Novo

Vance DE-387 - História

Vance DE-387 - História


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Vance

(DE-387: dp. 1.200, 1. 306'0 ", b. 36'7", dr. 8'7 "(média); s. 21 k .; cpl. 186; a. 3 3", 2 40 mm., 8 20 mm., 3 21 "tt., 2 atos., 8 dcp., 1 dcp. (Hh.); Cl. Edsall)

Vance (DE-387) foi estabelecido em 30 de abril de 1943 em Houston, Texas, pela Brown Shipbuilding Co .; lançado em 16 de julho de 1943; patrocinado pela Sra. John W. Vance, mãe do falecido Tenente (jg.) Vance, e encomendado em 1 de novembro de 1943, o Tenente Comdr. E. A. Anderson, USCG, no comando.

Após a retirada das Bermudas, Vance se tornou o carro-chefe da Divisão de Escolta (CortDiv) 45 - uma unidade tripulada pela Guarda Costeira - e transportou um grupo de petroleiros de Norfolk, Va., Para Port Arthur, Texas, e de volta. Após seu retorno a Norfolk, ela serviu como um navio de treinamento para tripulações de escolta de destruidores enquanto esperava a chegada do resto de sua divisão.

Em fevereiro de 1944, o navio conduziu operações de escolta local antes de se juntar à seção de Nova York do Convoy UGS-33, com destino a Gibraltar. Sua seção se encontrou ao largo de Norfolk com o restante do comboio e sua nau capitânia, Bibb (WPG-31), e partiu para o outro lado do Atlântico. Em 7 de março, Vance partiu de Casablanca com GUS-33 para a viagem de retorno e foi colocado no Estaleiro da Marinha de Nova York no dia 23 para disponibilidade.

A seguir, o Vance partiu em 12 de abril, com os outros navios do CortDiv 45 e uma divisão de escolta de contratorpedeiro tripulado pela Marinha, para rastrear os 102 navios mercantes do comboio UGS-39 para a Tunísia. Chegando a Bizerte em 3 de maio, o navio de guerra deixou as águas da Tunísia oito dias depois, com destino a Nova York com o GUS-39. Na costa de Oran, no dia 14, um submarino alemão passou pela tela de escoltas e torpedeou dois navios mercantes. Vance, segurando a posição de "chicote" da tela (onde ela tinha o dever de pastorear retardatários), subiu pelo comboio, avistou o periscópio e tentou colidir. O submarino "puxou o tampão" e mergulhou mais fundo, evitando a proa afiada da escolta.

Vance permaneceu no local por 10 horas, submetendo o submarino a cargas de profundidade e ataques de ouriços, até ser resgatado por um esquadrão de destróieres da Marinha. Três dias depois, após uma extensa caçada, os navios de socorro afundaram o U-616.

Ao todo, Vance fez oito viagens de ida e volta ao Mediterrâneo ocidental e acompanhou cada uma delas com disponibilidade em Boston ou Nova York. Quatro vezes o navio se envolveu em exercícios de treinamento fora de Casco Bay, aprimorando suas habilidades anti-submarino e de artilharia. Em 14 de julho de 1944, Vance ajudou a repelir um ataque aéreo alemão contra um comboio Aliado ao largo de Oran. Durante a maioria das viagens, a escolta do contratorpedeiro manteve a posição de "chicote" no comboio - um detalhe extenuante e às vezes frustrante, já que os navios mercantes freqüentemente exibiam falta de disciplina e se perdiam atrás do comboio. Carregando o médico da divisão a bordo, Vance ocasionalmente levava a bordo homens de outros navios para tratamento médico.

Em 2 de maio de 1945, Vance partiu de Nova York com seu último comboio com destino ao Mediterrâneo. Na manhã de 11 de maio, quatro dias após a rendição da Alemanha, Vance avistou uma luz à frente no comboio e desligou a toda velocidade para investigar. Ao fechar a luz, a escolta do destróier descobriu um U-boat, U-87S, que estava no mar há 50 dias. Enquanto o submarino começou a funcionar, Vance saudou o antigo inimigo em alemão com um megafone, ordenando que os submarinistas avançassem. Vance colocou uma tripulação do prêmio a bordo do U-boat capturado que entregou o prêmio em Portsmouth, N.H., no dia 16.

Vance então passou por alterações em seu armamento antiaéreo e logo partiu para o Pacífico. No entanto, ela chegou tarde demais para participar de qualquer coisa, exceto operações de treinamento e voltou para a costa leste para o descomissionamento. Em meados de outubro de 1945, ela passou por uma disponibilidade de pré-desativação antes de prosseguir para o sul para Green Cove Springs, Flórida. Em 27 de fevereiro de 1946, Vance foi desativado e colocado na reserva.

O navio permaneceu em "naftalina" pelos próximos nove anos, antes de ser rebocado para o Estaleiro Naval da Ilha Mare em novembro de 1955 para conversão em uma escolta de contratorpedeiro de piquete de radar. As extensas alterações envolveram o acréscimo de: radar de busca aérea aprimorado, amplo equipamento de comunicação e instalações completas para operações de direção de caça. Também implicava o fechamento de todas as áreas do convés principal a meia-nau para fornecer acomodações para oficiais e homens. Designado DER-387, Vance foi recomissionado em 5 de outubro de 1956 na Ilha Mare, com o tenente Albert M. Brouner no comando.

Entre março de 1957 e o final do ano, Vance foi transportado para casa em Seattle, Washington, como uma unidade do CortDiv 5 e completou oito patrulhas em várias estações do Sistema de Alerta Rápido por Radar no norte do Pacífico. Cada viagem durou aproximadamente 17 dias, e o navio manteve uma vigília 24 horas por dia com radares de busca aérea, rastreando e relatando todas as aeronaves que entravam ou se aproximavam do espaço aéreo do noroeste dos Estados Unidos. No Dia do Trabalho de 1957, Vance recebeu serviço de emergência - uma baixa de engenharia impediu o navio designado de sair - e partiu em 75 minutos rápidos. Embora ela só estivesse tripulada com 60 por cento de seu complemento (porque muitos de seus oficiais e homens estavam em terra em licença ou liberdade e não puderam ser notificados a tempo de retornar ao navio antes que ela levantasse âncora), Vance foi implantado por 12 dias e completou uma missão de sucesso.

Em 1º de junho de 1958, o porto de origem do navio de escolta de radar piquete foi alterado para Pearl Harbor; e ela começou a operar com CortRon 7. Um mês depois, ela partiu das águas do Havaí para uma patrulha de 29 dias nas linhas de piquete do meio do oceano que forneceram cobertura de radar do Alasca ao Atol Midway. O Vance tornou-se assim o primeiro navio da linha de Alerta Antecipado Distante (DEW) no Pacífico e o primeiro a navegar sob a recém-organizada patrulha de barreira do Pacífico. Em meados de janeiro de 1959, após revisão de rotina e treinamento de atualização em Pearl Harbor, Vance novamente tomou posição no trecho oceânico do Pacífico médio em seu segundo desdobramento de linha DEW.

Vance continuou a conduzir patrulhas regulares da linha DEW até maio de 1960, quando o CortRon 7 foi dissolvido. Naquela época, ela voltou para CortDiv 5 e serviu com sua antiga unidade em 1961. Na ocasião, o navio de piquete manteve os arrastões russos sob vigilância - sem dúvida, enquanto o navio comunista estava devolvendo o elogio.

No início de 1961, as capacidades de comunicação de Vance foram amplamente aumentadas durante uma reforma em Pearl Harbor. Depois de retomar as patrulhas da linha DEW no final da primavera, o navio recebeu pedidos em agosto de 1961 designando-o como uma estação marítima com TF-43, Operação "Deepfreeze 62". Com base temporária em Dunedin, Nova Zelândia, Vance serviu como um navio retransmissor de comunicação para aeronaves que traziam suprimentos vitais para as estações da Antártica da Nova Zelândia. Ela permaneceu na posição nas águas frias e desoladas do sul até março de 1962, quando voltou para casa via Melbourne, Austrália, e Papeete, Taiti, para Pearl Harbor. Ela logo retomou as funções na linha DEW e - exceto para interrupções periódicas para manutenção, reabastecimento e treinamento - dedicou-se à tarefa de operar principalmente ao largo das Ilhas Aleutas até fevereiro de 1965.

Em meados da década de 1960, com o advento de radar aprimorado e capacidades de alerta precoce, o navio de escolta de radar piquete estava rapidamente se aproximando da obsolescência. No entanto, à medida que os Estados Unidos intensificaram seus esforços para ajudar o governo do Vietnã do Sul no combate à agressão comunista interna e externa, o navio ganhou novo fôlego. No Vietnã, um navio dessa natureza pode ser inestimável para o trabalho de patrulha costeira. Assim, em fevereiro de 1965, Vance foi condenado ao

Pacífico Ocidental (WestPac). Em 26 de março de 1966, ele partiu de Pearl Harbor, na companhia de Brister (DER-327) e Forater (DER-3341, como Grupo de Trabalho (TG) 52.8, com destino às Filipinas.

No caminho de Subic Bay para as águas da costa do Vietnã, Vance resgatou o capitão Leland D. Holcomb USAF, que havia sido ejetado de um caça F-100 Super Sabre em chamas. Vance tomou posição na Operação "Market Time" em 11 de abril de 1965. A partir desse dia até o dia 24, ela operou próximo ao paralelo 17 como parte da Unidade de Tarefa (TU) 71.1.1. Durante a reunião, ela manteve a comunicação entre o Convair EC-121K Constellations aerotransportado e o comandante, TU 71.1.1, em John W. Thomason (DD-760). Posteriormente, de 16 de maio a 4 de junho, o alcance voltou a vigilância de superfície "Market Time" - desta vez no Golfo da Tailândia, perto da fronteira que divide o Vietnã do Sul do Camboja. Ela operou em companhia de pequenos caça-minas (MSO's) e embarcou um oficial de ligação da Marinha vietnamita para ajudar nas atividades de "visita e busca" do navio. Ela continuou essas atividades até navegar para o Havaí no início de setembro e chegou a Pearl Harbor no dia 18.

Vance voltou à estação "Market Time" em meados de janeiro de 1966, e então participou da Operação "Masher", a operação anfíbia projetada para limpar o norte da província de Binh Dinh dos insurgentes vietcongues. Em seguida, movendo-se para o Golfo da Tailândia mais uma vez, a escolta de destróieres conduziu operações de apoio próximo e logística com os PCFs da Marinha (barcos rápidos) e os WPBs da Guarda Costeira na interdição do tráfego de abastecimento costeiro comunista, frequentemente embarcando em 30 navios por dia.

Em operação em 11 de abril para patrulhar Cap de Ca Mau, a ponta mais meridional do Vietnã do Sul, Vance monitorou o tráfego de lixo costeiro e os navios de mar, levantando os padrões de tráfego no Mar do Sul da China. Mais tarde, ao largo de Binh Dinh, ela fechou a porta para investigar uma traineira e foi atacada pelo vietcongue em terra. Embora a pele da nave tenha sido ferida por balas, Vance rapidamente devolveu o fogo com sua bateria de 3 polegadas, afastando ou matando os atiradores invisíveis, mas pestíferos.

Em uma veia mais humanitária, Vance e um "Swift" resgataram 56 homens, mulheres e crianças de um barco inundado perto de Qui Nhon. Por várias horas, os homens de Vance limparam e alimentaram bebês; deixou as mulheres idosas o mais confortáveis ​​possível; e distribuíam cobertores, toalhas e comida. Aliviado por Haverfield (DER-393) no final de julho, Vance rumou para o Havaí e chegou até o estreito de San Bernardino antes de receber a ordem de retornar ao Vietnã para mais tarefas "Market Time". Em 6 de agosto, o Sunbird (ADG-383) dispensou a escolta do contratorpedeiro na estação e permitiu que Vance navegasse novamente através das Filipinas para Pearl Harbor.

Em 15 de janeiro de 1967, Vance retornou ao Extremo Oriente para outra implantação da 7ª Frota e libertou Koiner (DER-331) na foz do Rio Saigon. Mais uma vez, as funções de Vance envolviam a caça de veículos contrabandeados que tentavam se infiltrar do norte para entregar suas cargas ao vietcongue. Vance rastreou todos os navios do tamanho do oceano e parou e revistou juncos e sampanas - trabalho tedioso e frustrante, mas vital.

O navio conduziu mais duas patrulhas de "Tempo de Mercado" durante seu terceiro desdobramento do WestPac e, entre as missões, passou por um leilão disponível em Kaohsiung, Taiwan; descanso e recreação em Hong Kong; e manutenção em Subic Bay. No final de sua última missão "Market Time", ela patrulhou o estreito de Taiwan entre a China comunista e Taiwan antes de retornar a Pearl Harbor para uma revisão de rotina. No final de 1967, o navio iniciou seu desdobramento final no WestPac, no qual suas funções eram semelhantes às de seu terceiro desdobramento. Posteriormente, ela voltou para a costa oeste dos Estados Unidos no final de 1968 para inativação.

Colocado na reserva, nas Instalações de Navios Inativos de Vallejo, Vance foi descomissionado em 10 de outubro de 1969, retirado da lista da Marinha em 1 de junho de 1975 e programado para ser usado como alvo.

Vance recebeu sete estrelas de batalha por servir no Vietnã.


Vance DE-387 - História

Marinheiros de lata de lata
História do Destruidor

O contratorpedeiro da classe EDSALL escolta USS VANCE (DE-387) foi lançado em Houston pela Brown Shipbuilding em 16 de julho de 1943. Ela foi comissionada em 1 de novembro de 1943. Seu primeiro dever foi como carro-chefe da Divisão de Escolta (CortDiv) 45, uma Guarda Costeira -unidade tripulada transportando petroleiros de Port Arthur, Texas, para Norfolk e vice-versa. No início de 1944, ela se juntou ao Convoy UGS-33, liderado pelo USS BIBB (WPG-31), para a primeira das oito viagens de ida e volta de Nova York ao Mediterrâneo Ocidental. Ao largo de Oran, em 14 de maio de 1944, um submarino alemão conseguiu torpedear dois navios mercantes. Movendo-se da posição & # 8220whip & # 8221 onde estava pastoreando retardatários, o VANCE avistou o periscópio e tentou abalroar o submarino. O submarino mergulhou mais fundo, evitando a proa afiada da escolta. Nas dez horas seguintes, ela fez ataques de carga profunda e ouriço até que um esquadrão de destróieres assumiu o controle. Eles caçaram e afundaram o U-616 três dias depois. O VANCE saiu de Oran novamente em julho, quando ajudou a combater um ataque aéreo alemão. Além de segurar a posição do chicote e arrebanhar os perdidos, o VANCE carregava o médico da divisão, o que significava levar homens de outros navios para tratamento médico. Em 11 de maio de 1945, quatro dias após a rendição da Alemanha, ela capturou o U-873 à superfície e colocou a bordo uma tripulação que entregou o prêmio em Portsmouth, New Hampshire.

O VANCE logo foi encaminhado para o Pacífico, mas chegou após o fim das hostilidades. Ela voltou para Green Cove Springs, Flórida, onde, em 27 de fevereiro de 1946, foi colocada na reserva. Em novembro de 1955, ela foi reativada e entrou no Estaleiro Naval da Ilha Mare para a conversão em uma escolta de contratorpedeiro de piquete de radar, recebendo radar de busca aérea aprimorado, equipamento de comunicação e instalações para direção de caça. Designada DER-387, ela foi readmitida em 5 de outubro de 1956.
Em 1957, ela operou em Seattle, completando oito patrulhas nas estações do Radar Early Warning System no norte do Pacífico, mantendo uma vigilância 24 horas por dia, rastreando e informando todas as aeronaves que entram ou se aproximam do espaço aéreo dos EUA. Em junho de 1958, ela foi transferida para Pearl Harbor e, um mês depois, patrulhou as linhas de piquete no meio do oceano do Alasca a Midway, o primeiro navio da linha de Alerta Antecipado do Pacífico Distante (DEW) e o primeiro a navegar sob o recém-organizado Pacífico patrulha de barreira. Ela conduziu patrulhas regulares da linha DEW em 1961.

De agosto de 1961 a março de 1962, o VANCE tornou-se um navio de estação oceânica para a Operação Deepfreeze 62. Com base em Dunedin, Nova Zelândia, ele era um navio de retransmissão de comunicação para aeronaves que transportavam suprimentos vitais para as estações da Antártica. Ao voltar para casa, ela operou a linha DEW nas Ilhas Aleutas até fevereiro de 1965.

Em meados da década de 1960, ela e outras escoltas de contratorpedeiros de radar foram ameaçadas de obsolescência, mas o agravamento da situação no Vietnã ofereceu um alívio. Consequentemente, em março de 1965, ela navegou para o Vietnã de Pearl Harbor com o BRISTER (DER-327) e o FORSTER (DER-334), para iniciar patrulhas costeiras como parte da Operação Market Time. Ela operou perto do 17º paralelo, mantendo as comunicações entre as Constelações Convair EC-121K aerotransportadas e o comandante de sua unidade-tarefa no JOHN W. THOMASON (DD-760). Em maio e junho, sua vigilância no Market Time a levou ao Golfo da Tailândia, onde operou com pequenos caça-minas e embarcou um oficial de ligação da marinha vietnamita para ajudar nas atividades de visita e pesquisa do navio & # 8217s & # 8220.
Dezembro de 1965 marcou o início de um dos episódios mais polêmicos da história da Marinha dos Estados Unidos, quando o Tenente Cdr. Marcus Arnheiter assumiu o comando do VANCE. Noventa e nove dias depois, em 31 de março de 1966, Arnheiter foi destituído de seu comando. A disputa subsequente entre a marinha e Arnheiter durou mais de dois anos.
A história do VANCE da Marinha não faz nenhuma menção ao Caso Arnheiter, registrando apenas que depois que ela voltou ao dever de Market Time em janeiro de 1966, após o que ela participou da Operação Masher, uma operação anfíbia para limpar o norte da província de Binh Dinh dos insurgentes vietcongues . Ela mudou-se para o Golfo da Tailândia para operações de apoio próximo e logística com PCFs (barcos velozes) da Marinha e WPBs da Guarda Costeira interditando o tráfego de abastecimento costeiro comunista. O que se segue é um resumo do que não está registrado na história desses três meses.

Em abril, como resultado de uma investigação do chamado Caso Arnheiter, que se dizia ter sido uma reminiscência de situações descritas no Sr. Roberts e no Motim de Caim, a Marinha concluiu que era justificado na remoção de Arnheiter & # 8217s e na decidindo que ele nunca mais deveria receber uma ordem. No mar ou em terra. As razões para essa decisão foram muitas. Arnheiter violou suas instruções operacionais ao conduzir bombardeios & # 8220 sem ter recebido tais missões e sem saber no momento se as forças amigas ou dos EUA estavam nas proximidades. & # 8221 Ele embarcou em um navio estrangeiro sem autorização. Quando o VANCE deveria estar conduzindo as inspeções do Market Time, ele conduziu o apoio a tiros, encerrou as operações costeiras e falsificou seus relatórios de posição. Acreditava-se que ele usou o barco DE & # 8217s & # 8220scout & # 8221 e a baleeira a motor como & # 8220bait & # 8221 para atrair fogo da costa para que o VANCE pudesse retornar o fogo, não apenas violando a política, mas colocando em perigo o pessoal do navio & # 8217s nos barcos. O Secretário da Marinha estava especialmente preocupado com a tendência do comandante & # 8217s de & # 8220 se desviar de sua missão designada & # 8221, o que poderia ter & # 8220 consequências potencialmente desastrosas. & # 8221 Tais & # 8220 práticas irregulares & # 8221, e outras que seriamente desmoralizou sua tripulação, o que fez com que ele fosse destituído do comando do VANCE, que continuou a continuar seu recorde anterior de excelência.

Sob um novo comandante, em abril de 1966, ela patrulhou Cap de Ca Mau, o extremo sul do Vietnã do Sul, monitorando o tráfego ao longo da costa e no Mar da China Meridional. Mais tarde, ao largo de Binh Dinh, enquanto fechava para investigar uma traineira, ela foi atacada por vietcongues em terra. Ela sofreu danos insignificantes e sua bateria de 3 polegadas silenciou rapidamente os atiradores invisíveis. Em uma veia mais humanitária, o VANCE e a & # 8220Swift & # 8221 resgataram 56 homens, mulheres e crianças de um barco inundado perto de Qui Nhon.

Ela foi substituída pelo HAVERFIELD (DER-393) em julho de 1966, mas logo voltou para trabalhar no Market Time até agosto, quando o SURFBIRD (ADG-383) a substituiu. De volta à Sétima Frota em janeiro de 1967, o VANCE tirou o KOINER (DER-331) da foz do Rio Saigon para caçar veículos contrabandeados. Sua implantação final do WestPac em patrulhas de interdição foi no final de 1967 e no outono de 1968, ela retornou à Costa Oeste para descomissionamento na Instalação de Navios Inativos de Vallejo em 10 de outubro de 1969. O VANCE foi retirado da lista da Marinha em 1 de junho de 1975 e posteriormente afundado como um alvo. Ela recebeu sete estrelas de batalha por servir no Vietnã.

A partir de The Tin Can Sailor, Abril de 2008


Copyright 2001 Tin Can Sailors.
Todos os direitos reservados.
Este artigo não pode ser reproduzido em qualquer forma sem a permissão por escrito de
Marinheiros da lata de lata.


Dicionário de navios de combate navais americanos

Joseph Williams Vance, Jr .-- nascido em 4 de dezembro de 1918 em Memphis, Tenn .-- frequentou a Southwestern University (The College of the Mississippi Valley) em Memphis de 1936 a 1938 e, posteriormente, a University of Florida em Gainesville antes de se alistar no Reserva Naval em 26 de julho de 1940 como aprendiz de marinheiro. Depois de servir no Mar em Arkansas (BB-33) durante o final do verão e início do outono, ele foi nomeado aspirante em 22 de novembro e reportou a Prairie State (IX-15) para treinamento adicional.

Comissionado alferes em 28 de fevereiro de 1941, Vance chamou a frota asiática e juntou-se Parrott (DD-218) nas Ilhas Filipinas em 16 de abril. Seu navio conduziu manobras e exercícios no arquipélago filipino durante o verão do ano crítico de 1941 e, como a situação internacional continuou a ser "tensa e imprevisível", foi despachado em 24 de novembro com sua divisão - Destroyer Division (DesDiv) 58 - para Tarakan, Bornéu.

Logo depois que os japoneses atacaram Pearl Harbor em 7 de dezembro de 1941 (8 de dezembro a oeste da linha de data), Parrott e seus navios irmãos juntaram-se ao esforço americano-britânico-holandês-australiano (ABDA) para conter a maré japonesa que descia do norte. Parrott operou no arquipélago das Índias Orientais Holandesas até a queda de Java, participando de dois grandes combates - a Batalha do Estreito de Makassar (24 de janeiro de 1942) e a Batalha do Estreito de Badoeng (20 de fevereiro de 1942).

Por sua bravura durante a primeira ação, Ens. Vance foi premiado com a Estrela de Bronze. Como oficial de torpedos do navio, Vance estava encarregado da bateria de tubos de torpedo de 21 polegadas do contratorpedeiro - na verdade, a "bateria principal" da nave. Em 23 de janeiro, o DesDiv 58 iniciou uma abordagem final à cidade de Balikpapan, Bornéu, capturada apenas naquele dia pelos japoneses. As políticas holandesas de "terra arrasada" e um ataque aéreo holandês incendiaram a maioria das áreas vitais de armazenamento de petróleo, iniciando chamas que claramente destacavam os transportes japoneses próximos à costa.

Em 24 de janeiro, na fase inicial da Batalha do Estreito de Makassar, Vance e suas tripulações de torpedos tiveram azar. Todos os oito torpedos falharam na primeira corrida. A divisão mudou e tentou novamente - desta vez com sucesso. Três "peixes" correram direto e verdadeiro de Parrott's tubos na bateria do porto, afundando o transporte de 3.500 toneladas Sumanoura Maru. Em minutos, Parrott juntou-se a Papa (DD-225) e Paul Jones (DD-230) na entrega de um ataque de torpedo em Tatsukami Maru, furando-a e enviando-a para o fundo logo em seguida. Logo a força americana se retirou na confusão do corpo a corpo, enquanto o comandante japonês da área enviava suas escoltas em uma perseguição selvagem atrás de submarinos americanos!

A citação da estrela de bronze de Vance observou que ele havia habilmente disparado quatro salvas em uma batalha à queima-roupa, na qual uma ampla variedade de velocidades de alvo e abordagens foram usadas e direcionou o fogo por meio de uma visão aberta antiquada. Por sua "habilidade, desenvoltura e devoção ao dever", Vance contribuiu substancialmente para Parrott's desempenho na primeira vitória da Marinha dos Estados Unidos em ação de superfície - uma vitória tática na melhor das hipóteses - na guerra contra o Japão.

Parrott em seguida, continuou suas operações em defesa da barreira malaia, participando da Batalha do Estreito de Badoeng em 20 de fevereiro - uma ação que danificou o navio. O destruidor acabou em Fremantle com os restos da Frota Asiática espalhados pela Batalha do Mar de Java de 27 de fevereiro a 1 ° de março. Vance permaneceu em Parrott durante a primavera, quando foi promovido a tenente (grau júnior) em 15 de junho de 1942.

Enquanto as forças aliadas se reuniam para o ataque a Guadalcanal, controlada pelos japoneses, Vance recebeu ordens para o HMAS Canberra, como oficial de ligação com a Marinha australiana. Canberra, outrora a nau capitânia do esquadrão australiano, partiu de Wellington, Nova Zelândia, em 22 de julho, com destino a Guadalcanal e o que seria sua ação final. Em 8 de agosto, o cruzador australiano ajudou a rastrear os transportes americanos fora das praias de desembarque e, em seguida, aposentou-se à noite, na companhia de Chicago (CA-29), para uma posição de exibição noturna ao sul da Ilha de Savo.

Sem o conhecimento da força aliada, uma formação de cruzadores japoneses navegou sem ser detectada pela "Slot" entre as ilhas Guadalcanal e Savo. [Correção: a força japonesa foi localizada por vigilância aérea e reportada às forças do almirante Turner durante a tarde do dia 8]. Eles logo abriram fogo com armas (8 e 5,5 polegadas) e os temidos torpedos de "lança longa". Chicago levou um torpedo para frente, mas Canberra recebeu o pior castigo na forma de uma verdadeira chuva de granadas que logo a reduziu a um naufrágio em chamas. Durante o combate, o tenente (jg.) Vance foi morto em combate.

(DE-387: dp. 1.200 l. 306 'b. 36'7 "dr. 8'7" (média) s. 21 k. Cpll. 186 a. 3 3 ", 2 40 mm., 8 20 mm., 3 21 "tt., 2 dct., 8 dcp., 1 dcp. (Hh.) Cl. Edsall)

Vance (DE-387) foi estabelecido em 30 de abril de 1943 em Houston, Texas, pela Brown Shipbuilding Co., lançado em 16 de julho de 1943, patrocinado pela Sra. Joseph W. Vance, mãe do falecido tenente (jg.) Vance e encomendado em 1 de novembro de 1943, o tenente Comdr. E.A. Anderson, USCG, no comando.

Após a extinção das Bermudas, Vance tornou-se o carro-chefe da Divisão de Escolta (CortDiv) 45 - uma unidade tripulada pela Guarda Costeira - e transportou um grupo de petroleiros de Norfolk, Va., para Port Arthur, Texas, e de volta. Após seu retorno a Norfolk, ela serviu como um navio de treinamento para tripulações de escolta de destruidores enquanto esperava a chegada do resto de sua divisão.

Em fevereiro de 19844, o navio conduziu operações de escolta local antes de ingressar na seção de Nova York do Convoy UGS-33, com destino a Gibraltar. Sua seção se encontrou ao largo de Norfolk com o restante do comboio e sua nau capitânia, Bibb (WPG-31), e partiu para o outro lado do Atlântico. Em 7 de março, Vance partiu de Casablanca com o GUS-33 para a viagem de retorno e embarcou no Estaleiro da Marinha de Nova York no dia 23 para disponibilidade.

Vance em seguida, teve início em 12 de abril, com os outros navios do CortDiv 45 e uma divisão de escolta de contratorpedeiro tripulado pela Marinha, para rastrear os 102 navios mercantes do comboio UGS-39 para a Tunísia. Chegando a Bizerte em 3 de maio, o navio de guerra deixou as águas da Tunísia oito dias depois, com destino a Nova York com o GUS-39. Na costa de Oran, no dia 14, um submarino alemão passou pela tela de escoltas e torpedeou dois navios mercantes. Vance, segurando a posição de "chicote" da tela (onde ela tinha a função de pastorear retardatários) subiu pelo comboio, avistou o periscópio e tentou bater. O submarino "puxou o tampão" e mergulhou mais fundo, evitando a proa afiada da escolta.

Vance permaneceu no local por 10 horas, submetendo o submarino a ataques de carga de profundidade e ouriços, até ser resgatado por um esquadrão de destróieres da Marinha. Três dias depois, após uma extensa caçada, os navios de ajuda afundaram U-616.

Completamente, Vance fez oito viagens de ida e volta ao Mediterrâneo ocidental e seguiu cada uma com disponibilidade em Boston ou Nova York. Quatro vezes o navio se envolveu em exercícios de treinamento fora da baía de Casco - aprimorando suas habilidades anti-submarino e de artilharia. Em 14 de julho de 1944, Vance ajudou a repelir um ataque aéreo alemão contra um comboio aliado ao largo de Oran. Durante a maior parte das viagens, a escolta do contratorpedeiro ajudava na posição de "chicote" no comboio - um detalhe extenuante e às vezes frustrante, uma vez que os navios mercantes freqüentemente exibiam falta de disciplina e ficavam atrás do comboio. Levando o médico da divisão a bordo, Vance ocasionalmente levava a bordo homens de outros navios para tratamento médico.

Em 2 de maio de 1945, Vance partiu de Nova York com seu último comboio com destino ao Mediterrâneo. Na manhã de 11 de maio - quatro dias após a rendição de German -Vance avistou uma luz à frente no comboio e desligou a toda velocidade para investigar. Ao fechar a luz, a escolta do destróier descobriu um submarino na superfície, U-873, que estava no mar há 50 dias. Enquanto o submarino começou a funcionar, Vance saudou o antigo inimigo em alemão por megafone, ordenando aos submarinistas que atacassem. Vance colocou uma tripulação do prêmio a bordo do U-boat capturado que entregou o prêmio em Portsmouth, N.H., no dia 16.

Vance em seguida, sofreu alterações em seu armamento antiaéreo e logo partiu para o Pacífico. No entanto, ela chegou tarde demais para participar de qualquer coisa, exceto operações de treinamento e voltou para a costa leste para o descomissionamento. Em meados de outubro de 1945, ela passou por uma disponibilidade de pré-desativação antes de prosseguir para o sul para Green Cove Springs, Flórida. Em 27 de fevereiro de 1946, Vance foi desativado e colocado na reserva.

O navio permaneceu em "naftalina" pelos próximos nove anos, antes de ser rebocado para o Estaleiro Naval da Ilha Mare em novembro de 1955 para conversão em uma escolta de contratorpedeiro de piquete de radar. As extensas alterações envolveram o acréscimo de: radar de busca aérea aprimorado, amplo equipamento de comunicação e instalações completas para operações de direção de caça. Também implicava o fechamento de todas as áreas do convés principal a meia-nau para fornecer acomodações para oficiais e homens. Designado DER-387, Vance foi recomissionado em 5 de outubro de 1956 e Mare Island, Lt. Comdr. Albert M. Brouner no comando.

Entre março de 1957 e o final do ano, Vance foi transportado para casa em Seattle, Washington, como uma unidade de CortDiv 5 e completou oito patrulhas em várias estações do Sistema de Alerta Rápido por Radar no norte do Pacífico. Cada viagem durou aproximadamente 17 dias, e o navio manteve uma vigília 24 horas por dia, com radares de busca aérea, rastreando e relatando todas as aeronaves que entravam ou se aproximavam do espaço aéreo do noroeste dos Estados Unidos. No Dia do Trabalho de 1957, Vance chamou o serviço de emergência - uma vítima de engenharia impediu o navio designado de sair - e partiu em um rápido 75 minutos. Embora ela só fosse tripulada com 60 por cento de seu complemento (porque muitos de seus oficiais e homens estavam em terra de licença ou liberdade e não puderam ser notificados a tempo de retornar ao navio antes que ela levantasse âncora) Vance foi implantado por 12 dias e completou uma missão bem-sucedida.

Em 1 de junho de 1958, o porto de origem do navio de escolta de radar de piquete foi mudado para Pearl Harbor e ela começou a operar com CortRon 7. Um mês depois, ela partiu das águas do Havaí para uma patrulha de 29 dias nas linhas de piquete no meio do oceano que forneciam cobertura de radar do Alasca ao Atol de Midway. Vance assim, tornou-se o primeiro navio da linha de Alerta Antecipado Distante (DEW) no Pacífico e o primeiro a navegar sob a recém-organizada patrulha de barreira do Pacífico. Em meados de janeiro de 1959. após revisão de rotina e treinamento de atualização em Pearl Harbor, Vance mais uma vez tomou posição no trecho oceânico do meio do Pacífico em sua segunda implantação da linha DEW.

Vance continuou a conduzir patrulhas regulares da linha DEW até maio de 1960, quando o CortRon 7 foi dissolvido. Naquela época, ela voltou ao CortDiv 5 e serviu com sua antiga unidade em 1961. Ocasionalmente, o navio de piquete manteve os arrastões russos sob vigilância - sem dúvida, enquanto o navio comunista retribuía o elogio.

No início de 1961, De Vance as capacidades de comunicação foram amplamente aumentadas durante uma reforma em Pearl Harbor. Depois de retomar as patrulhas da linha DEW no final da primavera, o navio recebeu pedidos em agosto de 1961, designando-o como uma estação marítima com TF-43, Operação "Deepfreeze 62". Baseado temporariamente em Dunedin, Nova Zelândia, Vance serviu como um navio retransmissor de comunicação para aeronaves trazendo suprimentos vitais para as estações da Antártica da Nova Zelândia. Ela permaneceu na posição nas águas frias e desoladas do sul até março de 1962, quando voltou para casa via Melbourne, Austrália, e Papeete, Taiti, para Pearl Harbor. Ela logo retomou as funções na linha DEW e - exceto para interrupções periódicas para manutenção, reabastecimento e treinamento - dedicou-se à tarefa de operar principalmente ao largo das Ilhas Aleutas até fevereiro de 1965.

Em meados da década de 1960, com o advento de radar aprimorado e capacidades de alerta precoce, a nave de escolta de radar piquete estava se aproximando rapidamente da obsolescência. No entanto, à medida que os Estados Unidos intensificaram seus esforços para ajudar o governo do Vietnã do Sul no combate à agressão comunista interna e externa, o navio ganhou novo fôlego. No Vietnã, um navio dessa natureza pode ser inestimável para o trabalho de patrulha costeira. Assim, em fevereiro de 1965, Vance foi enviado para o Pacífico Ocidental (WestPac). Em 25 de março de 1965, ela partiu de Pearl Harbor, na companhia de Brister (DER-327) e Forster (DER-334), como Grupo de Trabalho (TG) 52.8, com destino às Filipinas.

No caminho de Subic Bay para as águas da costa do Vietnã, Vance resgatou o capitão Leland D. Holcomb, da USAF, que havia sido ejetado de um caça F-100 Super Sabre em chamas. Vance took station in Operation "Market Time" on 11 April 1965. From that day until the 24th, she operated near the 17th parallel as a part of Task Unit (TU) 71.1.1 During the assignment, she maintained communications between airborne Convair, EC-121K Constellations and Commander, TU 71.1.1, in John W. Thomason (DD-760). Subsequently, from 15 May to 4 June, Vance returned to "Market Time" surface surveillance--this time in the Gulf of Thailand near the border dividing South Vietnam from Cambodia. She operated in company with small minesweepers (MOSs) and embarked a Vietnamese Navy liaison officer to aid in the ship's "visit and search" activities. She continued these activities until sailing for Hawaii early in September and arrived at Pearl Harbor on the 18th.

Vance returned to "Market Time" station in mid-January 1966, and then participated in Operation "Masher," the amphibious operation designed to clear northern Binh Dinh province of Viet Cong insurgents. Next moving to the Gulf of Thailand once more, the destroyer escort conducted close-support and logistics operations with Navy PCFs (swift boats) and Coast Guard WPBs in interdicting communist coastal supply traffic, often boarding 30 vessels per day.

Underway on 11 April to patrol of Cap de Ca Mau, the southernmost tip of South Vietnam, Vance monitored coastal junk traffic and seagoing vessels, surveying traffic patterns in the South China Sea. Later, off Binh Dinh, she closed to investigate a trawler and came under fire from Viet Cong ashore. Although the ship's kin was pocked by bullets, Vance briskly returned the fire with her 3-inch battery, driving away or killing the unseen but pestiferous snipers.

In a more humanitarian vein, Vance and a "Swift" rescued 56 men, women, and children from a swamped boat near Qui Nhon. For several hours, Vance's men cleaned and fed babies made old women as comfortable as possible and gave away blankets, towels and food. Relieved by Haverfield (DER-393) late in July, Vance headed for Hawaii and got as far as the San Bernadino Strait before she was ordered to return to Vietnam for further "Market Time" duty. On 6 August, Surfbird (ADG-383) relieved the destroyer escort on station and allowed Vance to sail again via the Philippines for Pearl Harbor.

On 15 January 1967, Vance returned to the Far East for another 7th Fleet deployment and relieved Koiner (DER-331) off the mouth of the Saigon River. Once again, Vance's duties involved hunting for contraband-carrying craft attempting to infiltrate from the north to deliver their cargoes to the Viet Cong. Vance tracked all ocean-sized vessels and stopped and searched junks and sampans--tedious and frustrating but vital work.

The ship conducted two more "Market Time" patrols during her third WestPac deployment and, between missions, underwent a tender availability at Kaohsiung, Taiwan rest and recreation at Hong Kong and upkeep at Subic Bay. At the end of her last "Market Time" assignment, she patrolled the Taiwan Strait between communist China and Taiwan before returning to Pearl Harbor for routine overhaul. In late 1867, the ship began her final WestPac deployment in which her duties were similar to those of her third deployment. She subsequently returned to the west coast of the United States late in 1968 for inactivation.

Placed in reserve, at the Inactive Ship Facility, Vallejo, Vance was decommissioned on 10 October 1969, struck from the Navy list on 1 June 1975, and scheduled to be used as a target.

Vance received seven battle stars for service in Vietnam. Transcribed and formatted for HTML by Patrick Clancey, HyperWar Foundation


Suppressed book [ edit | editar fonte]

Journalist Neil Sheehan wrote a book titled The Arnheiter Affair in 1971, including a little-known indicium that Arnheiter, prior to his enrollment in the Naval Academy, had briefly been enrolled in the United States Military Academy at West Point, New York. & # 918 e # 93 The Arnheiter Affair was well received. Η] Litigation, however, brought by Arnheiter for libel and slander caused the book to be removed from print. & # 9110 & # 93


Thursday, August 1, 2019

Announcing the VFA Reunion in St. Louis, Oct 10-12 2019


The Vance Family Association holds a biennial (every two years) reunion and for 2019 the reunion dates will be October 10th through the 12th (checkouts on the 13th) in St. Louis, Missouri at the Pear Tree Inn near Union Station.

St. Louis is served by Lambert International Airport which is 18 miles from the Pear Tree Inn. There is a Metro Link which will take you from the airport to downtown Union Station for $4 and the hotel is a few blocks from Union Station. There are also a number of shuttle services (e.g. Go Best Express 314-222-5300) at the airport that range from $20-$25 per person one way and $38-$45 per person for two people round-trip to and from the hotel. If you are driving there is free parking for guests at the hotel but please register first in case you need a parking pass.

A block of rooms have been reserved at the hotel at $120/night plus 18% hotel tax reservations must be made by September 8th and are subject to availability.

The hotel website is at https://www.druryhotels.com/locations/st-louis-mo/pear-tree-inn-st-louis-near-union-station. When you register online, use Group number 2383329 for the VFA room rate. Reservations can also be made by calling 1-800-325-0720 and referring to the Group number 2383329. Individual reservations must be canceled before 12:00pm on the day of arrival in order to avoid a non-refundable fee equal to one night’s room rate plus tax.

To attend the VFA reunion meetings you do need to be a current VFA member. Membership is $15 which includes electronic delivery of newsletters or $20 for postal delivery, and you can find more about membership and sign-up online or by mail starting at the VFA’s website at http://vancefamilyassociation.org/membership/.

Alternatively if you would prefer not to pay for 2019 membership you may also attend the reunion for a $15 fee which will also be applied as dues for the 2020 membership year the only restriction there is you would not have a current member’s voting rights at the 2019 business meetings. If you would like to select this choice please contact me at [email protected]

The VFA’s dinner banquet and business meeting will be held on Saturday evening, October 12th at Lombardo’s Italian Restaurant, a 5-minute walk from the hotel. Dinner is an extra cost and menu selection and costs will be collected in advance details were provided in the latest VFA newsletter but you can also contact me at [email protected] if you would like to attend the dinner.

After dinner the VFA holds a business meeting to vote on officer positions, review financials, and handle other association business. This will be followed by a talk by the VFA’s DNA Advisor (that’s me!!) about the genetic genealogy of our Vance lines and an update on what we’ve learned through DNA analysis. Whether you’re already a member of our DNA project or just curious about what you can learn from DNA, this will be the opportunity to find out more!

Before Saturday evening the VFA members generally meet in smaller groups to compare genealogy research or talk about Vance-related items of interest, or take advantage of local tourism or genealogy research opportunities. If you want any tips for your own research, compare notes with anyone, or just want to collaborate with very experienced genealogists who are passionate about Vance genealogy, you won’t find a better time or place to do it!

So if you can make it to St. Louis between Oct. 10th and 12th 2019, please consider spending time at the VFA’s annual reunion. If you have any questions or need more information please feel free to contact me at [email protected]


1 thought on &ldquo LT.(jg) Joseph William Vance Jr., USNR &rdquo

I’m very interested in World War II history. My father served in the USMC Jan. 1943 – November 1945. I’m a Baby Boomer born in 󈧴. I served 16 years in the USNR as a Selected Reservist 8 years in Reserve Mobile Construction Battalion – 28 (Navy Seabees) as Engineering Aid 2nd Class (1980-88). I sat out 1 year and rejoined USNR in 1989 serving in the Naval Air Reserve (1989-97) at NAS Memphis as an Aviation Ordnanceman 2nd Class (AO2) in unit VP-67, and then VR-60.

Deixe uma resposta Cancelar resposta

Este site usa Akismet para reduzir o spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


Conteúdo

Joseph Williams Vance Jr. was born on 4 December 1918 in Memphis, Tennessee. He enlisted in the Naval Reserve on 26 July 1940 as an apprentice seaman. After serving at sea on the USS Arkansas during the late summer and early fall, he was appointed midshipman on 22 November and reported to Prairie State (IX-15) for further training.

Commissioned ensign on 28 February 1941, Vance joined USS Parrott in the Philippine Islands on 16 April. Soon after the Japanese attacked Pearl Harbor on 7 December (8 December west of the date line), Parrott joined the American-British-Dutch-Australian effort to stem the Japanese tide sweeping down from the north.

During the 24 January 1942 Battle of Makassar Strait, Vance was in charge of the destroyer's 12-tube battery of 21-inch torpedo tubes—in effect the ship's "main battery." On 23 January, DesDiv 58 began a final approach to the town of Balikpapan, Borneo, captured only that day by the Japanese. On 24 January, in the initial phase of the Battle of Makassar Strait, three of Parrott's torpedoes sank the 3,500-ton transport Sumanoura Maru. Within minutes, Parrott teamed up with USS Papa and USS Paul Jones to sink Tatsukami Maru com torpedos. For his gallantry during the first action, Vance was awarded the Bronze Star. He remained on Parrott through the spring, when he was promoted to lieutenant (junior grade) on 15 June 1942.

As Allied forces gathered for the assault on Japanese-held Guadalcanal, Vance received orders to HMAS Canberra as a liaison officer with the Royal Australian Navy. On 8 August, the Australian cruiser helped to screen American transports off the landing beaches. That night, Canberra was sunk in the Battle of Savo Island, and Vance was killed in action.


USS Vance (DE 387)

Decommissioned 27 February 1946.
Loaned to the United States Coast Guard and (re)commissioned by them as WDE-487 on 15 May 1952.
Returned to the U.S.N. and decommissioned 16 June 1954.
Reclassified as DER-387 on 21 October 1955.
Recommissioned 5 October 1956.
Decommissioned 10 October 1969.
Stricken 1 June 1975.
Sunk as a target in 1985.

Commands listed for USS Vance (DE 387)

Observe que ainda estamos trabalhando nesta seção.

ComandanteA partir dePara
1Lt.Cdr. Eric A. Anderson, USCG1 de novembro de 194331 de maio de 1944
2Frank V. Helmer, USCG31 de maio de 194415 Jun 1945
3Joseph james McClelland, USCG15 Jun 194527 Feb 1946

Você pode ajudar a melhorar nossa seção de comandos
Clique aqui para enviar eventos / comentários / atualizações para esta embarcação.
Por favor, use isto se você detectar erros ou quiser melhorar esta página de navios.

Links de mídia


Facebook

In February 1944, the ship began trans-Atlantic escort operations. Altogether, VANCE made eight round-trip voyages to the western Mediterranean, and followed each with availability at either Boston or New York. On 14 July 1944, VANCE helped to fight off a German air attack against an Allied convoy off Oran. On 2 May 1945, VANCE departed New York with her last Mediterranean-b ound convoy. On the morning of 11 May (four days after Germany had surrendered), VANCE sighted a surfaced U-boat, U-873. VANCE placed a prize crew on board the captured U-boat, who delivered the prize to Portsmouth, N.H., on the 16th.

VANCE then underwent alterations to her antiaircraft armament, and soon got underway for the Pacific. However, she arrived too late to participate in anything but training operations, and returned to the east coast for decommissioning . In mid-October 1945, she underwent pre-deactivatio n availability, before proceeding south to Green Cove Springs, Fla. On 27 February 1946, VANCE was decommissioned and placed in reserve.

VANCE's was one of 12 DE’s transferred to the Coast Guard during 1951-52, and was recommissioned into the Coast Guard as a Cutter, designated WDE487 on 9 May 1952. She was stationed at Honolulu, and served on Ocean Station from 2-23 August 1953, and again on 4-24 October 1953. She was decommissioned on 3 April 1954 and returned to the Navy.

In November 1955, VANCE was towed to the Mare Island Naval Shipyard for conversion to a radar picket destroyer escort. Designated DER-387, VANCE was recommissioned on 5 October 1956 at Mare Island, with LCDR Albert M. Brouner in command. Between March of 1957 and the end of the year, VANCE was homeported at Seattle.

On 1 June 1958, her homeport was changed to Pearl Harbor. She completed eight patrols on various DEW Line stations in the northern Pacific. She participated in Operation "Deepfreeze 62." Temporarily based at Dunedin, New Zealand, VANCE served as a communication relay ship for aircraft bringing in vital supplies to the Antarctic stations from New Zealand. She remained on station in the cold, bleak, southern waters into March 1962, when she headed home to Pearl Harbor. She soon resumed duties on the DEW-line, operating mainly off the Aleutian Islands through February 1965.

In the mid-1960's, with the advent of improved radar and early-warning capabilities, the radar picket escort ship was rapidly approaching obsolescence. However, the Vietnam War gave the ships a new lease on life. In Vietnam, a ship of this nature could be invaluable for coastal patrol work. Accordingly, on 25 March 1965, she sailed from Pearl Harbor, in company with BRISTER (DER-327) and FORSTER (DER-334), bound for Vietnam
En route from Subic Bay to waters off the coast of Vietnam, VANCE rescued the pilot of an F-100 fighter plane that had ditched.

VANCE took station in Operation "Market Time" on 11 April 1965. From that day until the 24th, she operated near the 17th parallel Subsequently, from 15 May to 4 June, VANCE returned to "Market Time" surface surveillance. This time she was in the Gulf of Thailand, near the border dividing South Vietnam from Cambodia. She continued these activities until sailing for Hawaii early in September, and arrived at Pearl Harbor on the 18th.

VANCE returned to "Market Time" station in mid-January 1966, now under the command of LCDR Marcus Arnheiter, who was relieved ninety days after taking command. During this time period, she participated in Operation "Masher," the amphibious operation designed to clear the northern Binh Dinh province of Viet Cong insurgents. Next, moving to the Gulf of Thailand once more, the destroyer escort conducted close-support with patrol craft conducting “Market Time” inspections.

In August, VANCE headed for Hawaii, and stayed there until 15 January 1967. Then VANCE returned to the Far East for another 7th Fleet deployment, and relieved KOINER (DER-331) off the mouth of the Saigon River. The ship conducted two more "Market Time" patrols during her third WestPac deployment. At the end of her last "Market Time" assignment, she patrolled the Taiwan Strait between communist China and Taiwan, before returning to Pearl Harbor for routine overhaul.

In late 1967, the ship began her final WestPac deployment, in which her duties were similar to those of her third deployment. She subsequently returned to the west coast of the United States late in 1968 for inactivation. Placed in reserve, at the Inactive Ship Facility, in Vallejo, VANCE was decommissioned on 10 October 1969, struck from the Navy list on 1 June 1975. She was utilized as a target by the Pacific Missile Test Range until finally sunk in 1985.

The photo shows VANCE moored inboard of HAVERFIELD (DER393) at Pearl Harbor circa 1964. Photo by Tom Jaras.


Zebulon B. Vance Birthplace

Explore daily life on an early 1800s plantation in the Blue Ridge Mountains. Step inside a 1790s slave dwelling and hear the stories of the women and men who were enslaved by the Vances. Take a tour through the reconstructed birthplace of Zebulon B. Vance to discover how the environment and society of Western North Carolina shaped his political career.

Tucked into the picturesque Reems Creek Valley, our site features seven historic and reconstructed buildings as well as a visitor center with interactive exhibits. Visitors can take a guided tour of the site, browse our exhibits, and conclude their visit with lunch in our picnic shelter—featuring panoramic views of the Blue Ridge Mountains


Assista o vídeo: USS VANCE DER 387 slide show (Outubro 2022).

Video, Sitemap-Video, Sitemap-Videos