafo entrarão em vigor e entrarão em vigor em 1º de janeiro de 2015 e serão aplicadas prospectivamente a qualquer pessoa condenada em ou após 1º de janeiro de 2015.

(i) Esta seção permanecerá em vigor apenas até 1o de janeiro de 2022 e, a partir dessa data, será revogada, a menos que uma lei promulgada posteriormente, que foi promulgada antes de 1o de janeiro de 2022, exclua ou prorrogue essa data.

(Alterado (conforme alterado por Stats. 2016, Ch. 887, Sec. 5.3) por Stats. 2017, Ch. 287, Sec. 1. (SB 670) Efetivo em 1º de janeiro de 2018. Revogado a partir de 1º de janeiro de 2022, por suas próprias disposições. Ver a versão operativa posterior, conforme alterada pela Seção 2 das Estatísticas de 2017, Capítulo 287.)


Década de 1940

Al Bagley, chefe da Divisão de Freqüência e Tempo da HP & rsquos, com o HP 524A

Contador de frequência rápido

A HP inventa o contador de frequência de alta velocidade 524A, reduzindo muito o tempo necessário para medir frequências altas. Os contadores de frequência e produtos relacionados serão responsáveis ​​por bilhões em receitas futuras para a HP.

Foto aérea de Palo Alto, 1955

Palo Alto booms

A década de 1950 foi uma época de grande crescimento para a HP e para a cidade de Palo Alto. A população da cidade mais que dobrou durante a década, e os pomares que caracterizaram a cidade no passado foram limpos para dar lugar a rodovias, negócios e escolas. Palo Alto estava a caminho de se tornar o centro de alta tecnologia que é hoje.

Bill Hewlett olha dentro de um osciloscópio

Primeiros osciloscópios da HP

A HP produz seus primeiros osciloscópios, que passarão a representar uma parte significativa da linha de produtos de teste e medição da HP.

HP vai a público

A HP realiza seu IPO em 6 de novembro, com ações sendo vendidas por US $ 16 (EUA). O IPO foi emitido por dois motivos: para ajudar no planejamento patrimonial de seus fundadores e para permitir que os funcionários participassem da empresa.

Funcionários recebem estoque

Todos os funcionários em todos os níveis com seis meses de serviço recebem uma concessão de ações da HP e tornam-se elegíveis para um programa de opção de ações.

HP apresenta objetivos corporativos

A HP apresenta seus objetivos corporativos para capacitar a tomada de decisão descentralizada. Abrangendo sete categorias & # 8212 lucro, clientes, campos de interesse, crescimento, pessoas, gerenciamento e cidadania & # 8212, os princípios ajudam a distinguir a HP do estilo de gerenciamento de cima para baixo da maioria das empresas e servem como base para o HP Way.

Nova sede da HP

A HP começa a fabricar em seu primeiro prédio no Stanford Research Park, em Palo Alto. O novo site foi projetado de forma inovadora para maximizar a criatividade e o conforto dos funcionários.

Grupos de produtos autossustentáveis

A HP estabelece uma estrutura de divisão, com cada grupo de produtos se tornando uma organização autossustentável responsável pelo desenvolvimento, fabricação e comercialização de seus produtos.

As 11 regras simples de Dave

Em 1958, Dave Packard digitou "Regras Simples" em preparação para a convenção anual de gerenciamento da empresa. Descobertas no arquivo de correspondência de Dave & rsquos, essas regras mostram sua filosofia de trabalho e vida.

Bill (segundo da esquerda) com Frances Moseley (direita)

F. L. Moseley Co. adquirida

A primeira aquisição da HP & rsquos, F. L. Moseley Company, produtora de gravadores gráficos de alta qualidade, estabelece a base do negócio de impressão da HP & rsquos.

HP se torna global

A HP se torna global, estabelecendo uma organização de marketing em Genebra e uma fábrica em Boeblingen, Alemanha.


Notas de rodapé

1 William C. Harris, "Blanche K. Bruce of Mississippi: Conservative Assimilationist", em Howard Rabinowitz ed., Líderes negros do sul da era da reconstrução (Urbana: University of Illinois Press, 1982): 30.

1 William C. Harris, "Blanche K. Bruce of Mississippi: Conservative Assimilationist", em Howard Rabinowitz ed., Líderes negros do sul da era da reconstrução (Urbana: University of Illinois Press, 1982): 30.

2 Lawrence Otis Graham, O senador e a socialite: a verdadeira história da primeira dinastia negra da América (Nova York: HarperCollins, 2006): 11 Grace E. Collins, "Blanche Kelso Bruce", em Jessie Carney Smith ed., Homens Negros Americanos Notáveis (Farmington Hills, MI: Gale Research, Inc., 1999): 144 (doravante referido como NBAM).

2 Lawrence Otis Graham, O senador e a socialite: a verdadeira história da primeira dinastia negra da América (Nova York: HarperCollins, 2006): 11 Grace E. Collins, "Blanche Kelso Bruce", em Jessie Carney Smith ed., Homens Negros Americanos Notáveis (Farmington Hills, MI: Gale Research, Inc., 1999): 144 (doravante referido como NBAM).

3 A situação familiar de Bruce era complicada. His half siblings through his mother and Lemuel Bruce included Sandy, Calvin, James, and Henry and a half sister whose name is not known. His full siblings through his mother and Pettis Perkinson included Howard, Edward, Robert, Eliza, and Mary. See Graham, The Senator and the Socialite: 10–11, 16–17.

4 Collins, “Blanche Kelso Bruce,” NBAM: 144.

6 William C. Harris, “Bruce, Blanche Kelso,” American National Biography 3 (New York: Oxford University Press, 1999): 779–780 (hereinafter referred to as ANB).

7 Eric Foner, Freedom’s Lawmakers: A Directory of Black Officeholders During Reconstruction (New York: Oxford University Press, 1993): 29.

8 Collins, “Blanche Kelso Bruce,” NBAM:145.

9 Harris, “Blanche K. Bruce of Mississippi: Conservative Assimilationist”: 11–12.

11 Graham, The Senator and the Socialite: 68–70, 76 quoted in Harris, “Blanche K. Bruce of Mississippi: Conservative Assimilationist”: 20.

12 Pinchback had recently been elected an At–Large Representative from Louisiana, and while his election was being contested, he was elected by the state legislature to fill a vacant U.S. Senate seat. His selection for the Senate seat also was contested. He was rejected by both houses on charges of bribery and corruption. See Eric R. Jackson, “Pinchback, P. B. S.,” ANB 17: 527–529.

13 Congressional Record, Senate, 44th Cong., 1st sess. (31 March 1876): 2101–2105 Graham, The Senator and the Socialite: 80–81.

14 The Navy had long accepted blacks. Predictably, its race record suffered during the Jim Crow decades. Few blacks secured appointments to the Naval Academy at Annapolis, and none matriculated as officers. In the 1880s, black sailors were routinely denied promotions and assigned to perform menial tasks or labor. See David Osher’s essay “Race Relations and War,” The Oxford Companion to American Military History (New York: Oxford University Press, 1999): 585.

15 Congressional Record, Senate, 46th Cong., 3rd sess. (10 February 1881): 1397–1398.

16 See S. 865, 46th Congress, 2nd session.

17 Congressional Record, Senate, 46th Cong., 2nd sess. (7 April 1880): 2195–2196. Bruce was supporting a bill selling federal lands to the Ute Indians in Colorado (S. 1509), which passed and was approved by President Rutherford B. Hayes in the 46th Congress (1879–1881).

18 Harris, “Blanche K. Bruce of Mississippi: Conservative Assimilationist”: 22.

19 Samuel L. Shapiro, “Bruce, Blanche Kelso,” Dictionary of American Negro Biography (New York: Norton, 1982): 74–76 (hereinafter referred to as DANB).

20 Harris, “Blanche K. Bruce of Mississippi: Conservative Assimilationist”: 27, 33. See also Thomas C. Holt, Black Over White:Negro Political Leadership in South Carolina During Reconstruction (Urbana: University of Illinois Press, 1977).

21 Graham, The Senator and the Socialite: 116.

22 Harris, “Blanche K. Bruce of Mississippi: Conservative Assimilationist”: 19.

23 Shapiro, “Bruce, Blanche Kelso,” DANB.

24 Foner, Freedom’s Lawmakers: 30. Bruce’s family continued his legacy of public service and focus on education. Josephine Bruce was the principal of the Tuskegee Institute and was active in the National Federation of Colored Women’s Clubs. Bruce’s son, Roscoe Conkling Bruce, and his grandson, Roscoe Bruce, Jr., graduated with honors from Harvard University. The latter was embroiled in controversy when Harvard’s president refused to admit him into the dormitories in 1923.


Attractions

Challenge Course

Kelso&rsquos Challenge Course is comprised of two main attractions. The Escarpment Walk is an aerial ropes course that will challenge you to test your balance and traverse climbing elements.The Vultures View Climbing Tower provides you with three unique climbing opportunities that will take you more than 45&rsquo in the air. Age, height, and weight restrictions do apply but vary for each feature. Note: the Challenge Course can now be booked for Saturdays and Sundays, 10am-5pm starting June 19 by adding them to your Kelso visit reservation here .

Kelso Mountain Bike School

Kelso is excited to introduce its new Mountain Bike School.

The trails are calling your name. There&rsquos no better time to learn than now.

Kelso&rsquos team of MTB Instructors are here to introduce you to the trails, develop your skills, boost your confidence, guide you on epic rides, and help you become the rider you want to be!

Reservatório

Kelso boasts a variety of activities any time of the year, and the reservoir hosts a multitude of them. You can swim, canoe, or try your hand at stand-up paddle boarding during the warmer months of the year. For those who prefer to stay dry, enjoy a peaceful walk on the board walk around the reservoir. Note: Kelso Beach is open by reservation only. Book under Kelso Main Entrance. Cost to add beach access is $6 per person. Visit duration times may be extended depending on capacity.


GAMEFOWL , MR. SWEATER , 20K KELSO , ROOSTERS , HENS

BRUCE BARNETT LINES , MR. SWEATER PURES AND 20K KELSO PURES. 6 MONTHS OLD , AVAILABLE NOW .
ROOSTERS. $250 , HENS. $150
PAIRS. $350 , TRIOS. $500
PRICES ARE PLUS SHIPPING , CALL FOR SHIPPING QUOTE , FOR BREEDING PURPOSES ONLY.
, LAND LINE , OFFICE
CELL , TEXT

Email Poster

GAMEFOWL , MR. SWEATER , 20K KELSO , ROOSTERS , HENS

BRUCE BARNETT LINES , MR. SWEATER PURES AND 20K KELSO PURES. 6 MONTHS OLD , AVAILABLE NOW . ROOSTERS. $250 , HENS. $150PAIRS. $350 , TRIOS. $500 PRICES ARE PLUS SHI .

Gamefowl sweater good blood line - $120

1 year gamefowl roster sweater. $120 .

Gamefowl - Cardinal club Kelso (rockfish area)

Looking for some good Cardinal Club Kelso's, I got em, I've got 2 pairs available , 2 year old cock & hen, beautiful birds, 225.00 a pair. michael .

Gamefowl sweater golden monkey sweater - $100 (Sanford)

Golden monkey sweater 2 years old I’ll deliver for an additional fee or 20 dollars .

Miner Blue Gamefowl & Kelso Gamefowl - $15 (ELGIN)

I have Juvenile miner blue chicks available and some Juvenile Kelso. Miner blue are $20 each. Kelso are $15 each. Parents pictured. Will send pics of Kelso Rooster. Text if interested. Pickup in Elgin .

Gamefowl McClean Hatch, & Kelso - $100 (Southeast Gridley)

Pure bred gamefowl stags from the following varieties: McClean Hatch (Pérez), Kelso (Ellard). A few extra broodcocks, and hens, also. Quantities negotiable.Hablo español también. .

Gamefowl: Kelso - $125 (Southeast Gridley)

Pure bred gamefowl from YL Kelso (Ellard). A few extra broodcocks, and hens on my ranch southeast of Gridley. Quantities negotiable.Hablo español también. .

Gamefowl Pure Sweater Stags, Roosters, hens, and pullets

Pure Gene Batia Golden monkey SweatersThe rooster in the first couple pictures is the father to the Pure Gene Batia Golden Monkey Sweater Stags I have available ( The father is not for sale!) All different ages. I also have some hens, Pullets and other young Roosters, all are gamefowl and all of .


New California Penal Code 1170.18 (aka Prop 47) makes many theft and drug crimes misdemeanors in California

California recently voted in favor of Prop 47, a law designed to reduce the charges to misdemeanors for certain nonviolent drug and property crimes including theft. Those in favor of the law state that it will help reduce the high number of inmates in jail and state prison and also help avoid a felony record for those who commit simple drug possession and minor theft crimes. This law applies retroactively and is available for anyone with a prior conviction for these offenses to have them made misdemeanors. It does not reinstate firearm rights for those have their charges reduced under this section. There are other sections, which can apply in some cases, which also provide for reduction to a misdemeanor and do return firearm rights.

Misdemeanors instead of felonies

Under previous law, the drug and property crimes that were covered by Prop 47 – (now California Penal Code (PC) 1170.18) were felonies. There are a few limited exceptions where the charges may still be felonies and a complete review of the entire law will provide the details.

A felony conviction in California carries the possibility of incarceration in local jail for up to a year or a much longer state prison sentence. Crimes falling under this law will now be charged as misdemeanors and prior convictions can be changed to misdemeanors. This would make county jail time up to 6 months or a year (depending on the charge) the maximum sentence available instead of state prison, informal probation instead of formal, and a misdemeanor fine or a mix of all three penalties.

More on P.C. 1170.18 (aka Prop 47)

PC 1170.18 prevents felonies from even being charged for certain drug and property crimes such as low-level nonviolent personal use drug possession and theft crimes where the taking does not exceed $950 in value. This applies no matter how many prior theft offenses an individual may have. It is important to note that there are a few exceptions for people with certain very serious “strike” convictions or PC 290(c) serious registerable sex offenses that may still receive a felony charge for these crimes and are not covered by this law. Generally, the new law includes:

  • Misdemeanor charges for any theft valued at $950 or less regardless of theft priors, including shoplifting, receiving stolen property, writing bad checks, check forgery, and some other theft related offenses.
  • Misdemeanor charges for drug possession for personal use of most illegal drugs and including cocaine and heroin (which were non-reducible felonies up to this time) hashish and methamphetamine.

The Attorney General’s office estimated in the proposition that the law would impact about 40,000 individuals accused of these types of crimes annually in addition to those already sentenced. The passage of this law would also allow individuals currently serving time or any sentence for qualifying offenses to have their charges made misdemeanors and be resentenced.

Prior convictions for the enumerated charges can also be changed to misdemeanors for those who have already completed their sentence. There is a deadline for filing for the reduction or resentencing. Petitions or applications for reduction or resentencing must be filed within 3 years of November 5, 2014 or there must be “good cause” as to why it was not done in order to benefit from this law. This allows individuals to have their criminal record changed to reflect a misdemeanor conviction instead of a felony. This helps greatly with such things as employability.

A Court does have some discretion to not change the charge to a misdemeanor and resentence where a defendant is still serving a sentence and it appears likely he or she will commit a new violent felony and finds an “unreasonable public safety risk” exists.

The law is estimated to result in the potential release of 10,000 individuals in the state of California who were charged as felons for nonviolent crimes. The law requires those currently serving time for these crimes receive a misdemeanor and be resentenced in most cases, thereby resulting in their release from custody unless there is something else holding them in custody.

In addition to giving these individuals an opportunity to restart their lives by no longer having a felony record, the law will likely also translate to a savings to the state in the “high hundreds of millions of dollars annually,” according to the official voter information guide.

Legal counsel can help

Whether currently serving time for a qualifying crime, recently charged or having completed a sentence for an eligible offense, it is wise for those who are charged or have been convicted of these drug and theft related crimes to seek the counsel of an experienced criminal defense lawyers near me to understand the law, qualifications and the filing requirements to accomplish the reduction. This law is retroactive but is not automatically applied, it only will happen for those who file the appropriate paperwork and follow the legal procedures which the Courts are developing at this time to get the misdemeanor.


KELSO Collies

Our Foundation -- The Girls

CH Pickwick Christmas Morning CDX, PT, VX, ROM-P "Banana"
(Asgard Absolutely x Pickwick Crystal of Left Bank)

Dam of: Ch Kelso's Rapid Pulse HSAs CDX VX (sire: Ch Foxbride McLaughlin ROM)
Kelso's Good Grief HS, pointed (sire: Ch Tartanside Wayside Wager)

CH Hawkeire Kelso's Custum Jeans CD "Marble"
(Ch Starr's Tailor-Made ROM x Ch Starr's Denim and Diamonds)

Dam of: near Ch Kelso's Fashion Statement (Sire: Ch Sealore's Grand Applause ROM)
Ch Fleetwood Powder Blue Kelso
Daydream-Kelso Pocket Change NA, HT, CGC

near Ch Kelso's Fashion Statement
12 pts, one major, "Blueberry"
(Ch Sealore's Grand Applause x
Ch Hawkeire Kelso's Custum Jeans CD)


Dam of: Ch Signet-Kelso's Comedy Central (sire: Ch Barksdale Beneficiary ROM)
Ch Signet's Double Stuff Best Puppy CCA 2004 (sire: Ch Signet's Twice As Nice ROM)
Ch Signet's Dream Weaver CGC, HIC (sire: Ch Barksdale Beneficiary ROM)
Ch Kelso's Dollie of Woodwynd CD (sire: Ch Signet's Twice As Nice ROM)
Kelso's Brody for Fido's RA Fido's For Freedom Service Dog (sire: Ch Signet's Twice As Nice ROM)

Kelso's Dancin' With Joy HXAs "Cavy"
(Ch Millknock Walkin' On Coals HT, ROM-P x Kelso's Good Grief HS)

#1 Herding Collie 2004, numerous High In Trial
Dam of: BIS, BISS GCh Kelso's Moon Dancin' HSAs RE VA ROM-P
Ch Kelso's Jumpin the Moon HXAs HSBs RE VX


CH Kelso's Heart Throb (shown in center) "Surge"

Kelso's Good Grief HS, ptd.
(Ch Tartanside Wayside Wager x
Ch Pickwick's Christmas Morning CDX PT ROM-P)

Our History and Foundation. The Boys

CH Kelso's Rapid Pulse HXAs, CD, VX "Doc"
(Ch Foxbride McLaughlin ROM x Ch Kelso's Christmas Morning CDX,PT,VX, ROM-P)

Sire of: Ch Kelso-Sunbriar's Heart Throb CD, CGC (dam: Ch Sunbriar Swing CD,HS,HIAd,HIBd,NA,NAJ)
Ch Kelso's Staccato HSAs, OAP, NJP (dam: Ch. Sunbriar Swingtime PT)


Author: Paul Wallin

Paul Wallin is one of the most highly respected attorneys in Southern California. His vast experience, zealous advocacy for his clients and extensive knowledge of many areas of the law make Mr. Wallin a premiere Southern California attorney. Mr. Wallin founded Wallin & Klarich in 1981. As the senior partner of Wallin & Klarich, Mr. Wallin has been successfully representing clients for more than 30 years. Clients come to him for help in matters involving assault and battery, drug crimes, juvenile crimes, theft, manslaughter, sex offenses, murder, violent crimes, misdemeanors and felonies. Mr. Wallin also helps clients with family law matters such as divorce and child custody. View all posts by Paul Wallin


Assista o vídeo: Kelso vs round head (Outubro 2022).

Video, Sitemap-Video, Sitemap-Videos