Novo

Sigourney I DD- 81 - História

Sigourney I DD- 81 - História


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Sigourney I

(DD-81: dp. 1.191 1. 314'41, '2 "- b. 30'4"; dr. 9'2 "
s. 34,7 k .; cpl. 122; uma. 4 4 "1 3", 12 21 "tt .; cl. Wickes)

O primeiro Sigourney (DD-81) foi pago em 25 de agosto de 1917 pela Fore River Shipbuilding Co., Quincy, Massachusetts; lançado em 16 de dezembro de 1917; patrocinado pela Sra. Granville W. Johnson; e comissionado em 15 de maio de 1918, Comdr. W. N. Vernon no comando.

Em 27 de maio, Sigourney partiu dos Estados Unidos escoltando um navio de tropas para a França. Na chegada a Brest, ela foi designada ao Comandante das Forças Navais, França, e, pelo restante da Primeira Guerra Mundial, ela escoltou comboios através da zona de perigo do submarino que se estendia por aproximadamente 500 milhas a oeste de Brest. Durante a maioria de seus comboios, Sigourney era a nau capitânia do comandante da tela, mas ela mesma não tinha nenhum contato de submarino confirmado.

Após o armistício de 11 de novembro, ela desempenhou funções diversas em águas europeias, incluindo o serviço no início de dezembro como carro-chefe da tela de quatro destróieres que escoltou o USS George Washington no meio da viagem desse transporte para transportar o presidente Wilson dos Estados Unidos para a França para a Conferência de Paz de Versalhes. Sigourney partiu de Brest para os Estados Unidos em 26 de dezembro de 1918 e chegou a Boston em 8 de janeiro de 1919 Depois de uma revisão em Boston e do treinamento de verão em Newport, Sigourney foi colocado no status de reserva na Filadélfia em 1 de novembro de 1919 e desativado lá em 26 de junho de 1922.

Sigourney foi recomissionado na Filadélfia em 23 de agosto de 1940 e navegou para Halifax, Nova Escócia. Lá, em 26 de novembro, ela foi desativada e entregue a um grupo de cuidados e manutenção canadense. Encomendado pelos britânicos como HMS Newport em 5 de dezembro, Sigourney foi retirado da lista da Marinha em 8 de janeiro de 1941. Após reparos no motor na Inglaterra, o HMS Newport operou em comboio como uma unidade da Marinha norueguesa de março de 1941 a junho de 1942. Ela em seguida, reverteu para os britânicos e, após reparos, serviu como um navio-alvo de aeronaves de junho de 1943 até ser colocado na reserva em janeiro de 1945. Newport foi sucateado em Granton, Inglaterra, em 18 de fevereiro de 1947.


Sigourney I DD- 81 - História

Sigourney II (DD-643: dp. 2.050 1. 376'5 "b. 39'7" dr. 13'9 "s. 35,2 k. Cpl. 329 a. 5 5 '', 10 40 mm., 7 20 mm ., 2 dct 6 dcp., 10 21 "tt. Cl. Fletcher) O segundo Sigourney (DD-643) foi estabelecido em 7 de dezembro de 1942 por Batt Iron Works Corp., Bath, Me. lançado em 24 de abril de 1943, patrocinado por Miss Amy C Olney e encomendado em 29 de junho de 1943, Comdr. W. L. Dyer no comando. O contratorpedeiro passou por treinamento de shakedown em Casco Bay, Maine, e na área de operação das Bermudas. Após os reparos pós-redução, Sigourney navegou, em 14 de setembro, de Norfolk com Baltimore (CA-68) em rota para a costa oeste. Eles chegaram a San Diego em 3 de outubro e o DD partiu no dia seguinte para Pearl Harbor. Ela foi encaminhada para o Espírito Santo Novas Hébridas. O navio chegou em 24 de outubro e foi designado para Destroyer Squadron (DesRon) 22, Destroyer Division (DesDiv) 44. A encenação estava então em andamento para a invasão do Cabo Torokina, Bougainville, Ilhas Salomão. Sigourney escoltou os transportes da fase de assalto até a área de desembarque e, em seguida, participou do bombardeio preliminar das praias de desembarque em 1º de novembro. O navio estava no ar, ataque, mas não sofreu danos ao espirrar em dois aviões inimigos. Sigourney então participou das operações de reabastecimento, com a Força-Tarefa (TF) 31, de Tulagi à cabeça de praia. Na manhã de 17 de novembro, o contratorpedeiro escoltava um comboio até a Baía da Imperatriz Augusta quando foi atacado por aviões japoneses. O comboio foi iluminado por sinalizadores e aviões torpedeiros começaram suas viagens. O transporte de alta velocidade, McKean (APD-5), foi atingido por um torpedo e começou a queimar furiosamente. Sigourney e Talbot (DD-114) estiveram ao lado por aproximadamente duas horas tentando resgatar sobreviventes. Sigourney resgatou 34, mas como os dois destróieres foram iluminados pelo transporte em chamas, eles estavam sob constante ataque aéreo. Felizmente, nenhum dos dois foi danificado e Sigourney espirrou em dois dos aviões. Sigourney e seu esquadrão continuaram as operações com o TF 31 até 6 de maio de 1944. O contratorpedeiro participou de varreduras anti-submarino, caças de barcaças e em operações combinadas com barcos PT e aeronaves de apoio. Em fevereiro de 1944, o destróier era uma unidade do Grupo de Ataque das Ilhas Verdes que desembarcou tropas da Nova Zelândia no dia 15. Na noite de 29 de fevereiro e 1o de março, Sigourney, com DesRon 22, engajou-se em uma varredura contra o porto de Simpson e depois bombardeou Rabaul e o campo de aviação na Ilha do Duque de York, no Arquipélago de Bismarck. Durante o mês de março, Sigourney e sua divisão de contratorpedeiros operaram sob a direção do General Comandante, XVI Corpo do Exército, em apoio às forças em Bougainville. Eles forneceram fogo de contra-bateria, bombardearam as tropas inimigas e instalações em terra e realizaram apoio de fogo quando requeckado. Siqourney en


Sigourney được đặt lườn vào ngày 25 de 8 de novembro de 1917 tại xưởng tàu của hãng Fore River Shipbuilding Company ở Quincy, Massachusetts. Nó được hạ thủy vào ngày 16 de tháng 12 năm 1917, được đỡ đầu bởi Bà Granville W. Johnson, và được đưa ra hoạt động vào ngày 15 tháng 5 năm 1918 dưới quyền chỉ huy của Hân Hân Tron Chỉ huy của Hân Quân Tron W. Verni Tran.

Hải quân Hoa Kỳ Sửa đổi

Vào ngày 27 de 5 de novembro de 1918, Sigourney khởi hành từ Hoa Kỳ hộ tống một tàu vận tải chuyển quân đến Pháp. Khi đi đến Brest, nenhuma được đặt dưới Quyen chỉ huy của TU lệnh Luc lượng Hải quân tai Pháp và trong Suot thoi gian CON lại của Chien tranh Thế Gioi thứ NHAT, nenhuma ho Tống Các đoàn Tàu Van Tai đi qua Vũng bị Tàu Ngam đối phương đe dọa, khoảng 500 dặm về phía Tây Brest. Trong hầu hết các chuyến đi, Sigourney là soái hạm của lực lung hộ tống, nhưng bản thân nó chưa hề đụng độ với tàu ngầm Đức.

Sau khi đạt thỏa thuận Đình chiến với Đức vào ngày 11 tháng 11, nó thực hiện nhiều nhiệm vụ khác nhau tại các vùng biển Châu Âu, trong đó có cá trò cm vai trong đó có có vá cm ng trong đó có vá trò cãi hạng 12 hng đó có cu trò cu ng ng ó có vá trò c m tống cho chiếc George Washington trong chặng giữa của hành trình đưa Tổng thống Woodrow Wilson từ Hoa Kỳ cantou Pháp dự Hội nghị Hòa Bình Versailles. Sigourney KHOI Hành từ Brest cais tro về Hoa Kỳ vào ngày 26 tháng 12 năm 1918, VE đến Boston vào ngày 8 tháng 1 năm 1919. Sau khi được đại tu tai Boston và thuc Hiện một Luot HUAN Luyen mua Hè tai Newport, chiếc Tàu khu trục được đưa về tình trạng dự bị tại Filadélfia vào ngày 1 tháng 11 năm 1919, và được cho xuất biên chế tại đây vào ngày 26 tháng 6 năm 1922.

Hải quân Hoàng gia Anh Sửa đổi

Sigourney được cho hoạt động trở lại tại Philadelphia vào ngày 23 tháng 8 năm 1940 và lên đường đi Halifax, Nova Scotia. Tại đây vào ngày 26 de 11, nó được cho xuất biên chế và được chuyển cho một đội bảo trì và sửa chữa Canadá. Được đưa vào biên chế Hải quân Anh như là chiếc HMS Newport vào ngày 5 tháng 12 như một phần của thỏa thuận Đổi tàu khu trục lấy căn cứ. Dez Sigourney được rút khỏi danh sách Đăng bạ Hải quân Hoa Kỳ vào ngày 8 de 1 de novembro de 1941.

Sau khi được sửa chữa động cơ tại Anh, Newport hoạt động trong vai trò hộ tống vận tải như một đơn vị của lực lượng Hải quân Hoàng gia Na Uy lưu vong từ tháng 3 năm 1941 đến tháng 6 như một đơn vị của lực lượng Hải quân Hoàng gia Na Uy lưu vong từ tháng 3 năm 1941 đến tháng 6 năm lực lượng Hải quân Hoàng gia Na Uy lưu vong từ tháng 3 năm 1941 đến tháng 6 nãm 1942. Sa náu khi. như một mục tiêu huấn luyện máy bay từ tháng 6 năm 1943 cho đến khi được đưa về lực lượng dự bị vào tháng 1 năm 1945. Newport bị tháo dỡ tại Granton, Escócia vào ngày 18 de 2 de novembro de 1947.


3. Revise seu histórico de chamadas

Seu histórico de chamadas está localizado no centro da experiência de chamadas e mostra uma lista de chamadas anteriores (incluindo chamadas perdidas).

Vamos para Ligações & gt História. De qualquer chamada na lista, selecione Mais ações & gt Ligar de volta para iniciar uma chamada automaticamente.

Você também pode bater um papo com esse contato, adicioná-lo à discagem rápida e adicioná-lo aos seus contatos - tudo a partir do Mais ações cardápio.


Tiedosto: USS Sigourney (DD-81) no Estaleiro Naval de Boston, Massachusetts (EUA), em 9 de fevereiro de 1919 (NH 41809) .jpg

Päiväystä napsauttamalla näet, millainen tieosto oli kyseisellä hetkellä.

PäiväysPienoiskuvaKokoKäyttäjäKommentti
Nykyinen24. elokuuta 2009 kello 22.48900 × 436 (70 KiB) Bem comumBarra de legenda cortada sem perdas
7. syyskuuta 2007 kello 21.19 />800 × 408 (79 KiB) PMG<


Atualização de julho de 2017 em HistoryofWar.org: Conquista da Tunísia Guerra Social Italiana Interlúdio da Boêmia da Guerra de Libertação Wickes classe destróieres, aeronaves Boulton Paul, Consolidated Trainers

Começamos este mês com uma nova fonte primária - Harold Rogers & # 39 relato de seu tempo no Serviço Nacional na RAF em 1951-53.

Nossa série normal de artigos inclui as batalhas finais pelo Norte da África, da Operação Wop de março de 1943 à conquista final de Túnis em maio. Nossa série sobre a Guerra de Libertação de 1813 cobre a breve investida de Napoleão na Boêmia. Mais atrás, continuamos com nossa série sobre a Guerra Social Italiana.

No ar, completamos nossa série de artigos sobre aeronaves Boulton Paul e continuamos com nossa análise de aeronaves Consolidated, com foco em aeronaves de treinamento inicial. Finalmente, no mar, continuamos com nossa série sobre a grande classe de destróieres Wickes.

Harold Rogers & # 39 conta do Serviço Nacional na RAF

Campanha do Norte da África

A Operação Wop (16-23 de março de 1943) foi um ataque americano realizado para ajudar o ataque de Montgomery na Linha Mareth, a principal posição defensiva do Eixo no sul da Tunísia.

A batalha de Gabes ou Wadi Akarit (6-7 de abril de 1943) viu o Oitavo Exército rapidamente forçar sua passagem por uma linha defensiva aprimorada ocupada pelas forças do Eixo após sua retirada da Linha de Mareth.

A batalha de Enfidaville (19-21 de abril de 1943) foi a última batalha significativa do Oitavo Exército no Norte da África, e os viu falharem em romper a resistência inesperadamente forte do Eixo no terreno montanhoso ao redor de Enfidaville.

A Operação Vulcan (22-28 de abril de 1943) foi a primeira fase do ataque final dos Aliados na Tunísia e envolveu uma série de ataques em toda a cabeça de ponte do Eixo que empurrou os defensores para trás da maioria de suas melhores posições defensivas, mas não conseguiu irromper em terreno aberto em torno de Bizerte e Tunis

A Operação Strike (5-13 de maio de 1943) foi a ofensiva final dos Aliados no Norte da África e terminou com a rendição de todas as tropas do Eixo na Tunísia e a captura de cerca de 275.000 prisioneiros de guerra.

A batalha de Teanum Sidicinum (90 aC) viu o cônsul romano Lucius Julius Caesar sofrer uma derrota nas mãos do líder samnita Marius Egnatius (Guerra Social), provavelmente durante uma tentativa de levantar o cerco de Esérnia ou Acerrae.

A batalha do Monte Falernus (90 aC) foi uma vitória dos italianos sobre uma força romana comandada por Pompeu Estrabão que se movia para sitiar Asculum (Guerra Social).

O cerco de Firmum (90 aC) viu Pompeu Estrabão sitiado na cidade após sofrer uma derrota no Monte Falernus, atrasando sua tentativa de sitiar Asculum (Guerra Social Italiana).

A batalha do Lago Fucinus (89 aC) foi uma derrota romana nas mãos dos marsianos, que ocorreu depois que o comandante romano Lúcio Porcius Cato foi morto (Guerra Social Italiana).

O cerco de Herculano (provavelmente em 11 de junho de 89 aC) é um dos incidentes mais obscuros da Guerra Social, e viu um exército romano recapturar a cidade depois que ela caiu nas mãos dos samnitas em 90 aC.

O cerco de Asculum (90-89 AC) foi um dos mais longos da Guerra Social, e eventualmente viu Pompeio Estrabão capturar a cidade, após um cerco que pode ter durado por mais de um ano.

Guerra de Libertação de 1813

O combate de Nollemdorf (14 de setembro de 1813) foi um contra-ataque aliado que tirou os franceses de suas posições mais avançadas na Boêmia e desencadeou uma breve ofensiva francesa que terminou com as tropas de Napoleão lutando brevemente ao sul das montanhas.

O combate de Berggiesshübel (15 de setembro de 1813) foi o primeiro passo de um contra-ataque francês que restaurou sua posição após um ataque aliado em 14 de setembro e terminou com alguns combates no lado sul das montanhas da Boêmia.

O combate de Peterswalde (16 de setembro de 1813) foi a segunda etapa de um contra-ataque francês que forçou os Aliados de volta à Boêmia e deu a Napoleão a chance de operar no lado sul das montanhas da Boêmia.

A ação de Göhrde (16 de setembro de 1813) viu os Aliados interceptarem uma coluna enviada de Hamburgo pelo Marechal Davout e forçá-la a recuar para a cidade após sofrer pesadas perdas.

O combate de Dolnitz (17 de setembro de 1813) viu os franceses descerem brevemente para as planícies ao sul das montanhas da Boêmia, mas depois de alguns combates limitados, Napoleão decidiu se retirar para a Saxônia, em vez de se arriscar a lutar com uma cordilheira que separava seu exército.

O combate de Bischofswerda (22 de setembro de 1813) foi um pequeno sucesso francês que viu Napoleão empurrar Blücher de uma posição ameaçadora entre Bautzen e Dresden.

Aeronave consolidada

O Consolidated PT-3 & # 39Husky & # 39 era uma versão atualizada do treinador PT-1 que usava o mesmo motor Wright J-5 dos treinadores Consolidated NY da Marinha.

O Consolidated XPT-4 era uma versão do PT-3 que usava um motor Fairchild-Caminez experimental no lugar do motor radial de nove cilindros refrigerado a ar Wright J-5 (R-790) Whirlwind de 220 cv.

O Consolidated XPT-5 era uma versão do PT-3 que usava um motor Curtiss Challenger.

O Consolidated PT-8 foi uma versão experimental da família PT-3 / O-17 movida por um motor a diesel Packard.

Avião Boulton Paul

O Boulton Paul P.124 era um treinador a jato projetado para substituir o Percival Provost, mas não entrou em produção.

O Boulton Paul P.125 era uma versão a jato do P.108 Balliol, projetado para substituir o Percival Provost, mas que não entrou em produção.

O Boulton Paul P.131 foi um projeto para um jet trainer, projetado em resposta à Especificação O.R.AIR / 37, mas que não entrou em produção.

USS Rathburne (DD-113 / APD-25) foi um contratorpedeiro da classe Wickes que executou tarefas de escolta de comboio durante a Primeira Guerra Mundial e serviu como um transporte rápido durante a Segunda Guerra Mundial, servindo nas Filipinas e em Okinawa.

USS Talbot (DD-114 / APD-7) foi um contratorpedeiro da classe Wickes que serviu brevemente no final da Primeira Guerra Mundial, mas que foi muito mais ativo como um transporte rápido no Pacífico durante a Segunda Guerra Mundial.

USS Waters (DD-115 / APD-8) foi um contratorpedeiro da classe Wickes que entrou em serviço bem a tempo de escoltar três comboios através do Atlântico durante a Primeira Guerra Mundial, e que teve uma carreira muito mais ativa como um transporte rápido durante a Segunda Guerra Mundial .

USS Dente (DD-116 / APD-9) foi um contratorpedeiro da classe Wickes que entrou em serviço bem a tempo de escoltar um comboio através do Atlântico durante a Primeira Guerra Mundial, mas que viu mais serviço como um transporte rápido no Pacífico durante a Segunda Guerra Mundial .

USS Dorsey (DD-117 / DMS-1) foi um contratorpedeiro da classe Wickes que entrou em serviço bem a tempo para o serviço nos últimos meses da Primeira Guerra Mundial, mas viu um serviço mais extenso como varredor de minas de alta velocidade durante a Primeira Guerra Mundial anterior sendo seriamente danificado por um tufão perto de Okinawa logo após o fim da guerra.

USS Lea (DD-118) foi um contratorpedeiro da classe Wickes que entrou em serviço muito tarde na Primeira Guerra Mundial, antes de operar em escolta de comboio no Atlântico durante a maior parte da Segunda Guerra Mundial.

Cataphracts - Cavaleiros dos Antigos Impérios Orientais, Erich B. Anderson.
Observa os cavaleiros fortemente blindados encontrados nos exércitos do Antigo Oriente Médio, mais famosos nos exércitos da Pártia, Pérsia e bizantinos. Traça o desenvolvimento de tropas fortemente blindadas, seu uso em batalha, as variantes em uso com diferentes poderes e seu eventual declínio durante o período bizantino. Uma história útil de um único volume do tipo de cavalaria mais pesada do mundo antigo.
[ler a crítica completa]

Thunder Bird em Bomber Command, Sean Feast.
Uma biografia de Lionel Anderson, irmão de Gerry Anderson, cobrindo sua breve carreira na RAF durante a Segunda Guerra Mundial e construída em torno das cartas animadas que ele enviou para casa enquanto treinava nos Estados Unidos, cobrindo seu treinamento de voo, descrições de a área local e aventuras durante a licença. Conclui com um olhar sobre seu período de serviço ativo, que terminou tragicamente em sua primeira missão no Mosquito de Havilland. O resultado é uma biografia muito divertida que cobre uma área incomum da experiência da RAF na guerra
[ler a crítica completa]

Wellington & # 39s Hidden Heroes - Os holandeses e belgas em Waterloo, Veronica Baker-Smith.
Analisa a contribuição do exército do Reino dos Países Baixos para a vitória de Wellington na campanha de Waterloo, onde representou um terço de seu exército. Faz bom uso de fontes holandesas e belgas para produzir um relato útil do papel que esse exército recém-formado desempenhou na vitória de Wellington, embora às vezes exagere o preconceito contra esse exército nas histórias da língua inglesa
[ler a crítica completa]

& # 39The Devil & # 39s to Pay & # 39 John Buford at Gettysburg, uma história e passeio a pé, Eric J. Wittenberg.
Concentra-se no papel desempenhado pela brigada de cavalaria de John Buford no primeiro dia da batalha de Gettysburg, onde reteve o avanço dos confederados e permitiu que a infantaria da União assumisse as posições defensivas que foram mantidas no segundo e terceiro dias da batalha. Inclui uma ampla gama de mapas detalhados e bom material sobre o lado confederado da batalha e as atividades de Buford posteriormente na batalha
[ler a crítica completa]

A Espada na Inglaterra Anglo-Saxônica, Hilda Ellis Davidson.
Um dos primeiros estudos sérios da espada anglo-saxônica, comparando os registros literários e arqueológicos, examinando a natureza física das espadas e seus acessórios em alguns detalhes, e incluindo um primeiro exemplo de arqueologia experimental, uma tentativa bem-sucedida de recriar o padrão espadas soldadas da época, técnica até então perdida. Faz um ótimo trabalho ao vincular as espadas sobreviventes a seus primos literários, sugerindo que a linguagem usada para descrever as espadas era precisa
[ler a crítica completa]

Nenhuma vitória em Valhalla: A história não contada do Terceiro Batalhão 506 do Regimento de Infantaria de Pára-quedistas de Bastogne a Berchtesgaden, Ian Gardner.
A terceira parte de uma história do Terceiro Batalhão, 506 PIR, cobrindo o período da batalha do Bulge ao final da Segunda Guerra Mundial e o período imediato do pós-guerra. Um bom exemplo do gênero, com um equilíbrio cuidadoso entre relatos de testemunhas oculares e uma narrativa geral. Também inclui seções interessantes sobre a ocupação de Berchtesgaden e o destino dos prisioneiros de guerra do batalhão.
[ler a crítica completa]

Givenchy na Grande Guerra - Uma Aldeia na Linha de Frente 1914-1918, Phil Tomaselli.
Rastreia os combates que tomaram parte no setor Givenchy da Frente Ocidental durante a Primeira Guerra Mundial, acompanhando a vila através das principais batalhas de 1914-15 e 1918 e os períodos mais silenciosos de 1916-17. Cobre a luta acima do solo e a campanha de mineração massiva que ocorreu sob a frente. Uma ideia interessante que nos dá um instantâneo da luta na Frente Ocidental, uma vez que afetou um único local fortemente disputado
[ler a crítica completa]

Ataque ao Monte La Difensa: a primeira força de serviço especial na linha de inverno, Itália 1943, Bret Werner.
Abrange dois tópicos incomuns - um ataque a uma montanha italiana que não seja o Monte Cassino e uma unidade conjunta das Forças Especiais dos EUA e do Canadá. Esta foi a única vez que a Primeira Força de Serviço Especial foi usada em um papel verdadeiramente de Forças Especiais, e teve um desempenho brilhante, escalando com sucesso um penhasco atrás da posição alemã e atacando-os de cima, em um ataque que se assemelha a muitos filmes de guerra posteriores!
[ler a crítica completa]

Cherbourg 1944: A primeira vitória dos Aliados na Normandia, Steven J. Zaloga.
Olha para toda a campanha do Cotentin, desde as primeiras batalhas para expandir a cabeça da praia do Dia D, através do avanço para o oeste através da Península, o ataque à própria Cherbourg e as operações finais de limpeza a oeste do porto. Um bom relato desta campanha, apoiado por uma série de mapas de campanha de alta qualidade e bem ilustrados, e contando a história de ambos os lados.
[ler a crítica completa]

Fighters over the Fleet - Defesa Aérea Naval dos Biplanos à Guerra Fria, Norman Friedman.
Uma história da defesa aérea naval desde a Primeira Guerra Mundial até os dias atuais, olhando para os sistemas usados ​​para controlar a defesa aérea e as aeronaves e armas envolvidas. Fica um pouco atolado no design de aeronaves do pós-guerra, mas é um relato detalhado, mas legível, de um tópico extremamente complexo que dominou o design de frotas desde a Segunda Guerra Mundial, cobrindo uma ampla variedade de tópicos ao longo de um século de aviação naval.
[ler a crítica completa]

Em Perseguição do Essex - Heroísmo e Hubris em Alto Mar na Guerra de 1812, Ben Hughes.
Segue dois participantes principais em um dos duais navais mais incomuns da Guerra de 1812, o confronto entre o Essex e o Phoebe em Valparaíso, na costa do Chile. Acompanha os dois principais participantes em suas longas viagens de portos de origem para o Pacífico, suas tentativas de se encontrarem, o impasse depois que se encontraram em Valparaíso e a batalha final, desencadeada por uma tentativa malsucedida de Porter de escapar para o mar
[ler a crítica completa]

Nachtjagd Defenders of the Reich, Martin W. Bowman.
Uma série de relatos de testemunhas oculares da batalha entre caças noturnos alemães e bombardeiros britânicos entre o início da campanha de bombardeio em 1940 e a batalha de Berlim no final de 1943. Um pouco repetitivo em alguns lugares, devido ao grande número de relatos incluídos, mas, como resultado, uma fonte útil de informações sobre as atitudes e realizações das forças de caça noturnas alemãs
[ler a crítica completa]

Segurando a Frente Interna - O Exército Terrestre Feminino & # 39 na Primeira Guerra Mundial, Caroline Scott.
Analisa o esforço envidado para conseguir que as mulheres fossem aceitas nas fazendas durante a Primeira Guerra Mundial, começando com uma variedade de corpos voluntários, levando à formação do Exército Terrestre Feminino no início de 1917. Conta uma história semelhante à do mais famoso Exército Terrestre da Segunda Guerra Mundial, mas com mais ênfase no voluntariado e nas organizações voluntárias durante a maior parte da guerra e, como resultado, uma variedade mais ampla de experiências
[ler a crítica completa]

Hitler & # 39s Russo e Aliados Cossacos 1941-1945, Nigel Thomas.
Fornece uma visão geral da organização de seis das nove categorias de tropas russas e cossacas que lutaram pelos alemães durante a Segunda Guerra Mundial, um total de cerca de meio milhão de homens, que ajudaram a compensar algumas das enormes perdas sofridas pelos Alemães e seus aliados na Frente Oriental. Concentra-se nas origens, estrutura e organização dessas unidades, em vez de seu registro de combate, que não caberia em um livro deste tamanho.
[ler a crítica completa]

Guerreiro grego da Idade do Ferro 1100-700 aC, Raffaele d & # 39Amato e Andrea Salimbeti.
Olha para o período entre os guerreiros heróicos de Homero e a ascensão do Hoplita, um período bastante obscuro onde a maior parte das evidências vem de obras de arte contemporâneas ou vestígios arqueológicos (e que contém apenas uma determinada guerra importante, a Primeira Guerra Messeniana). Como resultado, o livro se concentra principalmente na reconstrução das mudanças no equipamento militar ao longo deste período de 400 anos, que terminou com a primeira evidência dos hoplitas
[ler a crítica completa]


Atualização de fevereiro de 2017 em HistoryofWar.org: North African Campaign 1940-43, War of Liberation of 1913, Philip II da Macedon e Terceira Guerra Sagrada, US Tanks, US Destroyers, Boulton Paul e Supermarine Aircraft

Atualização de fevereiro de 2017 em HistoryofWar.org: North African Campaign 1940-43, War of Liberation of 1913, Philip II da Macedon e Terceira Guerra Sagrada, US Tanks, US Destroyers, Boulton Paul e Supermarine Aircraft

Neste mês, começamos uma nova série de artigos sobre a Campanha do Norte da África de 1940-43, começando com a chegada das primeiras tropas alemãs em Trípoli. Depois de introduzir a Guerra de Libertação de 1813 em janeiro, agora começamos uma análise mais detalhada dos primeiros eventos da guerra. Na Grécia Antiga, terminamos nossa série sobre as batalhas de Filipe II da Macedônia, terminando com sua grande vitória em Queronéia, onde ele estabeleceu sua autoridade sobre a maior parte da Grécia continental, e também olhamos para algumas das batalhas da Terceira Guerra Sagrada.

Na tecnologia militar, examinamos uma série de carrinhos de canhão baseados em tanques médios e iniciamos uma série de artigos sobre os Tanques Pesados ​​dos EUA. No mar, vemos seis destróieres da classe Wickes. No ar, continuamos com nossa série em aeronaves Boulton Paul e iniciamos uma nova série em aeronaves Supermarine.

Por fim, adicionamos uma série de resenhas de livros e fotos sobre a North African Campaign e US Destroyers

Campanha do Norte da África

Operação Sonnenblume (Girassol) (fevereiro-março de 1941) foi o codinome para o movimento inicial das tropas alemãs para o Norte da África, depois que os italianos foram forçados a deixar a Cirenaica e pareciam estar lutando para manter a Tripolitânia.

A Primeira Ofensiva de Rommel (24 de março a 30 de maio de 1941) o viu empurrar um enfraquecido exército britânico para fora da Cirenaica e por todo o caminho até a fronteira egípcia, desfazendo todas as conquistas britânicas no início de 1941 e estabelecendo um padrão para o guerra no deserto que duraria até a segunda batalha de El Alamein no final de 1942.

O cerco de Tobruk (10 de abril-16/17 de dezembro de 1941) viu uma guarnição aliada sitiada resistir por oito meses aos ataques alemães e italianos e ajudou a evitar que Rommel aproveitasse ao máximo sua vitória em sua primeira ofensiva, que o vira conquistar Cirenaica apenas algumas semanas depois de ter caído para os britânicos

A Operação Brevity (15-16 de maio de 1941) foi uma ofensiva britânica de curta duração realizada para ver se a posição alemã a leste de Tobruk era frágil o suficiente para que o cerco fosse levantado sem uma grande batalha.

A Convenção de Tauroggen (30 de dezembro de 1812) foi um acordo que tornou o corpo russo do general Yorck e # 39 neutro, marcando o início de uma ruptura entre a Prússia e a França (Guerra de Libertação).

O segundo cerco de Danzig (24 de janeiro a 29 de novembro de 1813) viu o General Rapp defender a cidade contra os russos durante a maior parte de 1813, mas sem qualquer esperança genuína de ser resgatado (Guerra de Libertação).

O combate de Zirke (11-12 de fevereiro de 1813) foi um dos primeiros confrontos durante a Guerra de Libertação e ocorreu durante a retirada francesa do Vístula para o Oder.

O combate de Kalisch (18 de fevereiro de 1813) foi um dos primeiros confrontos da Guerra de Libertação de 1813 e contribuiu para forçar os franceses a abandonar qualquer tentativa de defender a Alemanha oriental.

A Convenção de Kalisch (28 de fevereiro de 1813) foi assinada entre a Rússia e a Prússia e comprometeu a Prússia a voltar à guerra contra Napoleão, preparando o cenário para a Guerra de Libertação de 1813.

O cerco de Glogau (15 de março a 27 de maio de 1813) foi um raro exemplo de uma defesa francesa bem-sucedida de uma das fortalezas isoladas deixadas para trás pela retirada da Polônia e da Alemanha oriental no início de 1813, e viu uma guarnição considerável resistir por três meses antes que o cerco fosse levantado após a batalha de Bautzen.

A batalha de Möckern (5 de abril de 1813) foi a última luta significativa durante a Campanha da Primavera de 1813 antes de Napoleão chegar à frente para assumir o comando em pessoa.

O combate de Weissenfels (29 de abril de 1813) foi um dos primeiros confrontos entre o novo exército de Napoleão de 1813 e o avanço das forças prussianas e russas, que no final de abril haviam alcançado o rio Saale na Saxônia.

A batalha do Campo de Croco ou de Pagasae (353 aC) foi uma vitória significativa para Filipe II da Macedônia e o viu derrotar e matar Onomarco, o líder fócio, uma vitória que ajudou a garantir o domínio de Filipe sobre a Tessália.

O cerco de Perinto (340-339 aC) foi uma tentativa malsucedida de Filipe II da Macedônia de derrotar um aliado vacilante e foi conduzido ao lado de um cerco igualmente malsucedido de Bizâncio. Ambos os cercos ocorreram no período imediatamente anterior à Quarta Guerra Sagrada.

O cerco de Bizâncio (340-339 aC) foi uma tentativa malsucedida de Filipe II de derrotar um ex-aliado e foi iniciado depois que seu cerco à vizinha Perinto enfrentou dificuldades. Ambos os cercos ocorreram na preparação para a Quarta Guerra Sagrada.

A batalha de Queronéia (agosto de 338 aC) foi a última grande batalha na carreira de Filipe II da Macedônia, e o viu derrotar uma aliança grega liderada por Tebas e Atenas, estabelecendo no processo seu domínio sobre os estados do centro e do sul da Grécia

A batalha de Neon (354 AC) foi uma batalha da Terceira Guerra Sagrada, e foi notável pela morte do líder Phocian Philomelus.

A batalha de Hermeum (354 ou 353 aC) foi uma vitória de Phocian sobre os beócios (Terceira Guerra Sagrada), que se seguiu a uma breve intervenção de Phocian na Tessália que os viu infligir duas raras derrotas no campo de batalha a Filipe II

O T24 Gun Motor Carriage de 3 polegadas foi uma das primeiras tentativas de produzir um caça-tanques montando um canhão antiaéreo de 3 polegadas no chassi do Tanque Médio M3.

O T26 75mm Gun Motor Carriage foi um projeto malsucedido para um antiaéreo automotor que falhou devido a problemas com a arma.

O T36 40mm Gun Motor Carriage foi uma tentativa malsucedida de montar um canhão antiaéreo Bofors no chassi do Tanque Médio M3.

O T52 Multiple Gun Motor Carriage foi um projeto falhado para um veículo antiaéreo automotor armado com uma arma Bofors 40 mm e duas metralhadoras.

O T53 90mm Gun Motor Carriage foi um projeto para uma combinação de caça-tanques e canhão antiaéreo autopropelido que foi rejeitado após extenso trabalho de desenvolvimento.

O tanque AA quad de 20 mm, Skink, foi a tentativa mais bem-sucedida de montar um canhão antiaéreo no chassi de um tanque Sherman, mas apenas um punhado foi produzido e seu uso principal era contra alvos terrestres.

O Heavy Tank Mark VIII (Liberty Tank ou International) foi originalmente concebido para ser um tanque conjunto anglo-americano-francês que teria sido usado em grandes números se a guerra tivesse continuado em 1919, mas que acabou sendo construído em pequenos números na Inglaterra e versões americanas.

O Heavy Tank T29 foi desenvolvido em resposta ao aparecimento de pesados ​​tanques alemães no teatro europeu, e carregava um canhão de 105 mm em um chassi semelhante ao usado no M26 Pershing.

USS Woolsey (DD-77) foi um contratorpedeiro da classe Wickes que afundou em 1921 após ser cortado ao meio em uma colisão com um navio mercante.

USS Evans (DD-78) foi um contratorpedeiro da classe Wickes que entrou em serviço nos Estados Unidos logo após a Primeira Guerra Mundial, participou brevemente do Neutrality Patrl e depois entrou em serviço britânico como HMS Mansfield

USS Pequeno (DD-79) foi um contratorpedeiro da classe Wickes que foi usado como um transporte rápido durante a Segunda Guerra Mundial e foi afundado ao largo de Gualalcanal em setembro de 1942.

USS Kimberly (DD-80) foi um contratorpedeiro da classe Wickes que serviu em águas europeias durante a Primeira Guerra Mundial, mas foi descartado logo após o fim da guerra.

USS Sigourney (DD-81) foi um contratorpedeiro da classe Wickes que operou de Brest durante a Primeira Guerra Mundial e serviu na Marinha Real da Noruega e na Marinha Real como HMS Newport durante a Segunda Guerra Mundial.

USS Gregory (DD-82 / APD-3) foi um contratorpedeiro da classe Wickes que prestou serviço no final da Primeira Guerra Mundial e foi então convertido em um transporte rápido. Ela foi afundada enquanto desempenhava seu novo papel ao largo de Guadalcanal em setembro de 1942.

USS Stringham (DD-83/ APD-6) was a Wickes class destroyer that saw limited service towards the end of the First World War, before serving throughout most of the Pacific Campaign of the Second World War as a fast transport.

USS Dyer (DD-84) was a Wickes class destroyer that operated from Gibraltar late in the First World War and then served as flagship of the US naval forces in the Eastern Mediterranean in 1919.

The Supermarine N.1B was a single-seat scout designed to escort the RNAS's patrol flying boats.

The Supermarine Seal was an amphibian reconnaissance and fleeting spotting aircraft that served as the prototype for the successful Supermarine Seagull, which was itself the basis of the more famous Supermarine Walrus.

The Supermarine Sea King was an amphibian scout and fighter aircraft that was produced in two variants, but didn't receive any orders. It did become the basis for the Sea Lion racing aircraft, and as the Sea Lion II won the 1922 Schneider Trophy.

The Supermarine Sea Lion was a racing version of the Sea King scout plane. Three versions were produced and were entered in the Schneider Trophy Races of 1919, 1922 and 1923, winning in 1922.

Boulton Paul Aircraft

The Boulton Paul P.101 was a radical design for a staggered biplane fighter, produced in response to an Air Ministry specification for a manoeuvrable fighter with a high rate of climb.

The Boulton Paul P.102 was a project to fit a jet engine in an existing aircraft, but it suffered from high level indecision and was eventually cancelled.

German Half-Tracks and Wheeled Vehicles 1939-1945, Alexander Lüdeke.
Looks at the armoured cars and half-tracks used by the German Army before and during the Second World War, focusing on the development and technical descriptions of each type and its major variants. Each type gets one or two pages, supported by photos of the vehicle. A useful short reference book on these essential vehicles, covering both the many types developed in Germany and the smaller number of captured vehicles pressed into service.
[ler a crítica completa]

The Gempei War 1180-85 - The Great Samurai Civil War, Stephen Turnbull.
Looks at the civil war between the Taira and Minamoto clans that saw the samurai replace the Imperial Court as the main source of power in Japan, and ended with the establishment of the Shogunate, the system of military rule that lasted for nearly seven hundred years. A fascinating account of this crucial conflict that helps make sense of a war that sometimes appears as a collection of unconnected battles involving a series of different commanders.
[ler a crítica completa]

BT Fast Tank - The Red Army's Cavalry Tank 1931-1945, Steven J. Zaloga.
Looks at the fast BT series tanks, based on the American Christie tank. Produced in vast numbers in the Soviet Union in several main variants, the BT tanks were used in Spain, against Japan on the Mongolian border and during the Winter War, before being destroyed in equally vast numbers during the first year of the Great Patriotic War. Traces the development of the Soviet version of the tank, the many versions produced, and its mainly unimpressive combat career.
[ler a crítica completa]

British and German Battlecruisers - Their Development and Operations, Michele Cosentino & Ruggero Stanglini.
A useful volume that covers the development, design and construction of British and German battlecruisers, their wartime deployments and both side's plans for the next generation of battlecruisers, of which only HMS Hood was ever completed. Having all of this material in a single volume gives a much better overview of the two Navy's battlecruisers, their advantages and flaws, and their performance in and out of battle. Concludes with a look at other nation's battlecruisers and battlecruiser designs
[ler a crítica completa]

Stout Hearts: The British and Canadians in Normandy 1944, Ben Kite.
Looks in detail at the role of each element in the British and Canadian military machine during the Normandy Campaign, including each aspect of the ground forces from the infantry to the armour, intelligence, reconnaissance and medical services, as well as the air support and the fire power provided by the massive Allied fleets off the Normandy coast. A very useful companion to narrative accounts of the campaign, helping to explain how the British and Canadians managed to overcome the determined German resistance on their front
[ler a crítica completa]

Brutus - Caesar's Assassin, Kirsty Corrigan.
A well balanced biography of Brutus, one of the more consistent defenders of the Roman Republic, and famously one of Caesar's assassins on the Ides of March. Paints a picture of a man of generally high moral standards (with some flaws in financial matters), but also an over-optimistic plotter, who failed to make any realistic plans for the aftermath of the assassination. Does a good job of tracing Brutus's fairly obscure early years, as well as distinguishing between later legends and historically likely events
[ler a crítica completa]

Alesia - The Final Struggle for Gaul, Nic Fields.
A useful history of the siege and associated battles that secured Caesar's conquest of Gaul and ended Vercingetorix's revolt, the first (and only) time that the Gallic tribes united against Caesar. Starts with a history of Vercingetorix's revolt and the earlier failed siege of Gergova, before moving onto the climatic siege of Alesia, the massive Gallic relief effort and its defeat by Caesar. A good account of this siege, supported by excellent maps showing the besieged town and its surroundings.
[ler a crítica completa]

Sailors on the Rocks - Famous Royal Navy Shipwrecks, Peter C. Smith.
Looks at a long series of Royal Naval shipwrecks, from the loss of HMS Coronation in 1691 to the grounding of HMS Nottingham in 2002. Covers the background histories of the ships involved, their actions in the period before their loss, the lead-up to the loss, the rescue attempts and the aftermath of the loss. An interesting book that covers a great deal of ground
[ler a crítica completa]

US Navy Carrier Aircraft vs IJN Yamato Class Battleships, Pacific Theatre 1944-45, Mark Stille.
Looks at the two battles that resulted in the sinking of Yamato and Musashi, the two most powerful battleships ever completed, and the US aircraft, weapons and tactics that sank them. Interesting to bring together all of the relevant technical histories – the ships themselves, Japanese anti-aircraft guns, the US aircraft and their main weapons – in a single volume, followed by detailed accounts of the air attacks that sank the two battleships
[ler a crítica completa]

By the Knife, Steve Partridge .
A historical novel set largely at sea in the middle of the eighteenth century, following two intertwined lives from their formative years in England, to their repeated encounters across the oceans. Written across a very broad canvas, from the Caribbean to the west coast of Africa, Britain to the Mediterranean, and with a good feel for the naval warfare and general lawlessness of the period.
[ler a crítica completa]

The Great Siege of Malta - The Epic Battle between the Ottoman Empire and the Knights of St. John, Bruce Ware Allen.
Looks at one of the pivotal conflicts of the Sixteenth Century, when a massive Ottoman army attempted to capture Malta, then the main base for the Knights of St. John. This excellent history traces events from the earlier siege of Rhodes, where the Knights were defeated, through the intervening years of intermittent conflict, and on to the Great Siege itself, covering both the fighting on Malta and the attempts to raise the siege
[ler a crítica completa]

Critical Convoy Battles of WWII - Crisis in the North Atlantic, March 1943, Jurgen Rohwer.
Focuses on the successful U-boat attacks on convoys HX.229 and SC.122, looking at how earlier convoys were able to avoid attack, why those particular convoys were hit so hard, the methods being used by both sides, and their impact on the longer term result of the Battle of the Atlantic. A useful study, despite its age (first published in 1977), in particular because of its focus on the successful German attacks of March 1943, which thus get the attention they deserve rather than being seen as a precursor to the Allied victories later in the summer.
[ler a crítica completa]


HMS Newport (G 54)

from March 1942 to June 1942 loaned to Royal Norwegian Navy as HNoMS Newport (G 54)
In 1944 used as aircraft target.
decommissioned in January 1945 and sold for scrap on 18 Feb, 1947 at Granton.

Commands listed for HMS Newport (G 54)

Observe que ainda estamos trabalhando nesta seção.

ComandanteA partir dePara
1Lt.Cdr. Allan Herbert Percy Noble, RN5 Dec 1940early 1941

2Lt. Kenneth Innes Hamilton, DSC, RN23 Nov 1942early 1943

3Lt.Cdr. William Alick Grinham, RNVR15 Mar 19433 Aug 1944
4T/A/Lt.Cdr. Stanley Martin Booker, RNVR3 Aug 1944Dezembro de 1944
5Lt.Cdr. Alexander Kenneth Mackelvie, RNVRDezembro de 19449 Mar 1945
6T / Lt. Richard Phelps, RNVR9 Mar 1945mid 1945

Você pode ajudar a melhorar nossa seção de comandos
Clique aqui para enviar eventos / comentários / atualizações para esta embarcação.
Por favor, use isto se você detectar erros ou quiser melhorar esta página de navios.

Notable events involving Newport include:

30 de novembro de 1941
HMS H 50 (Lt. E.T. Stanley, RN) conducted A/S exercises off Lough Foyle with HMS Rochester (Cdr.(Retd.) C.B. Allen, RN), HMS Northern Spray (T/Lt. G.T. Gilbert, RNVR), HMS Leith (Lt.Cdr. E.C. Hulton, RN) and HMS Newport. ( 1 )

Links de mídia

ADM numbers indicate documents at the British National Archives at Kew, London.


How Can I Get My Search History Back On Internet Explorer?

When using internet explorer I used to be able to see my search history by clicking on the star in the upper right corner.

It would then show all the sites I had visited and I could view them by day.

All of a sudden when I try to click on the star it doesn't show anything . no history . or no dates. I do not know if my son or I did something by mistake to disable it.

Hope this is something that can be corrected.

Can anyone help and get my search history back for me?

Denunciar abuso

Your browsing history is the information that Internet Explorer remembers and stores on a PC as your browse the web. This includes info you've entered into forms, passwords, and sites you've visited, and it helps make your browsing experience better.

Problems viewing or saving webpage history may occur for one or more of the following reasons:

  • This issue can occur if you have the Delete browsing history on exit box checked in your Internet options.
  • If your hard disk is getting full, you may need to free up disk space.
  • The number of days that Internet Explorer keeps a history of the webpages you have visited may be set to 0 or a low number. After that period of time, the history is automatically deleted.
  • Your history may be corrupt or locked by another process.

If the Delete browsing history on exit box checked in your Internet options, then it is not possible to recover the history back on Internet Explorer. Always make sure that the Delete browsing history on exit box in your Internet Options is not checked.

  1. pressione Windows key + R.
  2. Modelo inetcpl.cpl to open Internet Properties window.
  3. Debaixo de Em geral tab, and then under Browsing History, make sure the Delete browsing history on exit box in not checked.

Also check to see if there is enough free space on your hard disk

  1. pressione Windows key + R.
  2. Modelo inetcpl.cpl to open Internet Properties window.
  3. Debaixo de Em geral tab, and then under Browsing History, clique Definições. Debaixo Disk space to use, make sure the disk space is set to 250MB, and under História, make sure the Days to keep pages in history is set to 20.
    Observação: If you don’t want a webpage history kept, set the number of days to 0.

Please feel free to reply if you face any issue with Windows in future.

Denunciar abuso

7 people found this reply helpful

Great! Thanks for your feedback.

How satisfied are you with this reply?

Thanks for your feedback, it helps us improve the site.

How satisfied are you with this reply?

When using internet explorer I used to be able to see my search history by clicking on the star in the upper right corner.

That button is also known as the Favorite Center star. Unfortunately, it is a multi-modal feature which only has that one icon. Also, in each mode there can be a remembered View. So, "clicking on the star" does not really give us a good hint about what you should expect to see. <eg>

"View them by day" suggests that you want to see the History tab, with its View set to: View by date. Press Ctrl-Shift-H to be sure that you are seeing the History tab and then check to see what View is showing at the top drop down menu. Change it to View By Date if necessary. Does that help you see what you were expecting to see?


Where Is the Oxbow Quadrangle?

The Oxbow Quadrangle is located along the Idaho-Oregon border in the Payette National Forest. The Oxbow Quadrangle is the formal name of a 7.5-minute series topographic map of the region. In the movie "Last of the Dogmen," the Oxbow quadrangle is located in Montana.

The Payette National Forest is managed by the U.S. Forest Service, and the protected area covers 2.3 million acres in central Idaho. Hell's Canyon, the deepest river gorge in North America, is just west of the forest along the Snake River, which forms Idaho's border with Oregon.

The Oxbow Quadrangle harbors three fugitives in "Last of the Dogmen." Tom Berenger plays a cowboy-type character who must track down the three fugitives, who are believed to be descendants of Native American "dog soldiers" from the Cheyenne tribe of the 1860s.


Assista o vídeo: Sigourney Weaver for Aliens 1986 - Bobbie Wygant Archive (Setembro 2022).


Comentários:

  1. Elvio

    Não, eu não posso te dizer.

  2. Shelden

    Eu acredito que você estava errado. Precisamos discutir.

  3. Hamilton

    Você permite o erro. Eu posso provar. Escreva para mim em PM, discutiremos.

  4. Nadeem

    Bravo, que frase necessária ..., uma ideia brilhante

  5. Toshakar

    Isso terá uma frase diferente apenas pelo caminho

  6. Vokus

    beats

  7. Meldrik

    Sim, de fato. Eu concordo com todos os itens acima. Podemos nos comunicar sobre este tema.

  8. Mozuru

    Na minha opinião, há alguém para pedalar



Escreve uma mensagem

Video, Sitemap-Video, Sitemap-Videos