Novo

Cidade do Vaticano

Cidade do Vaticano


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

A história do Vaticano como sede da Igreja Católica começou com a construção de uma basílica sobre St. A área tornou-se um popular local de peregrinação e distrito comercial, embora tenha sido abandonada após a mudança da corte papal para a França em 1309. Após o A igreja voltou em 1377, marcos famosos como o Palácio Apostólico, a Capela Sistina e a nova Basílica de São Pedro foram erguidos dentro dos limites da cidade. A Cidade do Vaticano foi estabelecida em sua forma atual como nação soberana com a assinatura dos Pactos de Latrão em 1929.

A área ao largo da margem oeste do rio Tibre que compreende o Vaticano já foi uma região pantanosa conhecida como Ager Vaticanus. Durante os primeiros anos do Império Romano, tornou-se uma região administrativa povoada por vilas caras, bem como um circo construído nos jardins da mãe do imperador Calígula. Depois que grande parte de Roma foi arrasada em um incêndio em 64 d.C., o imperador Nero executou São Pedro e outros bodes expiatórios cristãos na base da Colina do Vaticano, onde foram enterrados em uma necrópole.

Tendo abraçado o Cristianismo com o Édito de Milão em 313, o Imperador Constantino I começou a construir uma basílica sobre o túmulo de São Pedro em 324. A Basílica de São Pedro tornou-se um centro espiritual para peregrinos cristãos, levando ao desenvolvimento de moradias para clérigos e à formação de um mercado que se tornou o próspero distrito comercial de Borgo.

Após um ataque de piratas sarracenos que danificou São Pedro em 846, o Papa Leão IV ordenou a construção de um muro para proteger a basílica sagrada e seus arredores associados. Concluída em 852, a parede de 12 metros de altura encerrou o que foi inaugurada a Cidade Leonina, uma área que cobre o atual território do Vaticano e o distrito de Borgo. As paredes foram continuamente ampliadas e modificadas até o reinado do Papa Urbano VIII na década de 1640.

Embora o pontífice vivesse tradicionalmente no vizinho Palácio de Latrão, o papa Symmachus construiu uma residência adjacente à Basílica de São Pedro no início do século 6. Foi expandido centenas de anos depois por Eugene III e Innocent III, e em 1277 uma passagem coberta de meia milha de comprimento foi montada para ligar a estrutura ao Castel Sant'Angelo. No entanto, os prédios foram todos abandonados com a mudança da corte papal para Avignon, França, em 1309, e no meio século seguinte a cidade caiu em ruínas.

Após o retorno da Igreja Católica em 1377, o clero procurou restaurar o brilho da cidade murada.
Nicolau V por volta de 1450 iniciou a construção do Palácio Apostólico, eventualmente a residência permanente de seus sucessores, e sua coleção de livros tornou-se a fundação da Biblioteca do Vaticano. Na década de 1470, Sisto IV começou a trabalhar na famosa Capela Sistina, apresentando afrescos criados por artistas renomados da Renascença como Botticelli e Perugino.

Mudanças significativas na cidade ocorreram depois que Júlio II se tornou papa em 1503. Júlio encomendou a Michelangelo a pintura do teto da Capela Sistina em 1508 e o arquiteto Donato Bramante projetou o Pátio do Belvedere. O pontífice também decidiu demolir a Basílica de São Pedro, de 1.200 anos, e fazer com que Bramante construísse uma nova em seu lugar.

A morte de Julius em 1513 e Bramante no ano seguinte levou a uma disputa de décadas sobre como continuar o projeto, até que Michelangelo encerrou o impasse em 1547 com sua escolha de seguir o projeto original de Bramante. Giacomo della Porta concluiu a célebre cúpula de São Pedro em 1590 e o trabalho na grande estrutura foi finalmente concluído em 1626. Medindo 150 metros de altura e abrangendo 5,7 acres, a nova Basílica de São Pedro permaneceu como a maior igreja do mundo até a conclusão da da Costa do Marfim. Basílica de Nossa Senhora da Paz de Yamoussoukro em 1989.

Os Museus do Vaticano se originaram da coleção de esculturas de Júlio II, sua primeira galeria aberta ao público pelo Papa Clemente XIV em 1773 e ampliada pelo Papa Pio VI. Os papas subsequentes continuaram a reforçar as coleções renomadas ao longo dos anos, com o Museu Egípcio Gregoriano, o Museu Etnológico e a Coleção de Arte Religiosa Moderna e Contemporânea entre as adições.

Os papas tradicionalmente detinham o poder sobre os territórios regionais conhecidos como Estados Papais até 1870, quando o governo italiano unificado reivindicou praticamente todas as terras fora dos muros da cidade. Um impasse entre a Igreja e o governo secular se seguiu pelos 60 anos seguintes, até um acordo alcançado com os Pactos de Latrão em fevereiro de 1929. Assinado por Benito Mussolini em nome do Rei Victor Emmanuel III, os pactos estabeleceram a Cidade do Vaticano como uma entidade soberana distinta de a Santa Sé, e concedeu à Igreja $ 92 milhões como compensação pela perda dos Estados Pontifícios.

O Vaticano continua sendo a casa do papa e da Cúria Romana, e o centro espiritual de cerca de 1,2 bilhão de seguidores da Igreja Católica. O menor estado-nação independente do mundo, cobre 109 acres dentro de uma fronteira de 2 milhas e possui outros 160 acres de propriedades em locais remotos. Junto com os edifícios e jardins centenários, o Vaticano mantém seus próprios sistemas bancários e telefônicos, correios, farmácia, jornais e estações de rádio e televisão. Seus 600 cidadãos incluem membros da Guarda Suíça, uma segurança encarregada de proteger o papa desde 1506.


Cidade do Vaticano

A Cidade do Vaticano é uma extensão de terra aproximadamente triangular dentro de Roma, na margem oeste do Rio Tibre e a oeste do Castelo de Santo Ângelo. Em seu canto sudeste está a praça da Igreja de São Pedro Igreja de São Pedro,
Cidade do Vaticano, principal e uma das maiores igrejas do mundo cristão. A estrutura atual foi construída principalmente entre 1506 e 1626 no local original do cemitério do Vaticano e um dos primeiros santuários de São Pedro. No 4º cent.
. Clique no link para mais informações. , rodeado pela esplêndida colunata. Ao norte da piazza está uma área quadrangular contendo edifícios administrativos e o Parque Belvedere. A oeste do Parque Belvedere ficam os palácios pontifícios e, além dos palácios, estão os Jardins do Vaticano, que constituem a metade da área do pequeno estado. A Muralha Leonina forma os limites oeste e sul.

Na cidade de Roma existem certas basílicas, igrejas e outros edifícios importantes aos quais o governo italiano estende os direitos de extraterritorialidade e isenção de impostos, mas não a soberania papal. As basílicas incluem San Giovanni in Laterno (São João de Latrão Latrão
, nome aplicado a um grupo de edifícios de SE Roma em frente à Piazza San Giovanni. Eles estão em terras outrora pertencentes aos Laterani, que foram apresentadas à Igreja por Constantino.
. Clique no link para mais informações. ), Santa Maria Maggiore (Santa Maria Maior) e San Paolo fuori le Mura (São Paulo fora dos Muros). O palácio de San Calisto, ao pé do Janículo, também compartilha a imunidade do Vaticano, assim como a residência papal de verão em Castel Gandolfo, nas colinas Albanas, fora de Roma.

A Cidade do Vaticano tem sua própria cidadania, emite sua própria moeda e selos postais, e tem sua própria bandeira e um grande corpo diplomático. Está aberto a visitantes durante todo o ano, e o papa recebe ligações em audiências públicas e privadas. Tem seu próprio jornal (Osservatore Romano), estação ferroviária e instalação de transmissão (primeiro estabelecido por Marconi sob Pio XI). As sete universidades do Vaticano, incluindo a Pontifícia Universidade Gregoriana, estão localizadas em Roma. A liberdade política do Vaticano é garantida e protegida pela Itália.

Governo Civil e da Igreja

O governo civil da Cidade do Vaticano é chefiado pelo cardeal presidente da Pontifícia Comissão para a Cidade do Vaticano, que é a legislatura do estado. O estado é regido pela Lei Fundamental de 2000. O sistema jurídico é baseado no direito canônico direito canônico,
na Igreja Católica Romana, o corpo da lei baseado na legislação dos concílios (ecumênicos e locais) e dos papas, bem como dos bispos (para questões diocesanas).
. Clique no link para mais informações. , e os tribunais fazem parte do sistema judicial da igreja. O único tribunal especial para a Cidade do Vaticano é um tribunal de primeira instância para casos civis e criminais que surjam na cidade.

O Vaticano é, acima de tudo, a sede do governo central da Igreja Católica Romana Igreja católica romana,
Igreja cristã chefiada pelo papa, o bispo de Roma (ver papado e Pedro, São). Seu título mais comum de uso oficial é Santa Igreja Católica e Apostólica.
. Clique no link para mais informações. . Por causa do papado papado
, escritório do papa, chefe da Igreja Católica Romana. Ele é papa por ser bispo de Roma e, portanto, de acordo com a crença católica romana, sucessor na Sé de Roma (a Santa Sé) de seu primeiro bispo, São Pedro.
. Clique no link para mais informações. Devido ao vasto interesse em assuntos temporais e espirituais, uma elaborada burocracia foi desenvolvida ao longo dos séculos. O papa governa a igreja com o Colégio dos Cardeais cardeal
[Lat., = Anexado e, portanto, "pertencente" à dobradiça], na Igreja Católica Romana, um membro do corpo mais elevado da igreja. O sagrado colégio cardinalício da Santa Igreja Romana é o colégio eleitoral do papado. Seus membros são nomeados pelo papa.
. Clique no link para mais informações. . Ele pode agir como quiser sem o consentimento deles, mas na prática ele confia nos cardeais tanto para conselho quanto para administração do governo da igreja. Todo o corpo administrativo em torno do papa e responsável perante ele é denominado Cúria Romana.

A corte papal teve por muito tempo todas as características de uma corte real, como rituais e uniformes elaborados e regras complexas de precedência, no entanto, desde o reinado do Papa João XXIII (1958 & # 821163) e o Concílio Vaticano II, muitas das cerimônias do Vaticano foram muito simplificados. O guarda-costas do papa é o corpo da Guarda Suíça Guardas Suíços,
Mercenários suíços que lutaram em vários exércitos europeus a partir do século 15. até o 19º cent. Esses mercenários, que não eram voluntários, foram colocados à disposição de potências estrangeiras por tratados (chamados de capitulações) entre a dieta suíça, os cantões separados,
. Clique no link para mais informações. , fundada no século 16. e formado por um pequeno grupo de suíços católicos romanos. Seus membros vestem os esplêndidos uniformes renascentistas desenhados por Michelangelo.

Os palácios e os tesouros do Vaticano

Os palácios do Vaticano são uma massa irregular de edifícios de três e quatro andares, construídos em linhas simples e longas e interrompidos por acréscimos e alterações. A residência papal e os escritórios ocupam a parte próxima à colunata, e o restante é entregue aos museus e à Biblioteca do Vaticano. Os museus do Vaticano estão entre os mais importantes do mundo, eles são o Museu Pio-Clementino, fundado no século XVIII. e contendo uma das maiores coleções de antiguidades do mundo, o Museu Chiaramonti, fundado no início do século XIX. e detém uma coleção de esculturas gregas e imitações renascentistas do Braccio Nuovo, considerado por muitos o mais belo de todos os museus do Museu Egípcio e do Museu Etrusco, em frente ao Braccio Nuovo e à Pinacoteca Vaticana (inaugurada em 1932), que contém pinturas de Giotto, Guercino, Caravaggio, Poussin e outros.

Os museus, no entanto, abrigam apenas parte do tesouro do Vaticano, pois muitas das pinturas renascentistas e modernas são encontradas nas galerias que cercam os vários pátios, como a Cortile del Belvedere e a Cortile San Damasco. Ao lado do Cortile San Damasco está o edifício que contém os apartamentos Borgia no primeiro andar e os quartos Raphael no segundo. As obras de Rafael e seus seguidores no prédio fazem dele um dos monumentos artísticos mais famosos do mundo. A Biblioteca do Vaticano fica ao longo do lado oeste do Giardino della Pigna e Cortile del Belvedere. É um dos repositórios mais ricos do mundo de manuscritos antigos e medievais em muitos idiomas. A capela principal do Vaticano é a Capela Sistina Capela Sistina
[para Sisto IV], capela particular dos papas em Roma, uma das principais glórias do Vaticano. Construída (1473) sob o Papa Sisto IV, é famosa por suas decorações. De longe, as realizações mais conhecidas na capela são obra de Michelangelo.
. Clique no link para mais informações. , cujo teto foi pintado (1508 & # 821112) por Michelangelo.

História

A história do Vaticano como residência papal data do século V, quando, depois que o imperador Constantino I construiu a basílica de São Pedro, o papa Símaco construiu um palácio nas proximidades. O papa geralmente residia no Palácio de Latrão até o "cativeiro da Babilônia" (séc. XIV) em Avignon, França. Após o retorno do papado a Roma (1377), o Vaticano se tornou a residência habitual. Os papas da Renascença, principalmente Sisto IV Sixtus IV
, 1414 & # 821184, papa (1471 & # 821184), um italiano chamado Francesco della Rovere (nascido perto de Savona) sucessor de Paulo II. Foi nomeado general de sua ordem, os franciscanos, em 1464 e tornou-se (1467) cardeal.
. Clique no link para mais informações. , Inocêncio VIII Inocêncio VIII,
1432 & # 821192, papa (1484 & # 821192), um genovês chamado Giovanni Battista Cibo, sucessor de Sixtus IV. Ele foi nomeado cardeal em 1473. Seu amigo íntimo, o cardeal Giuliano della Rovere (mais tarde Papa Júlio II), dirigia em grande parte os assuntos papais.
. Clique no link para mais informações. , Alexandre VI Alexandre VI,
1431? & # 82111503, papa (1492 & # 82111503), um espanhol (b. J & aacutetiva) chamado Rodrigo de Borja ou, em italiano, Rodrigo Borgia sucessor de Inocêncio VIII. Ele tomou Borja como sobrenome do irmão de sua mãe, Alfonso, que era o Papa Calisto III.
. Clique no link para mais informações. , Julius II Julius II,
1443 e # 82111513, papa (1503 e # 821113), um italiano chamado Giuliano della Rovere, b. Sucessor de Savona de Pio III. Seu tio Sisto IV deu-lhe muitos cargos e o criou cardeal.
. Clique no link para mais informações. , Leo X Leo X,
1475 & # 82111521, papa (1513 & # 821121), um florentino chamado Giovanni de 'Medici, sucessor de Júlio II. Ele era filho de Lorenzo de 'Medici, foi nomeado cardeal em sua infância e foi o chefe de sua família antes dos 30 anos (ver Medici).
. Clique no link para mais informações. , e Clemente VII Clemente VII,
c.1475 & # 82111534, papa (1523 & # 821134), um florentino chamado Giulio de 'Medici, sucessor de Adriano VI. Ele era sobrinho de Lorenzo de 'Medici e, portanto, primo-irmão do Papa Leão X.
. Clique no link para mais informações. , foram grandes patronos das artes, e foram eles que começaram a reunir as grandes coleções e a construir as maravilhosas galerias. Gregory XIII Gregory XIII,
1502 & # 821185, papa (1572 & # 821185), um italiano chamado Ugo Buoncompagni, b. Sucessor de Bolonha de São Pio V. Ele é mais conhecido por seu trabalho no calendário, e o calendário reformado, o Gregoriano, leva seu nome.
. Clique no link para mais informações. e Sixtus V Sixtus V,
1521 & # 821190, papa (1585 & # 821190), um italiano (b. Perto de Montalto) chamado Felice Peretti sucessor de Gregório XIII. Ele entrou na ordem franciscana na juventude.
. Clique no link para mais informações. gastou grandes somas no Vaticano e também deu início ao Quirinal, um palácio que serviu como residência papal do século 17 ao 19, foi o palácio real italiano de 1870 a 1946, e agora é a casa do presidente da Itália.

Bibliografia

Veja M. T. Bonney, O Vaticano (fotos com explicações, 1940) K. Isper, Arte vaticana (1953) R. Neville, O mundo do vaticano (1962) P. M. Letarouilly, Vaticano (2 vol., 1954 & # 821164) A. Lipinsky, O Vaticano (trad. 1968) N. Lo Bello, A Riqueza do Vaticano (1971).


Conteúdo

Período Romano Editar

Existem poucos exemplos de arquitetura romana na Cidade do Vaticano. No século 4 dC, o imperador Constantino I construiu uma basílica sobre um pequeno santuário que se acredita marcar o local do sepultamento de São Pedro. [1] A basílica de Constantino é a antecessora da Basílica de São Pedro. [2] As janelas eram pequenas e mais altas do solo, o que tornava a basílica um lugar escuro com luz sombria, tornando o ambiente misterioso. [3] Em termos do aspecto estético da arquitetura romana, a basílica de Constantino reflete as características da arquitetura romana é enorme e complexa, enfatizando o contraste entre a luz e a escuridão (permitindo que a luz brilhe do pequeno orifício da estrela da manhã), mas a decoração do edifício é simples e tosca. [4] Em termos de processamento técnico, a basílica de Constantino reflete o desenho e a construção dos edifícios românicos baseados em abóbadas, cobrindo o espaço com uma estrutura curva de pedras. A basílica de Constantino também reflete a forma de arte da arquitetura romana tem uma relação primária e secundária em que o edifício é dominante, enquanto outras atividades artísticas, como pintura, escultura estão em uma posição subsidiária. [5] [6]

Renascença (século 14 a 16) Editar

O início da Renascença (século 14–15) ocorreu em Florença, seguido por uma Renascença Romana de meados do século 15 a meados do século 16. A Biblioteca do Vaticano e a Capela Sistina foram construídas no século XV. [7] O Papa Nicolau V iniciou em 1447 a construção do Palácio Apostólico, fundou a Biblioteca do Vaticano e encomendou ao arquiteto Bernardo Rossellino o projeto da nova Basílica de São Pedro e ao pintor Fra Angelico a decoração da Capela Niccolina. [2] [8]

Em 1471, o Papa Sisto IV encomendou a construção de uma nova capela, a Capela Sistina, que é uma das principais atrações dentro dos Museus do Vaticano, com a decoração pictórica de artistas como Sandro Botticelli e Pietro Perugino, que mais tarde em 1508 Michelangelo Buonarroti repintado por ordens do Papa Júlio II. [7] Essas arquiteturas refletem as características do século 15 em que a maioria dos edifícios parecem pátios, três andares, construídos na rua, o plano tende a ser compacto e arrumado, e apenas uma fachada se destaca na forma. [9] Sob o patrocínio do papa, o apogeu do Renascimento (primeira metade do século 16) ocorreu no centro histórico de Roma, que agora faz parte da Cidade do Vaticano.

Durante o Renascimento, o impacto da cultura secular no feudalismo e na teologia religiosa despertou gradualmente a humanidade. [10] A grande declaração da libertação humana nega completamente o dogma teológico. Lute contra o poder da igreja feudal e busque o apoio e a orientação da cultura clássica. Estes influenciam a estrutura da arquitetura, como a Igreja de São Pedro. [11] A arquitetura transformada em um estilo majestoso, masculino, monumental, eixo e composição centralizada é freqüentemente usada para criar uma imagem arquitetônica solene, e o nível do projeto arquitetônico é muito melhorado. "Base de tambor" sendo usada sob a cúpula da maioria da arquitetura na Cidade do Vaticano durante a Renascença e resistir ao impulso do lado da cúpula usando o contorno sagitta pontiagudo da cúpula e a estrutura do esqueleto, que refletem o símbolo da quebra da autocracia espiritual na arquitetura.

A estrutura da arquitetura baseia-se na técnica de pequenas igrejas da Europa Oriental, usa a base do tambor para construir a cúpula e se torna o centro do contorno da cidade. É o símbolo do espírito original da Renascença. [12] Independentemente de sua estrutura ou construção, a estrutura da cúpula que marca o progresso geral da ciência e da tecnologia na Renascença.

Sob o Renascimento, a cultura do humanismo e a nova arquitetura reavivam a cultura clássica. Há outra característica que é a combinação de cidade e praça. A reconstrução da cidade durante o Renascimento buscou uma simetria solene e muitas soluções urbanas ideais surgiram. Os arquitetos alcançaram grande sucesso com o quadrado durante o Renascimento. [13] A praça geralmente tem um tema, cercada por edifícios auxiliares. Por exemplo, a Praça de São Pedro é religião e a Basílica de São Pedro cercava a Praça de São Pedro. Em termos de edificação única, o método de projeto é inovador, e há muitas novas criações, design gráfico rigoroso, simetria, equilíbrio, desenvolvimento de acordo com o eixo, e a fachada também é regular, como é o caso da Basílica de São Pedro com coluna clássica em vez de usar o estilo gótico que simboliza os deuses. [13] Este método inovador se tornou uma importante modelagem arquitetônica durante o século XVI. Todo o Casino de Pio IV, [14] o Cortile del Belvedere e os palácios do Vaticano que consistem na capela Sistina, salas de Rafael, apartamentos Borgia e salão clementino e o Cortile del Belvedere foram construídos antes do final do século 16, sob a direção de seguindo o gênio dos mesmos arquitetos que construíram São Pedro e os mesmos papas. [15]

Período barroco (século 17 a 18) Editar

No século 16, a aristocracia feudal aumentou seu poder e o poder democrático dos cidadãos enfraqueceu. A organização sob a liderança do Papa tentou eliminar as novas idéias e conceitos desde a Renascença, restaurar o prestígio e o status da Igreja e dar início a um movimento de reforma anti-religiosa. Portanto, a arte barroca foi usada pelo papa. No século XVII, houve alguns conflitos e lutas existentes entre o antigo catolicismo e o protestantismo. As forças do antigo catolicismo usaram a violência para suprimir os crentes e, em seguida, usaram ativamente a arte do barroco para confundir as mentes dos crentes e convencê-los. O estilo da arquitetura barroca não rejeita o sentimento de alegria da heresia, mas também foi fiel à visão de mundo cristã chamada "Renascença Cristianizada", que refletia o pensamento secular de busca da liberdade. [16]

A igreja de estilo barroco é magnífica, que conduz um entorno muito místico. Isso era consistente com o espírito do papa de exibir sua riqueza e perseguir o mistério. A decoração do estilo arquitetônico barroco sempre tenta levar os ideais humanos ao culto do catolicismo. Além disso, o estilo de arquitetura barroco foi usado pela corte e pela nobreza. [17] O hedonismo ocupa a maior parte, e os assuntos do catolicismo também são cheios de espírito secular. A Basílica de São Pedro, concluída no século 17, era como uma concha da igreja. A decoração interior e exterior da Basílica de São Pedro foi iniciada por Bernini no século XVIII. Murais de teto em grande escala, efeitos ilusórios de pintura ilusória, uma mistura de pintura que combinava escultura, pintura e arquitetura para criar um efeito de ilusão no palco.

Os corredores do Vaticano e da Basílica de São Pedro (1663-1666) exageram o efeito de perspectiva ao se estreitar gradativamente, ao mesmo tempo, com a iluminação, levando ao dramático efeito visual de distância que reflete a arquitetura do estilo barroco enfatizando o sentido do espaço e da tridimensionalidade dos edifícios. [16] Embora a construção da Casina Pio IV tenha começado no século 16, sua decoração é influenciada pelo estilo barroco.

Sob o papa Pio VI (1775-99), mudanças consideráveis ​​foram feitas na parte da fonte contra a parede, e um jardim foi construído na Casina. A arquitetura barroca também enfatiza a luz que projeta e adota a luz artificial em vez da luz natural, criando um ambiente dramático. Arquitetos e artistas com fundos suficientes usaram uma grande quantidade de ouro, prata e cobre para bordar, decorado com várias pilastras. [18]

Edição do século 19

No século 19, não havia método e estilo de arquitetura inovadores. Os arquitetos continuaram a usar métodos arquitetônicos no século 18 para construir alguns edifícios, como o Braccio Nuovo.

Edição do século 20

A fim de se adaptar à globalização e ao desenvolvimento da religião e da administração da Cidade do Vaticano, [19] algumas arquiteturas modernas foram construídas durante o século 20, como o palácio do governo.

Durante o século 20, a Cidade do Vaticano começou a restaurar algumas décadas de edifícios sob o patrocínio dos ricos. A renovação da Basílica de São Pedro foi em 1981-1999, que inclui esfregar camadas de sujeira acinzentada, trazer cores para a Basílica de São Pedro e consertar algumas partes da Basílica de São Pedro. [20] O maior contribuinte do fundo de restauração são os Cavaleiros de Colombo. [21] A restauração da Capela Sistina no museu do Vaticano começou em 1964, mas foi interrompida em 1974 e continuou o trabalho de restauração em 1980. [22]

Edição do século 21

A Cidade do Vaticano fechou a biblioteca do Vaticano em 2007 e reabriu em 2010. O trabalho de restauração da biblioteca do Vaticano levou três anos e US $ 11,5 milhões. [23]

O plano geral da Cidade do Vaticano é um quadrilátero irregular. O edifício principal, a Igreja de São Pedro e a praça ocupam a maior parte da seção sul da metade oriental da Cidade do Vaticano. [24] A Capela Sistina no noroeste da Igreja de São Pedro fica em frente ao salão do vislumbre do Papa no oeste. O pátio do Palácio Belvedere, os Museus do Vaticano e o Correio Central são os principais edifícios na metade oriental da cidade. Os Jardins do Vaticano ocupam a maior parte do nordeste da Cidade do Vaticano. [24] Do layout geral da Cidade do Vaticano, é diferente do layout urbano "centralizado" tradicional, que é representado em Florença durante o Renascimento e também diferente do layout equilibrado das cidades modernas. As características óbvias da Cidade do Vaticano são a divisão e oposição de leste e oeste, representadas pela metade oriental da cidade centrada na Basílica de São Pedro e na Capela Sistina e a metade ocidental da cidade dominada pelos Jardins do Vaticano. [24] Isso significa que a área de negócios e religiosa e a área de vida das pessoas foram separadas. A separação entre a área religiosa e a área de convivência reflete que nenhum cidadão confia exclusivamente em Deus para penitência e superstição, nem simplesmente se entrega ao mundo e desiste do uso de orientação e persuasão religiosa. [24] A separação entre o religioso e o local de moradia também representa que a vida religiosa de Deus e a vida real dos seres humanos coexistem na Cidade do Vaticano, mas é distinta no espaço.

De acordo com o território do Vaticano, existem poucas arquiteturas construídas no período antigo. A maior parte da arquitetura começou a ser construída no período antigo, que é a antecessora da arquitetura existente nos séculos XVI-XVIII. As arquiteturas da Idade Média estão localizadas principalmente na parte sudeste do Vaticano, como a Basílica de São Pedro. As arquiteturas do século 16 estão no meio da Igreja de São Pedro e ao norte do pátio do Palácio de Belvedere. As arquiteturas como a Praça de São Pedro no século 17 estão principalmente no sudeste da Cidade do Vaticano. Os edifícios do século XVIII ao XIX foram construções rodeadas pela igreja, incluindo guaritas e gabinetes que se distribuíam dispersos. Os novos edifícios, como correios, bancos e a recepção do papa no século 20, principalmente no nordeste e sudoeste da Cidade do Vaticano.


O Vaticano na Idade Média

Após a queda do Império Romano em 476, a colina tornou-se a residência dos papas. O Papa Symmachus construiu um palácio no final do século V, onde os líderes políticos e religiosos podiam ficar.

O Vaticano costumava ter mais terras do que apenas a Cidade do Vaticano. (Fonte: lena1)

Durante o tempo de Constantino e do reino dos lombardos, os papas receberam muitas doações, principalmente propriedades de terras, ao longo dos séculos, tornando o papa um dos maiores proprietários de terras da Europa. Isso ajudou a legitimar o poder da Igreja Católica Romana e do Vaticano. Imperador Constantino, dei ao Papa Silvestre soberania sobre a Igreja Oriental e Poder Imperial sobre o Ocidente. Sylvester, em teoria, estava feliz por possuir todas essas províncias do Império Romano Ocidental. Em 1440, isso foi mostrado para ser uma fabricação.

No século VIII, as doações de Pepino, o Curto em 754 e de Carlos Magno em 774 ajudaram a criar os Estados Papais, que estavam sob a autoridade do papa de 752 a 1870. As doações resultaram em terras anteriormente ocupadas pelos lombardos que foram entregues a o papa e legitimar seu poder. O falso documento de Doação de Constantino ajudou a legitimar os Estados Papais e serviu aos interesses dos Carolíngios.

Após o Tratado de Veneza em 1177, os Estados Papais tornaram-se independentes do Sacro Império Romano. Os Estados Papais no século 14 reinaram sobre a Itália central: Roma, Ostia, Sabina, Ancona e enclaves no Reino de Nápoles e Avignon.


História da Cidade do Vaticano

Cidade do Vaticano.

A Cidade do Vaticano pertence ao continente europeu e é um pequeno país com uma área de apenas 44 hectares.

Se falarmos sobre a população deste país, você ficará surpreso em saber que apenas cerca de 1000 pessoas vivem no país.

Apesar de ter uma população tão pequena, este país é reconhecido internacionalmente e não só este país também tem as suas próprias moedas, os seus correios e a sua própria rádio, etc. E também tem a sua própria moeda que também é válida na Itália. História da Cidade do Vaticano

A famosa Igreja Católica Romana e guru religioso da comunidade cristã neste país também é o Papa, devido ao qual sua popularidade é muito elevada. A Cidade do Vaticano é um país independente localizado na cidade de & # 8216Roma & # 8217 da Itália. A língua materna da Cidade do Vaticano é & # 8216Latino & # 8217. O presidente da Cidade do Vaticano é geralmente o cardeal da Igreja Católica. História da Cidade do Vaticano.

Se falamos sobre o governo da Cidade do Vaticano, a regra aqui é a monarquia. Os papas são os reis aqui e têm o poder e a autoridade do judiciário, executivo e legislativo. O Papa nomeia o presidente deste país por cinco anos. História da Cidade do Vaticano.

Acordo da Cidade do Vaticano

Whatsup University

Em 1929, a Itália, em acordo com a Igreja Católica Romana, cedeu à área cerca de 108 acres de terra ao redor do Grande Templo de São Pedro, e o considerou totalmente independente. O Vaticano é reconhecido internacionalmente. Tem sua própria bandeira, sua cidadania, sua própria moeda, seu próprio departamento postal. Tem o seu próprio jornal, estação ferroviária e instalações de radiodifusão. A independência da Cidade do Vaticano é protegida por Roma. A moeda aqui também opera na Itália.

A Cidade do Vaticano opera em toda a comunidade cristã do mundo

Da Cidade do Vaticano, o Papa conduz a Igreja Católica Romana espalhada por todo o mundo. O governo público da Cidade do Vaticano é chefiado por um cordial. A lei e a ordem são baseadas na teologia e o tribunal faz parte da igreja. O Papa, controla a Igreja através do Colégio dos Cordinais. O papa é livre para tomar todos os tipos de decisões, mas confia no cordinal em todos os assuntos e pede conselhos deles. Os guarda-costas do Papa & # 8217 são um contingente de guardas suíços que foram estabelecidos no século 16. Seus membros usam um vestido desenhado por Michael Angelo. Leia mais sobre a história de Ayodhya

Após o século 5, o Vaticano se tornou a residência do Papa. Quando o imperador Constantino I construiu o Grande Templo de São Pedro, o Papa Cimaco construiu um palácio perto dele. O Papa geralmente residia no Palácio Latron, na França. O Vaticano se tornou sua residência oficial quando o Papa chegou a Roma em 1377. Todos os papas eram amantes da arte, colecionaram muitos artefatos e construíram galerias enormes. Sobre Jerusalém Israel. História da Cidade do Vaticano.


Vida politica

Governo. The basic law is the Code of Canon Law. Church councils meet approximately once per century. Bishops' synods meet periodically and offer advice, but the day-to-day running of the Vatican

Liderança e funcionários políticos. There are no political parties, but the positions held by the clergy and the laity cover a wide spectrum of opinion, although those positions are not always equally represented. There is an elaborate code of etiquette for approaching officials. Generally, go-betweens are used to arrange meetings. Much is done informally. There is a feeling that consensus should be reached before decisions are published. Therefore, things are discussed at length before the pope speaks officially.

Problemas sociais e controle. There is little crime, and the typical problems are disputes over religious doctrine and governance. Strict statements and actions regarding conformity to doctrine, including censorship and the silencing of dissidents, have alternated with attempts at persuasion and expressions of conciliation.

Atividade militar. The Vatican is officially neutral in world affairs but can mediate disputes if invited to do so. Swiss guards in medieval uniforms protect the pope and the city.


Vatican City — History and Culture


Despite the 16th century construction of St Peter’s Basilica, it wasn’t until the late 1920s that the Vatican became an independent state and the residence of the Pope. Yet much of the architecture and art within Vatican City is the result of centuries of construction and collection, making the city-state an immensely important repository of culture.

História

Since the decline of the Roman Empire and the diminishing of Byzantine power in Italy, Popes have been the de facto rulers of Rome as well as many other parts of Italy. These Papal States were largely seized in the mid-19th century when the Kingdom of Italy was formed, with Rome itself annexed in 1870. Disputes between the Popes and Italy were resolved with the 1929 Lateran Treaties, which created Vatican City. Before this point, Popes largely resided in Avignon or at the palaces of Lateran or Quirinal.

The site of Vatican City was used by Roman Emperor Nero for the Circus of Nero in the 1st century AD. The obelisk in St Peter’s Square originally marked the center of the circus, with the circus having been the location of St Peter’s as well as many other Christian martyrs’ deaths by crucifixion during Roman persecution. The tomb of St Peter later became the location of St Peter’s Basilica under the order of Constantine. However, Papal palaces did not appear near the site until the 5th century.

With Vatican City declared as an independent state in 1929, it became the global heart of Roman Catholicism. Because of its special status, it was not occupied during WWII like the rest of Rome. It is governed by an absolute elective monarchy, with the Pope the principal executive, legislative, and judicial power, and the only absolute monarch in Europe. He is elected for life by and assisted by cardinals who are appointed for five-year terms, with the current Pope, Benedict XVI, having been elected in 2005. The state is not a member of the UN, but the Holy See is a permanent observer. The Vatican has no army but it employs Swiss Guards to protect the Pope, a tradition which begun in the early 16th century.

St Peter’s Basilica was constructed on the site of St Peter’s tomb over 300 years after his death (69 AD) under the order of Emperor Constantine. Rebuilding of the church began in the late 15th century, marking the start of a period of construction that spanned more than a century and ended with the present building. In 1950, Pope Pius XII announced the discovery of St Peter’s tomb after more than a decade of archeological research. The present Baroque style St Peter’s Square came later, between 1656 and 1667, and incorporated the obelisk and a fountain by Bernini.

Around the same time that St Peter’s Basilica reached completion, the Vatican Museums were established by Pope Julius II. Today, the museums span the Sistine Chapel where works by Michelangelo can be appreciated and the Stanze della Segnatura, which features decoration by Raphael. Together, these museums attract more than five million people annually.

Cultura

With its museums and basilica housing items of immense cultural importance, it is no wonder Vatican City has been declared a UNESCO World Heritage site. Indeed, it contains some of the globe’s most prized artworks, from Michelangelo’s frescos in the Sistine Chapel to Raphael’s decorations in the Stanze della Segnatura. Additionally, the Vatican Library protects hundreds of works of historical, cultural, and scientific importance.

This tiny Papal state requires its visitors to show reverence and respect toward the Roman Catholic Church. This means sleeveless or navel- or bust-revealing shirts as well as those which feature profanities shorts, above-knee length skirts, and excessive jewelry are not permitted to be worn within Vatican territory. Hats should be removed before entering St Peter’s Basilica. Smoking is banned, as is the use of cell phones.

One of the most visually stunning experiences visitors can have in Vatican City is attending one of the Pope’s Sunday or Wednesday appearances, or his Easter or Christmas blessings. Such open-air masses in St Peter’s Square attract huge crowds.


Vatican City History and Facts

The Vatican as a location and name – Vaticanus – has been in use since the 1st century AD at least.

Originally not thought to be a nice area, the Romans began to gentrify and drain the area. Aqui, Emperors built spectacular Vatican gardens, circuses and villas. In the Circus of Nero, the Egyptian Obelisk that stands proudly in St Peter’s Square was erected. Nearby, pagan gods were honoured with statues and monuments.

In 326 AD, a basilica was erected on the site. It is believed to be the resting place of St Peter. At this point, the Vaticanus began to transform into the state we know and love today. As Christianity took hold in Italy, the power of the “Papal States” began to grow. However, it was only after 1377 and the return to Rome from Avignon that the pope’s formal residence became the Vatican.


History of the Vatican

Vatican City is the spiritual and physical centre of Catholicism and the residence of the religion’s head, the Pope. With a tiny population of 800 people, and guarded by the world’s smallest army, the city nonetheless welcomes some 5 million visitors a year, including devout pilgrims and curious tourists from around the globe.

Since its construction began in the 5th century the city has survived destructive wars as well as several radical re-designs. The city we see today is a mere fraction of the size of the many territories previously controlled by the Catholic Church, the governing body of which is the Holy See. Historically, these Papal States made up a large portion of the central Italian Peninsula, before the unification of Italy in 1871 reduced them to essentially the confines of the Vatican walls. In its modern form the Vatican City State has existed since 1929, when the Kingdom of Italy granted its independence. In this treaty, the Holy See and the Vatican City State were defined as two distinct entities – the former is a legally recognised sovereign entity, the religious organisation, while the latter is the country itself with physical borders and a government.

The head of both the Vatican City and the Holy See is the Pope. Officially he is also known as the Bishop of Rome Vicar of Jesus Christ Successor of the Prince of the Apostles Supreme Pontiff of the Universal Church Sovereign of the State of Vatican City and more. In their role as the head of the Catholic Church, popes have used the Vatican as their residency since the 5th century. Built upon the supposed burial site of Saint Peter (one of Jesus’ disciples), it holds great religious significance for Christians, and the modern building is a wonder of Renaissance architecture, filled with artistic masterpieces.

However, during more turbulent times the papacy faced grave opposition, and, during the 14th century in particular, rival factions challenged its legitimacy. Rival popes, also known as ‘antipopes’, were set up as challengers to the Pope in Rome, with one such reigning in Avignon (which today is in France) from 1378. During this period the papacy was heavily involved in European politics, authorising and even taking part in wars on neighbouring states.

In the 15th century Pope Julius II fortified the city with thick walls and commissioned a unit of Swiss Guard for his personal protection, a tradition that continues to this day. Religion and faith often did not stand in the way of Europe’s kings declaring war against the Pope, and in 1527 the city came under attack and was conquered by a mutinous army of Charles V, Holy Roman Emperor. In 1808 the city was again under threat after Napoleon occupied Rome.

Having annexed the rest of the Papal States, the French army even kidnapped Pope Pius VII, who remained captive until 1814. The centuries since have witnessed the final decline of the Church’s territories, and since the 20th century the Vatican City remains the only state belonging to the papacy – nonetheless, its long history and traditions remain a global fascination to millions.


Vaticano

The Vatican, or Holy See, is contained within the sovereign city-state of Vatican City. It is important to understand the difference between Vatican City and the Holy See, which is technically the seat of the Bishop of Rome, more commonly referred to as the Pope. The history of the Vatican as a sovereign city-state dates back to the year 1929, while the Vatican as the main seat of the Catholic Church goes back to the fourteenth century. Rome, however, has been important as a center for the faith since early Christianity, long before it was the official seat and the primary Episcopal see over one billion Catholics around the world.

There are many things you have the option of seeing when you visit the Vatican. St. Peter's Basilica is a top destination in Vatican City for most people who make the trip. You can visit the chapel and attend mass, both free of charge. If you want to visit the Dome, climb to the top, and enjoy the panoramic view of Vatican City, it will cost you something in the neighborhood of 10 Euro. It goes without saying that the Vatican Museums are treasures where visitors will find some of the most important works of Renaissance and Classical art, as well as art and artifacts that date back to Roman antiquity.

The Papal Tombs and Vatican Grottoes are another popular stop for people taking guided tours of Vatican City. For a modest fee you can explore the Vatican Necropolises and St. Peter's Tomb. Another alluring activity for people visiting the Vatican is taking part in the Papal Audience in St. Peter's Square, where you actually get to hear an address from the Pontiff himself.

Rome Map

Vatican City and its various buildings and churches including St. Peter&rsquos Basilica, the Apostolic Palace, and the Sistine Chapel are not only religious and spiritually significant centers for the Catholic Church, but also some of the most popular tourist attractions in Europe. In recent years, Rome has ranked in the top five of the most visited cities in the entire European Union. The Vatican, designated by UNESCO as a World Heritage Site, is officially referred to as &ldquothe Properties of the Holy See in that City Enjoying Extraterritorial Rights and San Paulo Fuori le Mura.&rdquo Among other internationally known attractions including the Colosseum, Circus Maximus, and Pantheon, it is one of the destinations that draws millions of eager visitors to the city each and every year.

The history of the Vatican as a papal residence dates all the way back to the fourth century when Constantine built St. Peter&rsquos Basilica. In turn, Pope Symmacchus built a palace nearby in the fifth century. Popes had habitually resided in the Lateran Palace, and in later years, the Quirinal Palace. From 1309 to 1377 the residence of the Pope was in Avignon, France.

The history of the Vatican, however, centers around Rome from the year 1377 forward, and pursuant Popes would take painstaking, and extremely expensive measures to develop what would ultimately become modern-day Vatican City. Particularly, the Popes during the Renaissance who took a great interest in the arts developed the grounds and buildings of Vatican City and began to commission the gathering of vast collections of books and art and the construction of the magnificent galleries that now pepper the grounds. Sixtus IV, Innocent VIII, Julius II, and Gregory the XIII are all examples of papal leaders who led the push to embellish and develop the Vatican.

The Vatican, as a sovereign city-state, has not only its own administrative factions, but also its own governmental representatives that can hold diplomatic and other talks with other international representatives. It was granted sovereignty from the Empire of Italy, made official in the Lateran Treaty of 1929. If you are planning a visit to Rome, it is possible to take part in a whole variety of tours of the Vatican that take you inside the interesting history and development of the seat of the Church. Besides seeing all of the magnificent attractions like St. Peter&rsquos Basilica, you also get explanations and information from the well-trained guides that explain the history of the Vatican and its various treasures.


The Papal States are the territories on the East Coast of the former United States under the sovereign direct rule of the pope, from the fall of the United States around the turn of the twentieth century to the present. The Papal States are one of the regional powers of the Chesapeake Bay, controlling the city of Washington, as well as much of the surrounding area. Several towns, baronies, and other holdings outside Washington are also held by the pope, creating an intricate network of holdings which pay tribute directly to the pope.

The Papal States were born out of the former United States, viewed by the modern world as an ancient empire and continent spawning government. Following a violent coup in Washington, the Papal States were established by Chester Hale Fitzgerald, built on the beliefs of a new religion, which would later become Unionism. The Pope claims however that his power originates from the American Empire, which supposedly granted the first pope complete power over the empire via the Donation of Lincoln, a forged American imperial decree. The document has since been used in support of claims of political authority by the papacy. Know your history…read more here:


Assista o vídeo: O GRANDE SEGREDO DO VATICANO (Outubro 2022).

Video, Sitemap-Video, Sitemap-Videos