Novo

7 figuras históricas que você não sabia que eram inventores

7 figuras históricas que você não sabia que eram inventores


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

1. Abraham Lincoln

Thomas Jefferson geralmente é creditado como o inventor-chefe da América, mas Abraham Lincoln é o único presidente a possuir uma patente dos EUA. Em 1849, logo após o fim de seu mandato solitário como congressista dos EUA, o Grande Emancipador recebeu a patente norte-americana nº 6.469 para um dispositivo para "Embarcações de flutuação sobre cardumes". Lincoln teve a ideia um ano antes, depois de observar tripulantes tentando libertar um barco a vapor que encalhou no rio Detroit. Ao voltar para casa em Illinois, ele traçou planos para um par de câmaras de ar flutuantes que poderiam ser fixadas nas laterais de um barco e usadas para içar o navio sobre seções rasas do rio. Lincoln passou várias semanas escrevendo uma descrição do dispositivo e até construiu um modelo em escala de madeira, mas embora tenha recebido sua patente, a invenção nunca foi posta em uso.

LEIA MAIS: O terrível julgamento de assassinato que ajudou a aumentar o perfil nacional de Abraham Lincoln

2. Albert Einstein

É difícil imaginar o gênio por trás da Teoria da Relatividade mexendo em algo tão mundano como um eletrodoméstico, mas Albert Einstein fez exatamente isso em 1926, quando começou a colaborar no projeto de uma geladeira. Einstein se inspirou para fazer o dispositivo depois de ler uma notícia sobre uma família de Berlim que foi morta por gases venenosos vazando de sua geladeira. Junto com seu colega físico Leo Szilard, ele desenvolveu uma geladeira de absorção mais segura que não usava peças móveis ou eletricidade. Em vez disso, ele empregou uma pequena fonte de calor e um coquetel de amônia, butano e água para criar uma reação química de resfriamento. Einstein e Szilard receberam a patente de seu refrigerador em 1930. Embora tenha sido amplamente ignorado durante suas vidas, pesquisas recentes sugerem que refrigeradores semelhantes podem ser uma alternativa ecológica aos refrigeradores modernos que usam freon.

LEIA MAIS: 9 coisas que você pode não saber sobre Albert Einstein

3. Thomas Paine

No final da década de 1780, alguns anos depois de ajudar a alimentar a Revolução Americana com panfletos como “Common Sense”, o escritor e filósofo político Thomas Paine finalmente encontrou tempo para perseguir sua paixão pela inovação científica. Ele experimentou uma vela sem fumaça, os primeiros motores a vapor e uma roda concêntrica, e conduziu uma investigação sobre as causas da febre amarela. Ainda assim, ele estava muito animado com a perspectiva de construir pontes de ferro. “O método europeu de arquitetura de pontes, por pilares e arcos, não é adaptado a muitos rios da América por causa do gelo no inverno”, argumentou ele em uma carta de 1786 a Benjamin Franklin. Com isso em mente, Paine traçou planos para uma ponte de ferro em arco único que empregava uma estrutura de suporte de treliça modelada a partir de uma teia de aranha. Ele patenteou o projeto e o promoveu incansavelmente em ambos os lados do Atlântico, mas propôs pontes sobre o rio Schuylkill da Filadélfia, o Tâmisa em Londres e o Sena em Paris, todos falharam em se materializar. O mais próximo que Paine chegou de construir um foi em 1797, quando elementos de um de seus protótipos foram incorporados a uma ponte sobre River Wear, na Inglaterra.

4. Roald Dahl

Embora mais conhecido como autor de livros infantis, como Charlie e a fabrica de chocolate e James e o pêssego gigante, Roald Dahl viveu uma vida variada, que também incluiu passagens como um ás do lutador da Segunda Guerra Mundial, um agente da inteligência britânica e - no início dos anos 1960 - um pioneiro em novas tecnologias neurocirúrgicas. O interesse de Dahl pela medicina surgiu depois que um acidente de carro deixou seu filho de quatro meses com hidrocefalia, ou "água no cérebro". Determinado a aliviar o sofrimento de seu filho, o escritor se juntou ao neurocirurgião pediátrico Kenneth Till e ao fabricante de brinquedos e engenheiro hidráulico Stanley Wade no desenvolvimento de um dispositivo para drenar fluidos do cérebro de forma mais eficaz. O resultado foi a válvula Wade-Dahl-Till, um tipo de shunt cerebral mais barato, mais fácil de esterilizar e menos sujeito a bloqueios do que as unidades anteriores. A condição do filho de Dahl havia melhorado na época em que o dispositivo foi colocado em produção em 1962, mas as válvulas foram posteriormente usadas para tratar cerca de 3.000 crianças em todo o mundo.

LEIA MAIS: Quando Roald Dahl espiou nos Estados Unidos

5. Hedy Lamarr

Hedwig Eva Maria Kiesler - mais conhecida por seu nome artístico Hedy Lamarr - se tornou uma lenda do cinema nos anos 1930 e 40 por estrelar filmes de Hollywood como Argel, Camarada X e Samson e Delilah. Mas, embora a atriz nascida em Viena fosse frequentemente apelidada de “a mulher mais bonita do mundo”, ela também possuía uma mente afiada que usava como inventora. Na década de 1940, ela se juntou ao compositor de vanguarda George Antheil no pioneirismo de um novo método de "salto de frequência", uma técnica para disfarçar transmissões de rádio fazendo o sinal saltar entre diferentes canais em um padrão previamente combinado. Lamarr desenvolveu seu "Sistema de Comunicações Secretas" como uma ferramenta potencial de orientação para torpedos Aliados na Segunda Guerra Mundial, mas a Marinha dos Estados Unidos ignorou a tecnologia depois que ela entregou sua patente em 1942. Outros inventores posteriormente expandiram suas ideias inovadoras, no entanto, e semelhantes Os sistemas de “espalhamento espectral” agora são usados ​​em tudo, desde satélites de comunicação até telefones celulares.

ASSISTA: A atriz de Hollywood que inventou o WiFi

6. Harry Houdini

O mestre mágico por trás do “leite pode escapar” e da “Célula de Tortura da Água Chinesa” fez carreira livrando-se de situações difíceis. Em 1917, ele colocou seu conhecimento único em uso ao patentear um novo tipo de roupa de mergulho de alto mar que poderia ser facilmente removido se um defeito subaquático obrigasse o usuário a retornar à superfície. O segredo do traje era que ele era feito de duas seções interligadas em vez de apenas uma peça. Além de permitir que o usuário entrasse no equipamento sem a ajuda de uma segunda pessoa, o design garantiu que eles pudessem puxar uma alavanca perto de sua cintura, se contorcer para fora do traje e fazer uma fuga ao estilo Houdini no caso de qualquer perigo. Houdini ficou parcialmente inspirado a fazer o traje depois que um amigo próximo se afogou em um acidente de mergulho na Austrália, mas também foi motivado por seu apoio aos militares americanos na Primeira Guerra Mundial. Depois de concluir a invenção, ele supostamente doou para a Marinha dos Estados Unidos .

LEIA MAIS: O que matou Harry Houdini?

7. Charles Lindbergh

O homem conhecido como “Lone Eagle” se tornou um ícone da aviação em seu voo solo de 1927 entre Nova York e Paris, mas também deu uma contribuição improvável para a biomecânica. Depois que sua cunhada lutou contra uma doença cardíaca no início dos anos 1930, Lindbergh - que sempre teve um fascínio pela ciência - ponderou a ideia de uma máquina que manteria os órgãos funcionando por tempo suficiente para serem reparados fora do corpo. “Por que uma parte do corpo não poderia ser mantida viva indefinidamente se um coração mecânico estivesse ligado a ela?” ele meditou. A obsessão de Lindbergh com a ideia o levou a firmar uma parceria com o cirurgião ganhador do Prêmio Nobel Alexis Carrel. Juntos, os dois homens passaram vários anos aperfeiçoando uma bomba de perfusão de vidro que era capaz de circular um fluido estéril e rico em nutrientes através dos órgãos para mantê-los vivos fora do corpo. O dispositivo ajudou a pavimentar o caminho para a criação dos primeiros corações artificiais e, embora amplamente esquecido hoje, ganhou o tímido publicitário Lindbergh montes de elogios de seus contemporâneos. Carrel foi até citado como tendo dito que o legado médico do aviador seria "tão ilustre quanto o da aviação".

ASSISTA: Assembléia exigida com Tim Allen e Richard Karn estreia na terça-feira, 23 de fevereiro às 10 / 9c em HISTÓRIA. Assista a uma prévia agora.


Políticos históricos que você não sabia eram também inventores

Faz todo o sentido que algumas das maiores figuras políticas da história americana também tenham sido excelentes em muitas outras coisas. Os presidentes George Washington e Andrew Jackson, por exemplo, foram líderes militares talentosos. O governador e depois o presidente Ronald Reagan, por sua vez, foi um notável ator de tela.

Portanto, talvez não deva ser tão surpreendente que alguns dos políticos mais famosos tenham um talento especial para inventar. Por exemplo, você tem a bengala bem-intencionada, mas estranha, do presidente James Madison, com um microscópio embutido. George Washington, por sua vez, também tentou inventar um arado perfurador e até mesmo elaborou planos para um celeiro de 15 lados enquanto era fazendeiro. Aqui estão alguns outros.


10 Christopher CockerellO Hovercraft

Christopher Cockerell ficou interessado na ideia do hovercraft depois que os cientistas descobriram que um protótipo básico poderia flutuar com uma almofada de ar dentro dele. O problema é que o ar escapou rapidamente pelas laterais.

Cockerell demonstrou que um & ldquowall & rdquo de ar poderia resolver esse problema prendendo todo o ar. Ele conduziu um experimento no qual encaixou uma lata de comida de gato dentro de uma lata de café e, em seguida, bombeou o ar de um aspirador de pó entre eles. [1]

Em 1955, ele patenteou sua ideia. Quatro anos depois, seu teste de hovercraft foi bem-sucedido depois que ele viajou ao longo da costa sul da Inglaterra. Sua invenção é especialmente útil em países onde existem estradas e trilhos de trem desgastados. Isso dá às pessoas a oportunidade de viajar por diferentes paisagens, como rios e desertos.


Biografias de inventores famosos e fatos sobre invenções famosas

Cientistas negros e inventores: Leia sobre cientistas e inventores que fizeram contribuições significativas para a vida americana.

Aprendizagem Encantada - Inventores e Invenções Afro-Americanas: Lista todas as invenções que cada inventor contribuiu para a sociedade

Famosos inventores negros: uma introdução a apenas alguns dos muitos inventores afro-americanos modernos, bem como às biografias de seus predecessores ao longo da história americana.

Cronologia de Invenções Famosas

Cronograma de invenções famosas: lista alfabética de invenções, o inventor e a data da invenção

Biografias de mulheres inventoras famosas

Mulheres inventoras de A a Z: Saiba mais sobre mulheres inventoras famosas do passado e do presente. Nome da invenção incluída

Fatos importantes sobre patentes

A Patent - by wikipedia: Descrição completa do que é uma patente, bem como informações sobre o histórico de patentes, custos de patentes e MAIS

Patentes online grátis: fornece acesso rápido e gratuito a todas as patentes e pedidos de patentes dos EUA, dados europeus parciais, download de PDF gratuito, recursos de conta gratuitos

Páginas infantis de patentes e marcas registradas nos EUA: site informativo sobre patentes, marcas registradas e inventores

Biografias de Fatos de inventores famosos sobre invenções famosas

Inventores Famosos A-Z: Encontre qualquer inventor! Uma história de inventores famosos do passado e do presente com uma descrição completa de sua invenção

FamousInventors.org: biografias detalhadas de centenas de inventores famosos

Inventores esquecidos: da PBS - Fatos e informações sobre invenções que as pessoas não pensam

History.com: Invenções e inventores: O nome do inventor, bem como o que ele inventou E links para descrever melhor o inventor. VÍDEOS incluídos

Inventor Hall of Fame: banco de dados de pesquisa pelo inventor, a invenção ou a década: uma breve biografia do inventor de cada um e uma descrição do impacto que a invenção do inventor teve na sociedade

Fatos sobre invenções famosas

Aprendizagem encantada: invenções e invenções de inventores listadas em ordem alfabética

Vídeo: 0:36 / 27:55 Invenções e inventores famosos: uma lista da invenção, o inventor, o local e a data da invenção

Vídeo: História de brinquedos e jogos: como alguns brinquedos foram inventados, como outros receberam seus nomes e curiosidades para desfrutar.

Como funciona o material: invenções: invenções e links para mais informações sobre as invenções

Categorias de invenções: Invenções listadas por categoria (ou seja, comida e bebida, brinquedos e jogos, etc.): Lista a invenção, o inventor, o ano e fatos completos sobre o inventor e a invenção

Mitos da invenção: A verdade sobre 10 invenções famosas

Fatos interessantes sobre a história de inventores e invenções famosas

* Os afro-americanos, alguns dos quais estão entre os dez maiores inventores afro-americanos de todos os tempos, inventaram alguns dispositivos importantes.

* Biography.com lista o que eles acreditam ser a lista dos dez maiores inventores de todos os tempos.

* A Enciclopédia Britânica criou uma lista para As Maiores Invenções de Todos os Tempos, que inclui o nome e a descrição da invenção, o ano em que foi inventada, o país em que o inventor viveu e o nome do inventor.

* A revista Popular Mechanics criou sua lista das 50 melhores invenções de todos os tempos.


Arquivo Hulton / Stringer / Imagens Getty

Herman Hollerith inventou um sistema de máquina de tabulação de cartão perfurado para computação estatística. O grande avanço de Herman Hollerith foi o uso da eletricidade para ler, contar e classificar cartões perfurados cujos buracos representavam os dados coletados pelos recenseadores. Suas máquinas foram usadas para o censo de 1890 e realizadas em um ano o que levaria quase 10 anos de tabulação manual.


7 da História & # 8217s Os Cientistas Mais Brilhantes que as Pessoas Esquecem de Ser Católicos

Domínio público, Wikipedia / Domínio público, Wikipedia / Hugo Iltis, Wikimedia Commons, CC BY 4.0

Da próxima vez que alguém acusar a Igreja de desencorajar a exploração intelectual que poderia beneficiar a humanidade, seria bom trazer os seguintes pensadores para apoiar a discussão:

1) Louis Pasteur & # 8211 Inventor da Pasteurização

Louis Pasteur, inventor do processo de pasteurização (um dos maiores avanços para a prevenção de doenças), certa vez estava rezando o Rosário em um trem quando um jovem criticou sua devoção como uma manifestação de ignorância científica. Pasteur simplesmente teve que se apresentar para dissipar essa falsa acusação de superstição.

Apócrifa ou não, a anedota é confirmada pelas muitas citações de Pasteur a favor da vida de fé:

“Um pouco de ciência te afasta de Deus, mas muita ciência te leva de volta a Ele ... Questione suas prioridades frequentemente, certifique-se de que Deus sempre esteja em primeiro lugar ... Um dia a posteridade rirá da loucura sublime da filosofia materialista moderna. Quanto mais estudo a natureza, mais fico maravilhado com a obra do Criador.

& # 8220 Rezo enquanto trabalho no laboratório ... Bendito seja aquele que traz em si um Deus, um ideal, e que o obedece: ideal da arte, ideal da ciência, ideal das virtudes do evangelho, aí estão as fontes de grandes pensamentos e grandes ações, todos eles refletem a luz do Infinito ... Não se deixe contaminar por um ceticismo estéril ... Se eu pudesse saber tudo, teria a fé de uma camponesa bretã. ”

2) Gregor Mendel & # 8211 Pai da Genética

O monge agostiniano e pioneiro da genética, Gregor Mendel, calculou as chances de herança no jardim de seu mosteiro. Em um sermão alemão, ele pregou a seguinte homilia, entrelaçando perfeitamente a interpretação bíblica com suas investigações científicas:

“Jesus apareceu aos discípulos depois da Ressurreição em várias formas. Ele apareceu a Maria Madalena para que o considerassem jardineiro. Muito engenhosamente, essas manifestações de Jesus são difíceis de penetrar em nossas mentes. Ele aparece como um jardineiro. O jardineiro planta mudas em solo preparado. O solo deve exercer uma influência física e química para que a semente da planta possa crescer. No entanto, isso não é suficiente. O calor e a luz do sol devem ser adicionados, junto com a chuva, para que o crescimento possa resultar.

& # 8220A semente da vida sobrenatural, da graça santificadora, purifica do pecado, preparando assim a alma do homem, e o homem deve procurar preservar esta vida por meio de suas boas obras. Ele ainda precisa do alimento sobrenatural, o corpo do Senhor, que recebeu continuamente, se desenvolve e leva à plenitude da vida. Portanto, natural e sobrenatural devem se unir para a realização da santidade para o povo. O homem deve contribuir com seu trabalho mínimo de labuta, e Deus dá o crescimento.

& # 8220Verdadeiramente, a semente, o talento, a graça de Deus está aí, e o homem simplesmente tem que trabalhar, pegar as sementes para levá-las aos banqueiros. De modo que nós 'pode ter vida, e abundantemente.’”

3) St. Giuseppe Moscati & # 8211 Pioneiro no Tratamento da Diabetes com Insulina

O Dr. Moscati foi um dos primeiros médicos a usar insulina no tratamento do diabetes, mas seus profundos dons intelectuais estiveram sempre a serviço de uma crença ainda mais profunda no poder de cura do Divino, como esta citação mostra:

“Apenas uma ciência é inabalável e inabalável, aquela revelada por Deus, a ciência do além! Em todas as suas obras, olhe para o Céu, para a eternidade da vida e da alma, e oriente-se então de maneira muito diferente da forma que as considerações meramente humanas podem sugerir, e sua atividade será inspirada para o bem. ”

4) Louis de Broglie & # 8211 Vencedor do Prêmio Nobel de Mecânica Quântica

O católico devoto Henri de Broglie ganhou o Prêmio Nobel por sua conquista histórica no reino da mecânica quântica com a equação onda-partícula que leva seu nome. Dada a sua piedade, ele atribuiu a viagem de descoberta a um desejo de conhecer e servir:

“A própria ciência, seja a busca da verdade ou apenas a necessidade de obter controle sobre o mundo externo, para aliviar o sofrimento, ou para prolongar a vida, é, em última análise, uma questão de sentimento, ou melhor, de desejo - o desejo de saber, ou o desejo de realizar. ”

5) Fr. Georges Lemaître & # 8211 Pai da Teoria do Big Bang

Fr. Georges Lemaître, um padre católico romano e professor de física em Leuven, gerou o que veio a ser chamado de Teoria do Big Bang. Quanto à rivalidade perene entre razão e religião, ele afirma:

“Uma vez que você percebe que a Bíblia não pretende ser um livro de ciências, a velha controvérsia entre religião e ciência desaparece ...

& # 8220A doutrina da Trindade é muito mais abstrusa do que qualquer coisa na relatividade ou na mecânica quântica, mas, sendo necessária para a salvação, a doutrina é declarada na Bíblia. Se a teoria da relatividade também fosse necessária para a salvação, ela teria sido revelada a São Paulo ou a Moisés. ”

6) Jerome Lejeune & # 8211 Descoberta a causa da síndrome de Down

O médico Jerome Lejeune descobriu a trissomia do 21, o defeito genético que causa a síndrome de Down. Enquanto ele trabalhava com a intenção de encontrar uma cura, ele lamentou o uso generalizado de sua descoberta em testes pré-natais para aborto. Sua postura pró-vida pode ter lhe custado um Prêmio Nobel, mas São João Paulo II o nomeou como o primeiro presidente da Pontifícia Academia da Vida.

Com sua causa de canonização aberta em Roma, a eloqüência de Lejeune em defesa da vida merece tanta consideração hoje como antes:

“A genética humana pode ser resumida neste credo básico: No início está a mensagem, e a mensagem está na vida, e a mensagem é vida. E se a mensagem é uma mensagem humana, então a vida é uma vida humana ...

& # 8220Os inimigos da vida sabem que, para destruir a civilização cristã, eles devem primeiro destruir a família em seu ponto mais fraco: a criança. E entre os mais fracos, eles devem escolher o menos protegido de todos - a criança que nunca foi vista, a criança que ainda não é conhecida ou amada no sentido usual da palavra, que ainda não viu a luz do dia, que nem mesmo pode grite de angústia. "

7) Galileo Galilei & # 8211 Pai da Astronomia Moderna

Sim, o polímata da Renascença Galileu Galilei foi posto em prisão domiciliar por declarar suas teorias solares como fato indiscutível. Mas São Roberto Belarmino foi receptivo às inovadoras descobertas do gênio.

E, no entanto, Galileu permaneceu um católico praticante até o dia de sua morte. Sua própria filha tornou-se freira. Seu testemunho pessoal não entraria em conflito com esta avaliação:

“A Bíblia mostra o caminho para ir para o céu, não o caminho que os céus vão ... Dou infinitas graças a Deus, que se agradou em fazer de mim o primeiro observador de coisas maravilhosas ... Não me sinto obrigado a acreditar que o mesmo Deus que nos dotou de bom senso, razão e intelecto, pretendeu que abríssemos mão de seu uso ”.

Logo, da genética básica à física interplanetária, a Igreja coletivamente fez mais contribuições para o conhecimento sobre o nosso universo do que qualquer outra entidade na história. A ladainha de estudiosos fiéis continua e continua!

Você ama o ChurchPOP?

Receba nosso conteúdo inspirador entregue em sua caixa de entrada - GRÁTIS!

Como parte deste serviço gratuito, você pode receber ofertas ocasionais de nós no EWTN News e no EWTN. Não alugaremos ou venderemos suas informações e você pode cancelar a assinatura a qualquer momento.


2 Stephen Foster, o Pai da Música Americana

Existem algumas músicas que você acabou de saber. Se de alguma forma forçamos vocês a cantarolar uma melodia agora, é provável que muitos de vocês usem algo como "Oh! Susanna":

Ou "Corridas de Camptown" (você sabe, aquele que diz "doo-da, doo-da"):

Ou talvez algo mais nostálgico, como "Velhos em casa":

Cara, você pode imaginar se todas essas canções tivessem sido escritas pelo mesmo cara, e ele estivesse ativamente tentando ganhar dinheiro com elas? Esse cara seria mais rico do que Madonna e Bono juntos.

Na verdade, todas essas músicas e muito mais estavam escrito pela mesma pessoa, e ele fez tente lucrar com eles - a palavra-chave é "experimentar".

Em 1800, Stephen Foster escreveu clássicos como "My Old Kentucky Home" e "Beautiful Dreamer" e mais de 200 outras canções. Foster foi um compositor profissional antes deles existirem. Sério: a profissão literalmente não existia antes de Foster a abrir como um filho da puta.

Claro, o problema de ser o primeiro em sua profissão era que não existiam coisas como "fazer valer os direitos autorais" ou "não atrapalhar os compositores" naquela época. Hoje, Foster teria ganhado quantias obscenas de dinheiro apenas com "Oh! Susanna", mas em 1848, ele recebeu exatamente $ 100 pelos direitos de publicar a partitura, enquanto a editora ganhou $ 10.000 vendendo seu trabalho.

Mesmo quando Foster se tornou uma celebridade secundária, ele continuou recebendo nada além de alguns centavos para cada cópia de seu trabalho que era vendida. Por suas dezenas de canções de sucesso, ele viu cerca de US $ 15.000 em royalties em toda a sua vida. Na década de 1860, ele foi dispensado por sua esposa, que provavelmente se cansou de ficar com um cara que escreveu como uma estrela do rock, e bebido como uma estrela do rock, mas não era rico como um. Ele morreu aos 37 anos após bater a cabeça em uma pia, com cerca de 40 centavos no bolso.

Suas contribuições não podem ser exageradas. Ele não apenas criou a maioria das convenções de composição popular como as conhecemos hoje, mas também demonstrou a necessidade de leis de propriedade intelectual sendo repetidamente lixado.

Relacionado: Os pensamentos de um franco-americano sobre 'Emily em Paris'


11 gênios famosos da história que eram realmente muito, muito loucos

Existe uma linha muito tênue que separa os gênios dos malucos. Quero dizer, você tem que estar um pouco louco para ter a autoconfiança para perseguir sua paixão, mesmo quando o mundo inteiro chama sua invenção / descoberta de totalmente falsa. Cada gênio foi e é louco à sua maneira, alguns mais do que outros. Esta é uma lista deles.

1. Charlie Chaplin

Artista fantástico e animador por excelência, os seus filmes mudos continuam a ser falados pelos amantes do cinema em todo o mundo. Mas ele era um pouco estranho. Ok, muito estranho. Ele odiava crianças, mas essa não é a parte maluca - até eu odeio crianças. Aqui está a loucura - ele costumava jogar tortas de creme em mulheres nuas. Alguns o chamam de o inventor do "sofá de elenco". Ele faria um "teste" de atrizes, fazendo-as se despir. Ele os acariciava com mímica antes de jogar tortas de creme neles. Não há por que isso.

2. Pitágoras

Lembra do teorema de Pitágoras da escola? Esse é aquele cara. Reverenciado como um matemático e cientista famoso, muitos não sabem que ele realmente começou sua própria religião - o pitagorismo. Alguns dos mandamentos do pitagorismo, entretanto, eram um pouco estranhos, como - "Não coma feijão em hipótese alguma", "Não ande nas estradas" e "Não pise em uma barra transversal". Não admira que o pitagorismo não tenha ganhado popularidade ao longo do caminho.

3. Nikola Tesla

Todo mundo sabe o gênio que Tesla foi e como, embora ele fosse um verdadeiro visionário, ele nunca recebeu o que merecia do mundo. Mas Tesla também estava completamente louco. Ele tinha um caso grave de transtorno obsessivo-compulsivo. Ele era um germófobo que se recusava a tocar em qualquer coisa um pouco suja ou redonda. Ele também estava apaixonado pelo número 3. Ele dava três voltas no quarteirão antes de entrar no prédio. Ele só ficaria em um quarto de hotel divisível por 3. Ele exigiria 18 guardanapos para cada refeição - 3 pilhas de 6. Engraçado, depois de construir um oscilador de alta frequência, ele convidou Mark Twain porque estava tendo problemas com seus movimentos intestinais. Ele disse a Twain para ficar na máquina. Não levou mais de 90 segundos para Twain correr para o banheiro. Nikolai disse mais tarde que sacudiu o cocô de Mark Twain.

4. Ben Franklin

Um dos fundadores dos Estados Unidos e autor entre uma série de outras coisas importantes, Ben Franklin era um cara muito inteligente, sem dúvida. Ele também tinha um fetiche bastante estranho, se você pode chamá-lo assim. Ele amava GILFs. Para quem não sabe o que isso significa, ele adorava fazer sexo com mulheres velhas (muito velhas). Falando sobre seu gosto estranho, ele escreveu uma vez: "Em todos os seus amores, você deve preferir mulheres velhas a jovens. Porque não há perigo de filhos. Que produzidos irregularmente podem ser atendidos com muitos inconvenientes. Porque, através de mais experiência, eles são mais prudentes e discretos na condução de uma intriga para evitar suspeitas. e por último eles são muito gratos. (sic.) "Ei, o que quer que te chateia, certo?

5. Michelangelo

Michelangelo é o mais conhecido e indiscutivelmente o maior artista de todos os tempos. Mas ele não era conhecido por ser muito higiênico. Ele até ia para a cama com suas roupas e botas. Seu assistente disse que às vezes ele ficava tanto tempo sem tirar as botas que sua pele saía com as botas. Como pele de cobra. Com licença, enquanto levo um momento para vomitar aqui.

6. James Watson

Youtube / World Science Festival

James Watson foi o homem que ganhou o Prêmio Nobel por seu trabalho na descoberta do DNA. Para alguém tão inteligente, ele era bastante racista, e esse era o problema. Ele realmente acredita que os africanos são inerentemente menos inteligentes do que os brancos. Qual é a opinião dele agora que um cara branco inteligente como Trump está concorrendo à presidência.

7. Winston Churchill

Se você for além do fato de que Winston Churchill foi um dos líderes mais respeitados do século 20, não negaria o fato de que ele era um completo maluco. Ele teria peculiaridades aleatórias, incluindo desfilar pelo escritório em seu terno de aniversário. Franklin D. Roosevelt e seu filho Elliot são conhecidos por terem encontrado Churchill arrepiante em toda a sua glória. Elliot até entrou no escritório de Churchill um dia e o encontrou em pé, completamente nu, fumando um charuto enquanto ditava uma carta para sua secretária. Secretário do sexo masculino.

8. Morarji Desai

O primeiro primeiro-ministro a chefiar o primeiro governo não pertencente ao Congresso da Índia, Morarji Desai era conhecido por ser um homem muito inteligente. Mas todo gênio tem que ser esquisito de uma forma ou de outra, certo? Desai costumava beber sua própria urina. Todos os dias, sem falta. Muita gente famosa faz isso hoje em dia, mas gente famosa é burra, esse cara não era.

9. Salvador Dali

Dali era um grande artista, não havia dúvida. Suas pinturas surrealistas eram realmente um deleite visual. Mas, como seu bigode icônico poderia sugerir, ele também era louco. Ele costumava pensar que estava possuído. Na verdade, em 1947, ele até conseguiu um cara chamado Gabriele Maria Berardi para fazer um exorcismo nele. Taxa de Barardi - uma escultura em crucifixo feita pelo próprio Dali.

10. Lord Byron

Lord Byron foi um poeta britânico muito conhecido que liderou o movimento romântico do século XIX. Um amante de coração, Byron teve vários casos. São seus inúmeros casos que alimentaram seu estranho hobby. Lord Byron adorava colecionar os pelos púbicos de suas amantes. Como troféu. Depois de cada caso, Byron pegava uma mecha do púbis de seu parceiro e a guardava em um arquivo em sua editora. Esses púbicos permaneceram por mais de 100 anos após sua morte. Imagine a situação de quem os encontrou. Indo para o trabalho apenas para tropeçar em uma pilha de púbis.

11. Yoshiro Nakamatsu

Yoshiro Nakamatsu é o inventor japonês que também é conhecido como o rei das patentes graças ao seu número de patentes (ele tem cerca de 3.500 patentes em seu nome), incluindo o CD, DVD e o relógio digital. Nakamatsu é um cara muito meticuloso. Ele é tão particular que uma vez disse que queria viver até 144 anos, nem um segundo a mais. Para garantir que isso aconteça, ele até começou a monitorar de perto cada coisa que comia. Aos 87 anos agora e com diagnóstico de câncer terminal, ele pode não viver até 144. Mas isso não o paralisou. Agora ele quer tentar inventar um tratamento para seu próprio câncer.


Sim, ambos são invenções holandesas! Em 1608 (um ano antes de Galileu, dizer o quê ?!), os artesãos de espetáculos Zacharias Janssen e Hans Lipperhey de Middelburg desenvolveram o telescópio. A primeira luneta estelar consistia em um tubo simples e também em uma lente biconvexa e uma bicôncava.

No que diz respeito ao microscópio, holandeses como Antoni van Leeuwenhoek, Sacharias ou Hans Jansen são mencionados como inventores. Van Leeuwenhoek usou uma lupa com uma lente que podia aumentar até 237 vezes!


Enquanto você estiver tocando no verão, não se esqueça de lembrar a importância do que temos para oferecer.

Casa dos livres por causa dos bravos.

"A bandeira americana não voa porque o vento a move. Ela voa do último suspiro de cada soldado que morreu protegendo-a."

Atualmente, na América, temos mais de 1,4 milhão de bravos homens e mulheres ativamente alistados nas forças armadas para proteger e servir nosso país.

Atualmente, há um aumento na taxa de 2,4 milhões de aposentados das forças armadas dos EUA

Aproximadamente, houve mais de 3,4 milhões de mortes de soldados lutando em guerras.

Todos os anos, todos anseiam pelo fim de semana do Memorial Day, um fim de semana em que as praias ficam superlotadas, as pessoas acendem churrasqueiras para um churrasco ensolarado e divertido, simplesmente um aumento nas atividades de verão, como um "pré-jogo" antes do início do verão.

Muitos americanos se esqueceram da verdadeira definição de por que temos o privilégio de comemorar o Dia da Memória.

Em termos simples, o Memorial Day é um dia para fazer uma pausa, lembrar, refletir e honrar os caídos que morreram protegendo e servindo por tudo que somos livres para fazer hoje.

Obrigado por dar um passo à frente, quando a maioria teria dado um passo para trás.

Obrigado pelos tempos que faltaram com suas famílias, a fim de proteger a minha.

Obrigado por se envolver, sabendo que teria que confiar na fé e nas orações de outros para sua própria proteção.

Obrigado por ser tão altruísta e por colocar sua vida em risco para proteger os outros, embora não os conhecesse.

Obrigado por resistir e ser um voluntário para nos representar.

Obrigado por sua dedicação e diligência.

Sem você, não teríamos a liberdade que nos é concedida agora.

I pray you never get handed that folded flag. The flag is folded to represent the original thirteen colonies of the United States. Each fold carries its own meaning. According to the description, some folds symbolize freedom, life, or pay tribute to mothers, fathers, and children of those who serve in the Armed Forces.

As long as you live, continuously pray for those families who get handed that flag as someone just lost a mother, husband, daughter, son, father, wife, or a friend. Every person means something to someone.

Most Americans have never fought in a war. They've never laced up their boots and went into combat. They didn't have to worry about surviving until the next day as gunfire went off around them. Most Americans don't know what that experience is like.

However, some Americans do as they fight for our country every day. We need to thank and remember these Americans because they fight for our country while the rest of us stay safe back home and away from the war zone.

Never take for granted that you are here because someone fought for you to be here and never forget the people who died because they gave that right to you.

So, as you are out celebrating this weekend, drink to those who aren't with us today and don't forget the true definition of why we celebrate Memorial Day every year.

"…And if words cannot repay the debt we owe these men, surely with our actions we must strive to keep faith with them and with the vision that led them to battle and to final sacrifice."


10 Forgotten And Unrecognized Inventors

Spend some time researching the history of technology and it soon becomes clear why scholars don&rsquot like the term &ldquoinventor.&rdquo For everyone credited with inventing something, you&rsquoll always find someone else who beat them to it.

Sometimes it has simply been a matter of publicity. Thomas Edison claimed he was the inventor of several items&mdashthe motion picture, the incandescent light bulb&mdashall the while knowing that others got there first. The Wright brothers probably weren&rsquot the first to fly a powered air machine&mdashbut at least they had the photos to prove they got airborne.

The people in this list deserve credit for their inventions&mdashbut maybe it would be better if we just dropped the idea of the &ldquolone genius&rdquo altogether, and learned to spread the credit around.

Almost exactly two hundred years before Johannes Gutenberg invented his printing press, Koreans started producing books using moveable metal type. Credit for this is generally given to Choe Yun-ui, a civil servant with the responsibility for printing the Sangjeong Gogeum Yemun , a massive collection of historical documents and legal codes.

So why did Gutenberg get the recognition, and not Choe or his team?

One problem was that the type being used was Chinese script and amounted to thousands of characters. Although moveable type cut down on the work the process was still arduous. It wasn&rsquot until the 1440s and the introduction of the Hangul alphabet that the country had a writing system that would work efficiently with the printing press. But more than that: hemmed in by China on one side and Japan on the other, Korea was isolated from the West. The first Westerners to stay in the country and report on it were Portuguese missionaries at the end of the sixteenth century&mdashbut it wasn&rsquot until the nineteenth that there was anything like regular contact. By then Europeans took it for granted that they ruled the planet, and weren&rsquot too impressed by what an Oriental country had invented six hundred years ago.

Hezârfen Ahmed Çelebi probably flew from Europe to Asia in 1630. In Istanbul, the width of the Bosphorus Strait that separates the Asian from the European side is less than a mile in parts&mdashso no, we are not talking about a flight from Paris to Beijing. Still, this was 1630 and in Western Europe the science of aeronautics, such as it was, had basically started and finished with Leonardo da Vinci a century earlier.

Unfortunately, the flight doesn&rsquot get a very detailed description in the Ottoman records and we can only guess what the glider looked like, but if Çelebi had knowledge of some basic principles, aeronautic engineers see no reason why he couldn&rsquot have done it.

What happened to Çelebi after his flight is a bit of mystery&mdashbut from what we do know, it doesn&rsquot sound good. He was apparently a respected mathematician and scientist in Ottoman Constantinople&mdashbut whether because of the flight or some other matter, he was banished shortly afterwards to Algeria, which in terms of the Ottoman Empire was as far away as possible.

Yes, Ahmed had a brother, Hasan, and if there is any substance to the story of what he achieved then Ahmed&rsquos story is actually a bit of a squib. A year or two after Ahmed made his flight, Hasan took off for the heavens in a rocket.

As part of the celebrations for the birth of the Sultan&rsquos daughter, Hasan built a rocket and took off from the shore below the Topkapi Palace. Before we dismiss this as fanciful, there are a couple of points to consider. Firstly, gunpowder, which was apparently used to launch the rocket, was available and had been used by the Chinese in rocket fireworks for several centuries. While it might have provided enough charge to get the craft skywards, something else would have to kick in to keep it up there.

The other issue is how he got down. Given that both brothers were scientists working from a library of Islamic science, he could have easily figured out that some form of parachute was necessary. Alternatively, the rocket was described as having seven wings, so it is conceivable that he was able to guide the craft down. In other words, the point might not have been to reach the stratosphere and beyond, but show off some development in rocketry.

Like his brother, Hasan fell foul of the Sultan&mdashbut he was merely exiled to the Ukrainian coast, where he may have continued his research into rocket power.

You&rsquod think, wouldn&rsquot you, that these days students would have some idea about the history of computers&mdashbut it&rsquos surprising how many assume everything started with Bill Gates. Watch their expressions of disbelief when you tell them the person who wrote the first computer program was a woman&mdashand that she wrote it in 1843. And by the way, she was Lord Byron&rsquos daughter.

The year before, Ada Lovelace&rsquos friend Charles Babbage had given a lecture on his &ldquoanalytical engine,&rdquo a machine intended to calculate logarithms and trigonometric equations. An Italian engineer, Luigi Menabrea, took notes in French and later published an article. Babbage asked Lovelace to translate that into French. During the process, she wrote up a series of algorithms of her own, including one that calculated Bernoulli numbers, which she realized would give the engine functionality. It was the algorithm using the Bernoulli numbers in particular that would be considered the first computer program.

Here the story becomes tragic. Babbage was a notorious misanthrope who refused to get along with just about everyone else. As the result of an argument with his engineer and the denial by several organizations of necessary funding, the Analytical Engine was never completed. Lovelace meanwhile contracted cancer and died in 1852, aged just 36. It wasn&rsquot until the 1950s that her writings were republished, and many scientists became aware of just how astonishingly advanced her thinking on computers was.

What happened on a Lyons railway platform during the week before Christmas 1874 would have made a steampunk novelist proud of himself. An unnamed clerk had run away from a Paris business with a wad of cash. No doubt thinking he had time on his hands, he disembarked at Lyon and was promptly surrounded by detectives. One of them waved a portrait of him they&rsquod received from Paris, transmitted by telegraph probably while the train was still on the outskirts of the capital.

Giovanni Caselli&rsquos pantelegraph worked like this: Two styli, the sender and the receiver, were regulated by electric clockwork so that when the sender inscribed part of the image the receiver&mdashpotentially located in a different city&mdashwas able to simultaneously trace it on a disc. The pantelegraph was in operation in France until 1870. Why it fell from use might have had something to do with the invasion by Prussia that year and the subsequent siege of Paris. Still, that was sorted within a year and why it was never revived is perhaps the strangest element of the whole story. When you think of all the other technologies that emerged at that time and where they were taken, the fact that nobody saw the real potential of being able to transmit facsimiles electronically is utterly mysterious.

Thirteen years before Orville took off in the Wright Flyer I, Clément Ader pulled off the same feat&mdasha successful flight in a manned, heavier-than-air, powered aircraft&mdashin the Éole .

There were hundreds of inventors working on aircraft at the time, but Ader was one of a handful who were taken seriously. He had already designed and patented devices useful in acoustics and electronics, and in the spirit of the age branching out into aeronautics was logical. On October 9, 1890, he took off in a field and flew approximately 165 feet (50m).

But there were problems: Firstly, it appears there was only one witness. Secondly, the plane reached an altitude of a mere eight inches (20cm) and thirdly, during another attempt a few years later in front of representatives from the Ministry of Defence, Ader&rsquos plane hit a wind gust, reportedly flew about 1000 feet but crashed and the various representatives grumbled and walked away.

Had a photographer been present on that first attempt, history might have been written differently. As for the altitude? Well, eight inches is still technically airborne. It is generally accepted among historians of flight that Ader did fly that day in 1890. He appears to have lost interest in designing his own plane after the debacle with the bureaucrats, but carried on championing the cause. In 1910 he published a book, L&rsquoAviation Militaire , wherein among other things he foresaw a time when aircraft would be housed on ships from which they&rsquod take off on short-range raids.

Regardless of what Thomas Edison claimed, no one invented the cinema. A sequence of innovations introduced around the world paved the way for the final outcome. If one of the many inventors who had a part in the creation of cinema deserves an accolade, it&rsquos Henry Heyl.

The story usually goes something like this: In 1873, Muybridge photographed the racehorse Occident in a sequence of photographs. By 1879 he was exhibiting his sequences of animals in motion through a device he called the zoopraxiscope. The problem was that because the zoopraxiscope projected images from a rotating disc, Muybridge had to distort the images so they&rsquod appear on the screen naturally. For that reason he couldn&rsquot project photographs&mdashand this was the problem others tried to overcome during the next ten years.

Go back three years before Muybridge photographs Occident, and on the night of February 5, 1870, Henry Heyl puts on an exhibition for an estimated 1600 people at the Academy of Music in Philadelphia. The show is brief&mdasha sequence of photographs of a couple dancing for just a few seconds is projected repeatedly on a screen&mdashbut it is enough to enthrall journalists throughout the US, and is reported in several newspapers. Heyl called his device the Phasmatrope. It appears that he only exhibited it once, and then disappeared.

Well, not entirely. A few years later he came up with another invention&mdashthe stapler.

Nathan Stubblefield might just be the best known inventor on this list. Historians of radio and communication will admit the farmer from Kentucky did invent a form of radio a few years before Marconi and Tesla laid claim to it. Their uncertainty has to do with his process, which relied on induction rather than wireless transmission. Induction transmission worked by sending radio signals between metal rods. It worked&mdashbut only over short distances. What we know as wireless transmission, which was already close to being realized at the time, could send a signal over hundreds of miles.

But so what if it wasn&rsquot the breakthrough everyone wanted? The remarkable thing about Stubblefield is that it appears he had no formal background in electronics or physics. He did possess a remarkable ability to think through abstract problems and work out a process.

To Stubblefield belonged the saddest end of anyone on this list. He went into partnership with a group of businessmen who were more interested in publicizing themselves than Stubblefield or his invention&mdashand within a few years, he realized that he was being ripped off from all directions. Bitterly disappointed, he retired to a mountain shack where he lived in isolation. There he starved to death in 1928&mdashthe same year NBC went coast to coast.

The story goes that on the night of Christmas Eve, 1883, German physics student Paul Nipkow was alone at home and began thinking through a problem. How could he improve on the electronic transmission of images? In his mind&rsquos eye he saw something we could think of as a cross between Muybridge&rsquos zoopraxiscope and a vinyl LP a single groove on the disc punctuated by a regular sequence of square holes could capture a whole image as a series of fragments.

If that sounds like pixels, it isn&rsquot far off. It made possible the sending of images from a transmitter with a Nipkow disc to a receiver containing one, a key element being selenium cells that could convert light into electric pulses. Unfortunately the images were small and poorly focused&mdashbut without the Nipkow disc, TV wouldn&rsquot have been possible.

By the 1890s Nipkow was working full-time designing electrical components and no longer interested in the potential of his invention, but he was invited to the first public exhibition of television in Berlin in 1928 and studied the weak images, aware of the role he&rsquod played forty years earlier in getting them there.

You might already know the official history of the invention of photography: In the 1820s, Frenchman Nicéphore Niépce created what is considered the world&rsquos first photograph. The exposure time was ridiculously slow, at more than eight hours, and Niépce handed over his research to his friend Louis Daguerre, who claimed invention of the Daguerreotype in 1839. Meanwhile, across the English Channel, British scientists William Fox Talbot and John Herschel had been working on their own process involving paper negatives that could be reproduced as positive prints.

Unofficially there were several others at the same time that claimed to have invented the medium&mdashand most have some justification. By the late 1830s, all the information needed to create photographs was available. It was a matter of putting it in the right order.

News travelled slowly in the 1830s, particularly if you lived in the small river port of São Carlos in the Brazilian jungle&mdashso it was a while before French expatriate Hercules Florence heard what Daguerre and Fox Talbot had been up to. In 1832 he had begun working on a process to print photographic images using silver-nitrate, and to fix them with urine. The process was reportedly working by 1834 and that year he hit upon a name for his invention photographie. He beat Herschel to that by a few years. Although he published some of his results in a local newspaper in 1839, he was more or less forgotten until the 1970s, one hundred years after his death in 1879.

Only two of Florence&rsquos photographs are known to exist, one of a certificate and the other a self-portrait.

John Toohey is an author, photohistorian and the blogger behind One Man&rsquos Treasure.


Video, Sitemap-Video, Sitemap-Videos