Novo

The Oak Room, Castelo Malahide

The Oak Room, Castelo Malahide


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.


Castelo Malahide

O Castelo de Malahide data do final do século XII. Situa-se em 260 hectares de parque na atraente vila costeira de Malahide. Tendo sido uma fortaleza e casa por quase 800 anos, possui uma longa herança e uma fascinante combinação de estilos arquitetônicos.

O Castelo de Malahide foi originalmente construído por Robert Talbot por volta de 1185. Ele era um aventureiro normando que veio com o rei Henrique II durante a década de 1170. Como recompensa por seu serviço militar, em 1174 Robert recebeu as terras do último governante Viking de Dublin - a área ao redor de Malahide.

A família Talbot viveu no castelo por quase 800 anos de 1185 a 1976.


Conteúdo

A propriedade existe desde 1185, quando Richard Talbot , um cavaleiro que acompanhou o rei Henrique II da Inglaterra à Irlanda em 1174, recebeu as "terras e o porto de Malahide" por ele. As partes mais antigas do castelo datam do século 12 e a família Talbot viveu lá por 791 anos, de 1185 a 1976, com uma exceção de 1649 a 1660, quando Oliver Cromwell cedeu a propriedade para Miles Corbet após a reconquista da Irlanda. Corbet foi enforcado após a dispensa de Cromwell e o castelo retornou aos Talbots. Durante o reinado do rei Eduardo IV (1461-1483), o castelo foi significativamente expandido e em 1765 as torres foram adicionadas.

A propriedade sobreviveu a perdas como a Batalha de Boyne, quando 14 membros da família do proprietário foram para o grande salão para o café da manhã e todos estavam mortos naquela noite. Ele também sobreviveu ao Leis Penais (leis contra católicos e outros “apóstatas” da Igreja Anglicana), mesmo que a família tenha permanecido católica até 1774.

Em 1918, durante a Primeira Guerra Mundial, um local de decolagem e pouso para dirigíveis foi estabelecido no terreno do castelo, usado pelos dirigíveis da Base Aérea de Anglesey no País de Gales, que lançaram ataques contra submarinos no Mar da Irlanda. Foi planejado estacionar aeronaves aqui a partir de 1919, mas esse plano foi abandonado no final da guerra.

Na década de 1920, os registros particulares de James Boswell foram descobertos no castelo e os bisnetos de Lord Talbot de Malahide os venderam ao colecionador americano Ralph Heyward Isham (1890–1955).

No final das contas, o 7º Barão Talbot herdou o Castelo de Malahide e sua propriedade e, quando ele morreu em 1973, o castelo caiu para sua irmã '' Rose ''. Rose vendeu o castelo à República da Irlanda, também para poder pagar o imposto sucessório. Grande parte da instalação, incluindo móveis em particular, teve que ser pré-vendida, causando uma disputa pública significativa, mas colecionadores privados e o estado conseguiram salvar parte dela.


The Oak Room, Castelo de Malahide - História

O núcleo do castelo medieval é a sala de carvalho, abordada por uma escadaria de pedra em caracol e iluminada por janelas góticas adicionadas em 1820, quando a sala foi ampliada e o hall inferior foi criado. A sala contém finos painéis esculpidos, em sua maioria datados do século XVI, que escureceram até se tornar um ébano reluzente. Algumas das esculturas são de origem flamenga, incluindo seis painéis requintados que representam cenas bíblicas em frente à janela, seu tema religioso sugere que os Talbots, que permaneceram católicos romanos até 1774, usaram esta sala como uma capela na época penal. Segundo a tradição, a escultura flamenga da coroação da virgem sobre a lareira desapareceu quando o castelo foi ocupado pelo cromwelliano Miles Corbet entre 1653 e 1660.

Felizmente para os Talbots, o desagradável Corbet foi um dos regicidas que assinou a sentença de morte de Carlos I e, após a Restauração, foi devidamente enforcado, puxado e esquartejado em Tyburn. Samuel Pepys registrou a ocasião em seu diário em 19 de abril de 1662: "Esta manhã, antes de nos sentarmos, fui a Aldgate e na loja da esquina, uma cortina, me levantei e vi Barkestead, Okey e Corbet atraídos para a forca." Os Talbots voltaram a Malahide e a figura da virgem fez uma reaparição milagrosa acima da lareira. Até 1976, a sala continha o gabinete de ébano de James Boswell, no qual foram encontradas mais de 1.000 páginas manuscritas da Vida de Johnson de Boswell na década de 1920.

As grossas paredes da sala de carvalho são ladeadas no lado leste pelo grande salão, adicionado ao castelo por volta de 1475. Único na Irlanda, este grande salão não apenas manteve sua forma original, mas também permaneceu em uso doméstico como sala de jantar até 1976. A sua armação abobadada e as cabeças dos consolos de Eduardo IV são originais, mas durante o século XIX recebeu um novo telhado, cornijas e uma galeria de menestréis. A mobília e as pinturas datam principalmente dos séculos XVII e XVIII. A magnífica mesa de trinta e cinco pés vem de Powerscourt, mas muitos outros itens são originais, incluindo o núcleo dos retratos ancestrais do Talbot adquiridos pela National Gallery - uma coleção que é incomum, já que a maioria dos ancestrais dos Talbot eram jacobitas em vez de seus apoiadores do rei Guilherme, que costuma decorar as casas de campo irlandesas.

Algumas fotos valiosas foram perdidas nesta sala em 1976, mas a National Gallery conseguiu adquirir um muito bom John Michael Wright de Lady Catherine e Lady Charlotte Talbot. Para substituir as imagens perdidas ao longo da parede lateral, a National Gallery emprestou a enorme 'Batalha de Boyne' de Wyck - uma imagem excelente que não só se adequa a esta sala visualmente, mas é historicamente apropriada na manhã da Batalha de Boyne quatorze primos Talbot , todos os seguidores de James II, reunidos aqui para jantar - nenhum sobreviveu à carnificina do dia.


Castelo Malahide

O castelo e os terrenos de Malahide compreendem 109 ha (270 acres) de parque natural ondulado. A área foi sensivelmente melhorada com a adição de passeios, áreas de piquenique, parque infantil, campos de jogos, campo de críquete, quadras de tênis, campo de golfe par 3 de 9 buracos, campo de golfe de 18 buracos e putt e banheiros. O fato de que a propriedade deste terreno era da mesma família por 800 anos torna este parque único. Os Talbots residiram aqui de 1185 até 1975. A parte mais antiga do castelo atual é uma torre do século XIV em forma de torreões. O Grande Salão foi adicionado em 1475 com adições subsequentes realizadas dos séculos XV ao XIX. As principais salas em exibição são a Sala Carvalho, o Grande Salão, a Sala de Estar, a Biblioteca, o Berçário e os quartos.

A Coleção Nacional de Retratos da Galeria Nacional da Irlanda está alojada neste belo ambiente, adicionando um interesse incomensurável à casa. As adições modernas incluem um posto de turismo, restaurante, cafeteria e loja de artesanato. Um museu construído especificamente nos jardins do castelo abriga a Fry Model Railway, uma coleção exclusiva de modelos feitos à mão de trens irlandeses. O castelo é operado em associação com o Turismo de Dublin.

O modelo de ferrovia Fry exibe uma coleção excelente de modelos de trens irlandeses feitos à mão. A exibição traça a história das ferrovias irlandesas por meio de um modelo em escala de um grande complexo de transporte, que inclui estações, pontes, bondes, ônibus, barcaças e barcos. Situada nos terrenos do Castelo de Malahide, a maior ferrovia em miniatura da Irlanda cobre uma área de 2.500 pés quadrados. Esta coleção encantadora é um deleite para entusiastas de ferrovias, crianças e adultos.


Castelo de Malahide, Condado de Dublin

O Castelo e Jardins de Malahide reabriu em 2012 após uma reforma de € 10 milhões por Fingal County Council e Failte Ireland, que irá percorrer um longo caminho para restaurar sua classificação como atração para visitantes de primeira classe e preservá-la para as gerações futuras. Uma comodidade popular e valiosa em North County Dublin, é cercada por 450 hectares de parques bem cuidados, passarelas gerenciadas e árvores maduras e parquinho infantil de última geração que é gratuito para o público durante todo o ano. Até 1975, foi o castelo habitado mais antigo e mais longo da Irlanda, com a mesma família tendo vivido lá continuamente desde 1185, quando Richard Talbot recebeu 'as terras e o porto de Malahide' do Rei Henrique II em troca de render "um arqueiro com um cavalo e brasão para sempre ". Quando o último herdeiro homem Milo Talbot morreu em 1973, a propriedade passou para sua irmã Rose, que infelizmente foi forçada a vender o castelo e seu conteúdo para pagar as taxas de morte. Felizmente, o Governo irlandês teve a previdência de comprar a propriedade e abri-la ao público e agora que foi concluída, restaurada e atualizada, deve durar mais alguns anos.

O Castelo de Malahide tem uma longa e colorida história que será explicada a você em uma visita guiada ao castelo, que inclui o magnífico Salão Principal de 600 anos. De forma pungente, uma enorme pintura de A Batalha de Boyne na parede posterior retrata o destino da família Talbot, que se sentou para tomar o café da manhã no dia 12 de julho de 1690, naquela mesma sala, sem saber que quatorze deles seriam morto ao anoitecer. Mas, de alguma forma, a família sobreviveu à tragédia e evidentemente prosperou, a julgar pelos vários acréscimos que foram feitos ao castelo, incluindo as torres redondas gêmeas e o salão de banquetes revestido com o mesmo carvalho irlandês que enfeita a Abadia de Westminster em Londres. Com as janelas rendilhadas em estilo gótico original ainda deixando entrar uma luz tênue, o castelo de Malahide é muito atmosférico e tem poucos fantasmas, o que é surpreendente considerando.

Lord Milo Talbot, embora um pouco excêntrico fosse um homem-planta talentoso que viajou pelo mundo, você só precisa ver sua "apresentação de slides" na nova área de exposição, que também destaca seus registros meticulosos de todas as espécies plantadas em Malahide. O Jardim Murado é muito bonito e uma delícia durante todo o ano obviamente beneficiando do microclima especial que Lord Milo imaginou favorecer as espécies exóticas. Tem um lago ornamental que se acredita ter sido localizado em uma nascente natural, um parterre de grama de estilo francês (o único de seu tipo na Irlanda) e nada menos do que sete estufas para abrigar aquelas delicadas espécies trazidas do outro 'Malahide' de Lord Milo Talbot sua propriedade na Tasmânia, onde sua irmã Rose foi morar depois que ela vendeu o castelo, embora ela voltasse regularmente para Dublin. Ela morreu em 14 de fevereiro de 2009 aos 93 anos, encerrando assim a linha como o último Talbot do Castelo de Malahide.

10 joias escondidas perto do castelo Malahide

1 Faça um tour pelo Castelo de Malahide, reaberto em outubro de 2012 após uma grande reforma, uma nova exposição interativa e centro de projetos.

2 Visite os Jardins do Castelo, jardim renomado e paraíso do homem-planta, mais de 5.000 espécies raras, belos tapetes de ciclâmen sob o cedro libanês no gramado oeste no início do outono.

3 Avoca no Pátio, saboreie chá, café e bolos caseiros ou um almoço leve dentro ou fora da linda pérgula que leva ao jardim ou dê uma olhada em suas famosas lojas de artigos para casa, roupas e presentes.

4 Sopre as teias de aranha com uma caminhada revigorante e admire as árvores maduras ao longo dos 450 hectares de parques, que permanecem os mesmos que sempre foram nos últimos 800 anos.

5 Deixe as crianças à vontade no Castle Playground que era uma das favoritas dos meus filhos, quando eram pequenos.

6 Dê um passeio pela bonita vila de Malahide, com suas lojas elegantes (a Village Bookshop em Townyard Lane é particularmente deliciosa), bares, restaurantes e marina.

7 Faça um 'grand' rodízio de almoço ou chá da tarde no Grand Hotel, luxo à moda antiga com um toque moderno.Eu recomendo o almoço com serviço de prata no restaurante para almoço de domingo ou uma ocasião especial.

8 Dirija pela rota costeira em Portmarnock strand e Golf Club para Sutton Village.

9 Vire à esquerda para dirigir até o porto de Howth, dê um passeio ao longo do cais ou desfrute de qualquer um dos muitos excelentes restaurantes de marisco que existem.

10 Ou vire à direita, de volta a Dublin para visitar o Parque de St Anne e seu famoso jardim de rosas, o Casino em Marino ou um passeio Dollymount Strand.


Castelo Malahide

O Castelo de Malahide, cujas partes datam do século 12, fica perto da vila de Malahide, 14,5 km ao norte do centro de Dublin, na Irlanda. Possui mais de 260 acres de propriedade de parque remanescente, formando o Parque Regional Malahide Demesne.

1. História
A propriedade começou em 1185, quando Richard Talbot, um cavaleiro que acompanhou Henrique II à Irlanda em 1174, recebeu as "terras e o porto de Malahide". As partes mais antigas do castelo datam do século 12 e foi o lar da família Talbot por 791 anos, de 1185 até 1976, a única exceção sendo o período de 1649-60, quando Oliver Cromwell o concedeu a Miles Corbet após o Conquista cromwelliana da Irlanda Corbet foi enforcada após a morte de Cromwell, e o castelo foi restaurado aos Talbots. O edifício foi ampliado notavelmente no reinado de Eduardo IV, com torres adicionadas em 1765.
A propriedade sobreviveu a perdas como a Batalha de Boyne, quando quatorze membros da família do proprietário se sentaram para tomar o café da manhã no Grande Salão, e todos estavam mortos à noite, e as Leis Penais, embora a família permanecesse católica romana até 1774.
Em 1918, durante a Primeira Guerra Mundial, uma base de ancoragem para dirigíveis foi estabelecida no terreno do castelo, usada por dirigíveis da RNAS Anglesey no País de Gales que conduziam operações anti-submarino no Mar da Irlanda. Havia planos para basear dirigíveis aqui a partir de 1919, mas estes foram abandonados no final da guerra.
Na década de 1920, os papéis particulares de James Boswell foram descobertos no castelo e vendidos ao colecionador americano Ralph H. Isham pelo tataraneto de Boswells, Lord Talbot de Malahide.
Malahide Castle and Demesne acabou sendo herdado pelo 7º Baron Talbot e, com sua morte em 1973, passou para sua irmã, Rose. Em 1975, Rose vendeu o castelo ao Estado irlandês, em parte para financiar os impostos sobre herança. Muitos dos conteúdos, principalmente os móveis, foram vendidos antecipadamente, gerando considerável controvérsia pública, mas partes privadas e governamentais conseguiram resgatá-los.

2.1. Visitando Exposições anteriores
Duas exposições principais foram obrigadas a deixar o terreno em 2010-2011, uma vez que o parque foi preparado para ser relançado sob nova gestão. Desde então, um foi reaberto, o outro está pendente:
A Fry Model Railway estava localizada no Castelo de Malahide de 1988-2010. A partir de março de 2018, está prevista a reabertura em 2019 no Casino House restaurado, um antigo alojamento de tiro da família Talbot de Malahide, localizado perto da estação ferroviária.
O Museu da Infância do Taras Palace ficava anteriormente no Castelo de Malahide, mas mudou-se para Powerscourt Estate perto de Enniskerry em 2011.

3. Críquete
O local de críquete está localizado no campo de Lady Acre e abriga o Malahide Cricket Club. Também atrai jogos internacionais com times como Austrália, Inglaterra e Paquistão. Em setembro de 2013, usando arquibancadas temporárias e pavilhões de hospitalidade, mais de 10.000 espectadores foram acomodados, um recorde para a Ilha da Irlanda.

4. Acesso
A entrada principal do Demesne fica na Malahide Road, com acesso também possível a partir da vila de Malahide. Os números 42, 102 e 142 da rota do ônibus de Dublin ficam ao longo de um lado do parque, e a estação ferroviária de Malahide fica perto do final do castelo do parque.

5. Local do concerto
O recinto do Castelo de Malahide foi inaugurado como uma nova sala de concertos pelo Fingal County Council no verão de 2007, com concertos de Arctic Monkeys, Pink, Joe Cocker, Al Green e Bell X1, entre outros. Em 2008, os artistas incluíram Neil Young, Radiohead e Eric Clapton. Prince se apresentou no Castle em 30 de julho de 2011.
No verão de 2017 mais duas bandas tocaram no local, com capacidade para 20.000 pessoas. A banda Arcade Fire trouxe sua turnê Everything Now para o local. No dia seguinte, o The 1975 se apresentou.
Mais artistas tocaram no local em junho de 2018, incluindo Chic com Nile Rodgers, Liam Gallagher, Gorillaz, Kodaline e sistema de som LCD.
Em junho de 2019, mais artistas se apresentaram no local, por um período mais longo em comparação com os anos anteriores. Snow Patrol foi seguido por The Cure no dia seguinte, e Mumford & Sons se apresentaram na sexta e no sábado do segundo fim de semana, com Noel Gallaghers High Flying Birds tocando no domingo. George Ezra se apresentou na sexta-feira do terceiro e último final de semana, com Lana Del Rey jogando no sábado.
A propriedade será usada como sala de concertos mais uma vez em junho de 2020, com convidados como The Killers, Lewis Capaldi, Gerry Cinnamon e Dermot Kennedy que se apresentarão ao longo do mês.

O menor castelo do Castelo de Malahide é famoso pelo… Flickr.

O castelo de Malahide é um castelo absolutamente maravilhoso que fica a cerca de 13 quilômetros ao norte de Dublin. E é muito fácil chegar lá com o DART que é o trem irlandês. Costa Leste da Irlanda: Viagem de um dia ao Castelo e Jardins de Malahide Dublin. Desde 2007, o histórico Castelo de Malahide, perto de Dublin, tornou-se um local para shows de rock no verão. Com capacidade para até 20 mil pessoas, já recebeu. Arquivos do castelo de Malahide Conheça a Irlanda. 8 de junho de 2019, a maior parte do show de Hank Ryder, que conta a Tom sobre suas aventuras no Snow Patrol, que tocou no Castelo de Dublin em Malahide na noite anterior.

Castelo e jardins de Malahide Expedia.

24 de agosto de 2019 Compre ingressos para Mamma Mia @ Malahide Castle no Malahide Castle, Dublin, sábado, 24 de agosto de 2019 Os filmes no The Lawn estão de volta a Malahide. Castelo de Malahide Plein Eire. O cemitério fica próximo às ruínas da Abadia de Mainistir, nas terras do Castelo de Malahide. O castelo Malahide foi o lar da família Talbot por quase 800 anos. Malahide Castle Fingals Finest. À procura de um hotel perto do Castelo de Malahide em Dublin? No Hotwire, você pode encontrar hotéis 4 estrelas próximos ao Castelo de Malahide a preços 2 estrelas. Agende agora!. Bilhete de entrada do Castelo e Jardins de Malahide Dublin, Irlanda. Castelo e jardins de Malahide. Home Atrações Ingressos Contato Competição Eventos Guia Turístico COMPRE INGRESSOS Facebook Twitter. Castelo e jardins de Malahide LinkedIn. História e descrição do Castelo de Malahide, hospedagens demesne, outras características e nomes de campos.

Capacidade do castelo malahide.

Endereço: Malahide, Co. Dublin. Equipe de suporte: Linda Martin, Bobby Gillespie. castelo malahide. Endereço: Malahide, Co. Dublin. Próximos artistas. Agnes Obel. EXCURSÃO AO CASTELO DE HOWTH E MALAHIDE Travelocity. Fuja da cidade e explore o Castelo Malahide do século 12 com nossa excursão de meio dia. Exploraremos o terreno do castelo e os deslumbrantes jardins murados. Clapton At Malahide Castle, Irlanda 21 de junho Wheres Eric !. Visite o histórico Castelo de Malahide do século 12 em uma excursão de meio dia saindo de Dublin e dê uma olhada nos jardins privados de Lord Talbots, recentemente abertos ao público. Castelo de Malahide e excursão matinal de meio dia pela costa norte em Dublin. Roupa Irlandesa Em Nossa Loja. 389.519FansLike. 34.700FollowersFollow. 12.464 SeguidoresSeguir. 100SubscribersSubscribe.

Castelo de Malahide e viagem de um dia para a costa norte saindo de Dublin Tours4Fun.

Informações e ingressos para o castelo e jardins de Malahide. Os ingressos são instantâneos, válidos por até 1 ano e com o melhor valor garantido. Principais atrações da Irlanda. Uma olhada nos castelos medievais do castelo de Malahide. Desvende as maravilhas do Castelo de Malahide durante uma visita guiada à fortaleza construída pela família Talbot em 1174. Explore quartos medievais e. Castelo de Malahide e Howth Harbour Tour Klook. Direções para Malahide Castle Malahide com transporte público. As seguintes linhas de transporte público têm rotas que passam perto do Malahide Castle Bus: 42 Train: DART. Roseland malahide. Malahide, perto de Dublin, County Dublin, Irlanda Descrição O Castelo de Malahide está situado em mais de 250 acres de parque próximo à cidade litorânea de Malahide, 14,5 km.

Malahide Castle Malahide, Irlanda YouTube.

O perímetro do castelo de Malahide é uma rota de 4,2 km com 6000 etapas localizada perto do condado de Fingal, na Irlanda. Esta rota tem um ganho de elevação de cerca de 31 me é classificada como fácil. Passar a tarde no Castelo e Jardins de Malahide. O Castelo e Jardins de Malahide é um castelo medieval bonito e histórico, com uma história fascinante que remonta ao século 12. Localizado na bela costa norte. Local Malahide Castle Aiken Promoções. 22 de novembro de 2017 Exploramos dois dos principais castelos da Irlanda para descobrir qual é o melhor castelo da Irlanda. Explore Blarney Castle vs Malahide Castle. Local Malahide Castle Vicar Street. Explore o litoral acidentado e as praias pitorescas nesta excursão particular com um habitante local. Além disso, descubra o magnífico Castelo de Malahide e seu histórico. Malahide Castle Tour 15% de desconto nesta excursão de um dia em Dublin Gray Line. Reserve um fotógrafo de férias em Dublin no Castelo de Malahide! Capture férias em família, lua de mel, viagens de noivado ou propostas com Flytographer. Alugue temporada em Malahide Castle, Malahide: Casas e mais. Você vai adorar explorar este castelo maravilhoso com suas salas de recepção impressionantes e vistas gloriosas sobre os jardins imaculados. Os extensos jardins situados em a.

Castelo de Malahide e costa norte de Dublin AM Tour Dublin.

A propriedade começou em 1185, quando Richard Talbot, um cavaleiro que acompanhou Henrique II à Irlanda em 1174, recebeu as terras e o porto de Malahide. Malahide Castle Ghosts FANDOM alimentado por a. Reserve através do Klook e visite os subúrbios de Dublin! Faça uma excursão guiada dentro do Castelo de Malahide e dê uma caminhada relaxante ao redor do Porto de Howth para admirar o. Malahide Castle Concerts 2019 em Dublin Dates & Map google - wiki.info. Europa Wicklow e Glendalough x Malahide Castle Estaremos visitando a Irlanda pela primeira vez no próximo mês com um grupo. Um dia temos a opção de.

Páscoa 2019, eventos 2019, concertos 2019, horário de funcionamento do castelo malahide, eventos do castelo malahide 2019, castelo malahide mumford e filhos, castelo malahide Páscoa 2019, concertos castelo malahide 2019


Direction Ireland

O Castelo e Jardins de Malahide estão localizados a apenas 15 km a nordeste do centro de Dublin e são facilmente acessíveis por transporte público. O castelo e os parques circundantes cobrem uma área de mais de 260 acres e contêm um dos mais belos jardins da Irlanda. Todo o domínio pertenceu à família Talbot por quase 800 anos até 1976, quando foi comprado pelo Estado.

O Castelo de Malahide foi construído como uma casa-torre única por Richard Talbot, cavaleiro de Henrique II, no século 12 após a conquista da Irlanda pelos normandos. Ao longo dos séculos, os Talbots expandiram e modernizaram a fortaleza medieval. Entre as muitas atrações interessantes do castelo, você encontrará o Oak Room com acabamentos em painéis de carvalho do século 16, o Grande Hall gótico e também o quarto principal totalmente mobiliado, o quarto infantil e o quarto feminino, com exposições datadas entre o século 18 e o início do século 20. O guiado mostra as salas mais interessantes e conta a história do castelo e da família Talbot.

Os parques, com muitas belas árvores maduras, foram ajardinados no século 18, e os Jardins Botânicos de Talbot foram criados pelo 7º Barão Talbot de Malahide, Lord Milo John Reginald Talbot, que era um jardineiro entusiasta. O jardim murado de 1,6 ha com muitas estufas lindamente feitas, inclui muitas espécies raras e interessantes, especialmente plantas australianas e chilenas.

O Castelo de Malahide, com seus jardins e parques magníficos, é um lugar maravilhoso para uma viagem de um dia. Você pode chegar lá por DART (trem suburbano) ou por Dublin Bus, rota nº 42 da Talbot Street no centro da cidade de Dublin.


Castelo Malahide

Castelo Malahide (Irlandês: IDE Caislean Mhullach ), parte da qual data do século 12, com mais de 260 acres (1,1 km 2) para a propriedade restante do parque (o Malahide Demesne Regional Park), perto da vila de Malahide, nove milhas (14 km) ao norte de Dublin na Irlanda.

A fazenda começou em 1185, quando Richard Talbot, um cavaleiro que acompanhou Henrique II à Irlanda em 1174, recebeu as terras e o porto de Malahide. & # 8221 As partes mais antigas do castelo datam do século 12, era o lar à família Talbot por 791 anos, de 1185 a 1976, a única exceção sendo o período de 1649-60, quando Oliver Cromwell concedeu-a a Miles Corbet após a conquista cromwelliana da Irlanda. Corbet foi enforcado após a morte de Cromwell, e o castelo foi restaurado para Talbots. O edifício foi especialmente ampliado no reinado de Eduardo IV, e as torres adicionadas em 1765

A fazenda sobreviveu a perdas como a Batalha de Boyne, quando os quatorze membros da família do proprietário se sentaram para tomar o café da manhã no Grande Salão, e todos estavam mortos à noite, e às leis criminais, apesar do fato de que a família permaneceu católica até 1774

Na década de 1920, papéis particulares de James Boswell foram descobertos no castelo e vendidos ao colecionador americano Ralph H. Isham de Boswell & # 8217s tataraneto de Lord Talbot de Malahide.

Malahide Castle e Demesne eventualmente herdados pelo 7º Baron Talbot e sua morte em 1973, enviada para sua irmã, Rose. Em 1975, Rose vendeu o castelo ao estado irlandês, em parte para financiar o imposto sobre herança. Muito do conteúdo, especialmente a mobília, o castelo tinha sido vendido com antecedência leva a uma considerável controvérsia pública, mas partidos privados e do governo poderiam obter alguma.

O castelo, juntamente com suas atrações subsidiárias, foi por muitos anos funcionou como uma atração turística de turismo em Dublin, trabalhando com o Fingal County Council, que possui todo o terreno. O parceiro operacional agora é Shannon Heritage, que por sua vez designou parceiros subsidiários, incluindo Avoca Handweavers.

O castelo principal pode ser visitado mediante pagamento de uma visita guiada apenas. Além disso, é possível alugar o famoso Grande Salão Gótico para banquetes privados. O castelo tem um restaurante e ao lado uma loja de artesanato. A sala mais famosa do castelo é a Oak Room e o Great Hall, mostrando a história da família Talbot.

  • o Jardim Botânico Tadpolt , localizado atrás do castelo, constituído por vários hectares de plantas e relvados, um jardim murado de 1,6 hectares e sete estufas, incluindo um conservatório da era vitoriana. Muitas plantas do hemisfério sul, particularmente Chile e Austrália, são apresentadas. Os jardins demonstram a coleta de plantas da paixão 7 Lord Talbot de Malahide em meados dos anos 20.

O Demense é um dos poucos exemplos sobreviventes de parques paisagísticos do século 18, e tem amplos gramados cercados por uma faixa protetora de árvores. Pode ser visitado gratuitamente, com várias entradas e áreas de estacionamento. Além dos passeios pela floresta e de uma trilha rotulada como & # 8220fitness trail & # 8221, o parque possui campos esportivos de uso ativo, incluindo um campo de críquete e vários campos de futebol, um 9- campo de golfe de par 3 de buracos, campo de pitch-and-putt de 18 buracos, quadras de tênis e área de bocha. Existe também um parque infantil moderno perto do castelo.

Tara & # 8217s Palace Museum of Childhood ficava anteriormente localizado no Castelo de Malahide, mas mudou-se para Powerscourt perto de Ennis 2011.

reconstrução

O Castelo de Malahide e o Jardim Botânico na propriedade real foram uma grande mudança em 2011-2012. Castelo fechado à visitação em outubro de 2011 e reaberto no outono de 2012. Uma nova marca única para o local e uma atualização da interpretação e das instalações significa que os visitantes passaram a gerar uma experiência única que reúne o castelo, jardins e vila de Mala.

O projeto consiste em revitalizar o visitante é oferecido no castelo e jardins e criar novos roteiros de áudio e exposições sobre jardins e castelos e novas atividades de varejo / lazer, preservando o legado de 800 anos de localização. Os vínculos com a aldeia de Malahide e a comunidade local são um fator chave no projeto. Novos sinais ligando a área à vila irão encorajar os visitantes a passarem o dia inteiro em Malahide a desfrutar da vila, marina, restaurantes e lojas.

Especialmente as diferentes salas para visitar o castelo mudaram.

A entrada principal do Palace Demesne fica na Malahide Road, com acesso também possível a partir da Malahide Village. A rota de ônibus de Dublin número 42, 102 e 142 viaja ao longo de um lado do parque, a estação ferroviária de ochMalahide está localizada perto da extremidade do castelo do parque.

Teatro

O terreno do Castelo de Malahide foi inaugurado como uma nova sala de concertos pelo Fingal County Council no verão de 2007, com shows dos Arctic Monkeys, [1] White, Joe Cocker, Al Green ochBell X1, entre outros. Em 2008, seus convidados incluíram Neil Young, [1] [2] Radiohead, [3] e Eric Clapton. [4] Prince se apresentou no castelo em 30 de julho de 2011.


Castelo Malahide

O Castelo de Malahide, cujas partes datam do século 12, fica perto da vila de Malahide, 14,5 km ao norte do centro de Dublin, na Irlanda. Possui mais de 260 acres de propriedade de parque remanescente, formando o Parque Regional Malahide Demesne.

1. História
A propriedade começou em 1185, quando Richard Talbot, um cavaleiro que acompanhou Henrique II à Irlanda em 1174, recebeu as "terras e o porto de Malahide". As partes mais antigas do castelo datam do século 12 e foi o lar da família Talbot por 791 anos, de 1185 até 1976, a única exceção sendo o período de 1649-60, quando Oliver Cromwell o concedeu a Miles Corbet após o Conquista cromwelliana da Irlanda Corbet foi enforcada após a morte de Cromwell, e o castelo foi restaurado aos Talbots. O edifício foi ampliado notavelmente no reinado de Eduardo IV, com torres adicionadas em 1765.
A propriedade sobreviveu a perdas como a Batalha de Boyne, quando quatorze membros da família do proprietário se sentaram para tomar o café da manhã no Grande Salão, e todos estavam mortos à noite, e as Leis Penais, embora a família permanecesse católica romana até 1774.
Em 1918, durante a Primeira Guerra Mundial, uma base de ancoragem para dirigíveis foi estabelecida no terreno do castelo, usada por dirigíveis da RNAS Anglesey no País de Gales que conduziam operações anti-submarino no Mar da Irlanda. Havia planos para basear dirigíveis aqui a partir de 1919, mas estes foram abandonados no final da guerra.
Na década de 1920, os papéis particulares de James Boswell foram descobertos no castelo e vendidos ao colecionador americano Ralph H. Isham pelo tataraneto de Boswells, Lord Talbot de Malahide.
Malahide Castle and Demesne acabou sendo herdado pelo 7º Baron Talbot e, com sua morte em 1973, passou para sua irmã, Rose. Em 1975, Rose vendeu o castelo ao Estado irlandês, em parte para financiar os impostos sobre a herança. Muitos dos conteúdos, notadamente os móveis, foram vendidos antecipadamente, gerando considerável controvérsia pública, mas partes privadas e governamentais conseguiram resgatá-los.

2.1. Visitando Exposições anteriores
Duas exposições principais foram obrigadas a deixar o terreno em 2010-2011, uma vez que o parque foi preparado para ser relançado sob nova gestão. Desde então, um foi reaberto, o outro está pendente:
A Fry Model Railway estava localizada no Castelo de Malahide de 1988-2010. Em março de 2018, espera-se que seja reaberto em 2019 no Casino House restaurado, um antigo alojamento de tiro da família Talbot de Malahide, localizado perto da estação ferroviária.
O Museu da Infância do Taras Palace estava anteriormente localizado no Castelo de Malahide, mas mudou-se para Powerscourt Estate perto de Enniskerry em 2011.

3. Críquete
O local de críquete está localizado no campo de Lady Acre e abriga o Malahide Cricket Club. Também atrai jogos internacionais com times como Austrália, Inglaterra e Paquistão. Em setembro de 2013, usando arquibancadas temporárias e pavilhões de hospitalidade, mais de 10.000 espectadores foram acomodados, um recorde para a Ilha da Irlanda.

4. Acesso
A entrada principal do Demesne fica na Malahide Road, com acesso também possível a partir da vila de Malahide. Dublin Bus route numbers 42, 102 and 142 lie along one side of the park, and Malahide Railway Station is near the castle end of the park.

5. Concert venue
The grounds at Malahide Castle were opened as a new concert venue by Fingal County Council in summer 2007, with concerts by Arctic Monkeys, Pink, Joe Cocker, Al Green and Bell X1 amongst others. In 2008 performers included Neil Young, Radiohead, and Eric Clapton. Prince performed at the Castle on July 30, 2011.
In the summer of 2017 two more bands played at the venue, with a capacity of 20.000 people. The band Arcade Fire brought their Everything Now tour to the venue. The next day, The 1975 performed.
More artists played the grounds in June 2018, including Chic featuring Nile Rodgers, Liam Gallagher, Gorillaz, Kodaline, and LCD soundsystem.
June 2019 saw more artists perform in the venue, over a longer period of time compared to previous years. Snow Patrol were followed by The Cure the following day, and Mumford & Sons performed on both the Friday and Saturday of the second weekend, with Noel Gallaghers High Flying Birds playing on Sunday. George Ezra performed on the Friday of the third and final weekend, with Lana Del Rey playing on the Saturday.
The property will be used as a concert venue once again in June 2020, with guests such as The Killers, Lewis Capaldi, Gerry Cinnamon, and Dermot Kennedy due to perform throughout the month.


​ Malahide Historical Society

The Baring family bought Lambay in 1904 and are still in residence there to-day. Originally, the Barings were German Protestants and were the only British banking family to bank inside the Eastern Block. Charles Dickens makes reference to the Barings in two of his novels.

Cecil Baring worked at the New York branch of the family banking business in the latter years of the 19th century. He developed a great interest in natural history and travelled extensively in pursuit of this interest. Cecil Baring's second wife was an American and her father, Pierre Lorrilard, the first American to win the Derby, was Cecil's partner in the bank. Cecil eloped with Maude in 1902. Eighteen months after his marriage, while travelling in Europe, Cecil saw an advertisement in The Field - "Island for Sale", and so he bought Lambay in 1904 for £9,000. The island had a small castle in a state of dereliction. He first employed an unidentified architect from Dublin to renovate and extend the castle before engaging Sir Edwin Lutyens to work on the project. This architectural gem took nearly five years to complete and is Lutyens main building in Ireland. Subsequently,work continued on the construction of the farm building up to 1915. The open air 'real tennis' court was added later and the the last major building work was the 'White House' completed in 1934. We will cover the buildings of the castle and gardens in some detail later. Meanwhile, Cecil encouraged a detailed study of the island's flora and fauna with the results being published in The Irish Naturalist in 1907. The great Irish naturalist, Praeger, visited the island about this time in the course of his perambulation about the island of Ireland.

In 1911 when Cecil was made managing partner of the Bank in London he found it necessary to reside there but he returned to his beloved Lambay for two months each summer and also at Christmas. Cecil Baring had three children, Daphne, Calypso and Rupert. His wife died in 1922. Cecil died in 1934 having succeeded his older brother to the title of 'Lord Revelstoke' in 1929. They are buried in the family burial plot on the island. There is a walled graveyard to the south west of the castle which also contains a small church with remarkable stained glass windows. In 1933, just before Cecil's death, the Doric portico was added to the original Talbot built chapel. Again maintaining an island tradition, the present day residents gather here for prayer on Sunday mornings.

Cecil's epitaph reads: "Cecil Baring 3rd Baron Revelstoke Born 2nd September 1865 Died 26th January 1934 Of whom this much it shall suffice to say He loved his wife, his children and Lambay".

Lambay owes its masses of porphyry and greenstone to volcanic energies, quietened down unknown ages ago. The island is approximately 1.5 miles long and 1 mile wide, containing c.750 acres of which 650 acres are conducive to farming. Its name has changed over the centuries from Limnus (Ptolemy) to Lambeia (Latin) to Reachra (Irish) to Lambay (Norse). The population of Lambay has also changed drastically over the years. In 1841, the island population was 115 but in 1941 it had dwindled to 30. To-day, it is down to around 10 though this increases somewhat during the summer months when visitors are accommodated in the renovated coastguard cottages by the harbour.

There are many items of interest on Lambay, from the white-washed buildings around the harbour (clearly visible from Malahide) some of which were formerly occupied by the Coastguard to the powerhouse with generator and windmill from the now unused golf course on the back of the island to the real tennis court near the harbour.

BIRD SANCTUARY

The great Irish naturalist Robert Lloyd Praeger visited the island in 1890 and returned in 1905 to supervise a natural history survey. However, of all its interesting enchantments, it is as a bird sanctuary, established by Cecil Baring, that Lambay will be best remembered. Here we find in abundance the Guillemot who, possibly, lays the most beautiful eggs in the world - turquoise with varying patterns. These eggs are very pointed at one end which helps them from rolling off the cliffs into the sea, but it is a paradox of nature that thus protected from a watery grave, their elaborate colour scheme attracts the preying gulls who devour them in enormous numbers.

As regards the gulls, Lord Revelstoke "played his part" during World War II by exporting over 100,000 gulls eggs to feed a hungry Britain.

Puffins are usually to be seen on and around Lambay with their brightly coloured feet and beaks. One can also appreciate the Kittiwake and it's distinctive cry. Cormorants and their smaller cousins, the Shags, are plentiful.

In the last century the Grey Lag Geese used to come from Scandinavia each winter, just like their predecessors, the Vikings did in the year 790. However, they rarely, if at all, visit the island nowadays. They had their drawbacks too in that they did a fair amount of damage by the amount of grass eaten. Many a visitor to the island will remember how his clothes changed colour if his arrival coincided with the aerial manoeuvres of the geese.

Lambay's bird sanctuary is a portrayal of life in miniature, with its domestic strife, territorial arguments and aerial bedlam. The birds certainly add to the romance of the Island.

Lord Revelstoke's devotion to his island is expressed in his own poetry. 

Cliff-nesting seabird colonies


In 2004, a full census was completed of seabirds on Lambay island off north County Dublin, five years on from the last complete census of seabirds on the island and the following is an extract from the report published in WINGS, the quarterly magazine of Birdwatch Ireland
" Lambay holds Ireland's largest 'mixed' seabird colony and is of international importance.
We attempted to put Lambay's figures in context by censusing most of the other seabird colonies in Dublin, Wicklow and Wexford. Censuses were carried at Colt and Shenick's Islands near Skerries, on Ireland's Eye and on the main part of Howth Head - all in Co Dublin - at Bray Head and Wicklow Head in Co Wicklow, and at Great Saltee Island, Co Wexford.
We tried to assess whether the recent serious oil spills to the south of us in Brittany (the Erika in December 1999) and in northwest Spain (the Prestige in November 2002) have had any impact on our numbers of cliff-nesting auks, given that considerable numbers of birds ringed in Ireland were recovered during these oil spill incidents.
Guillemots
With respect to Guillemots on Lambay (58,202 individuals) and on Great Saltee (20,485 individuals), numbers were marginally down -perhaps due to major mortality of immature Irish Guillemots following the Erika and Prestige oil spills and consequent reduced recruitment to these colonies.
Shags
This year's Lambay total of 1,734 pairs of Shags was a very welcome increase on the 1,122 counted in Seabird 2000 and the previous maximum of 1,597 (counted in 1985), it and goes against the long-term downwards trend in the population of this species in Britain and Ireland as a whole.

Cormorants
The three large Cormorant colonies in Dublin - at Lambay, Ireland's Eye and St Patrick's Island -collectively form a 'super-colony' that comprises the largest aggregation of the species anywhere in Britain or Ireland. In 2004, for the first time, we managed to do accurate land-based counts at all three colonies in the one season, and counted 501 pairs on Lambay, 583 on Ireland's Eye, and 957 on St Patrick's Island. When compared with the Seabird 2000 totals of 675, 306 and 558 respectively, this represents an overall increase of 500 pairs. The grand total of 2,041 Cormorants in the super-colony represents a substantial proportion of the total Irish population of 5,211 pairs recorded in Seabird 2000.
Herring Gulls
The Birdwatch Ireland magazine, Wings , reported on the dramatic collapse in Herring Gull breeding numbers in Ireland, with a huge decline from nearly 60,000 in 1969-70 to 6,235 recorded in Seabird 2000, giving rise to the need to 'red-list' the species. This 2012 census work showed no signs of a recovery at Lambay (310), formerly its most important colony, or at Ireland's Eye (134), and the numbers nesting on roofs in Skerries were also on the low side.

THE CASTLE
There had been a castle on Lambay from at least as far back as the 16th century and when Cecil Baring acquired the island he set about renovating and extending the structure that then existed into a modern home. He first engaged an unidentified Dublin architect but in 1908 Sir Edwin Lutyens took over the task and work continued until 1912. It is a castle which is unique in its plan, and is clear-cut proof of the many and varied skills of Mr. Lutyens. In the space of four years he turned an inconvenient little castle into a home of peculiar charm. The name "castle" strictly does not belong to it, as it has no defensive works beyond its own strong walls. The "castle" is rather in the nature of a block house. Reference to the original plans shows that the house exists to-day as it was first built, except for additions to the north-east and south-west sides.
To understand the present day building one must first look back to the early castle on the site as Lutyens final accomplishment is a mixture of the old and the new. By 1467 Lambay was described as "a receptacle for the Kings enemies, to the annoyance of the mainland". John Jiptoft, Earl of Worcester, Lord Deputy in Ireland for Edward IV was commissioned to build a fortress on the island. The present castle had its origins in the 16th century. The early castle was constructed for defending the place as is evidenced by its battlements and spoke holes which commanded the island in every direction. The ground storey consisted of a central room with four apartments, all of identical shape and size, opening from it, and the arrangement on the upper storey was the same. Shot-holes were provided in the corners of the ground-floor rooms so that the castle defenders could shoot assailants as they came round the corners of the castle. The castle had never been more than two storeys. The ground floor has low vaulted ceilings and the roof was of timber and covered with slates, which suggests that the roof had been reconstructed after Worcester's time. In 1904 alterations and repairs were carried out in the castle and the fast decaying roof was renewed, to make it habitable. The sliding sash-windows were replaced by teak casements and the rooms on the north side, then used as a dairy, were converted into living rooms. A cowhouse was converted into a kitchen and defects in the masonry were made good by a plentiful supply of Portland cement. Such was the state of Lambay Castle in 1905 when Mr. Lutyens first appeared on the island. He must have found the castle somewhat battered by time and its history and character obscured by innumerable "restorations". It took him three years of careful deliberation before work was begun in 1908. The problem facing him was how to enlarge the existing castle without destroying its character.
The few people who have seen the interior of Lambay Castle speak of its beauty and some say that it is a perfect example of Renaissance Gothic architecture. Lutyens also revelled in interior and furniture design and there are interesting examples of his work in the castle.
The first action taken by Mr. Lutyens was to remove the cement roof which had proved highly inefficient. He substituted grey pantiles of delightful colour and texture. He next abolished the iron down-pipes and gutters. The original castle was very primitive in its arrangements, but was left untouched except for slight internal re-arrangements and for the re-building of the northeast side, which had already been subjected to successive alterations. The ground-floor rooms were entered on the north west side, and only one fireplace opening existed in the eastern end of the sitting room. The arch stones of this were part of the original building and were utilised for the new fireplace in the dining room. Other fireplaces were provided in the north entrance hall, sitting room and study. On the first floor there were originally four fireplaces. The old entrance was certainly where is now the door to the north entrance hall. It had been walled up, but was re-opened. The lime mortar and pebble-dash on the outside of the castle walls was retained, for the masonry was very rough. A new staircase was erected in the castle proper and, in the course of the work, it came to light that the old castle would have either lacked a staircase altogether or had a trapdoor and ladder to connect the ground with the first floors. Kitchen quarters and additional bedrooms were provided in a new quadrangular block at the east corner, connected with the old castle by an under-ground passage only. This was practicable because the ground slopes sharply upwards to the east. In order to give access from this passage to the upper level of the new quadrangular block an important staircase of stone was built in the south west corner of the latter. In the result the two buildings, old and new, are unconnected at the first floor level and the castle stands free to tell its own story.

The determination to prevent the new roofs dominating the old meant carving a substantial piece out of the hillside. Although the island is of volcanic origin, the castle and its grounds occupy a small remnant of sedimentation in the shape of a bed of much-tilted and shaly silurian slates which lend themselves, more or less reluctantly, to displacement by pick and shovel. This difficulty loomed large in the preparation of the ground for the new block and in the terracing of the north court.

Among other causes obstructing the building work were the absence on the island of any materials save stone and sea-sand. All other necessaries had to be brought by sailing boats, always a laborious and sometimes a risky process. It may also be guessed that the visits of supervision, extending over years, involved the architect in a peculiar and extensive acquaintance with the moods of the Irish Sea.

In the building of the new wing and of the extensive range of garden walls, advantage was taken of the stone that the island affords, a splendid blue-green porphyry, shot with feldspar crystals. As this is rather refractory to work, the mullions and their dressings are of a cool blue-grey limestone that came from the Milverton Quarries, near Skerries on the mainland and were skillfully wrought by the local quarrymen. The new roofs are also covered by grey pantiles and the sides of the dormers are hung with flat tiles of the same colour. At all times Mr. Lutyens took great care not to disturb the symmetrical plan of the old castle. The new wing is kept low and markedly domestic in character, so that it does not compete with the military note of the old castle.

The buildings are surrounded by a rampart which rises to twenty feet at the western entrance gate and gradually recedes into the rising ground until it is no more than a token stone perturbance above the ground to the east.

STONE STAIR

The kitchen court is particularly attractive, with its broad sweep of pantiled roof, its demure dormers and its pavement, part of slabs and part cobbled. The stone stair in the new wing has a fine dignity about it and the oak landing and balustrade of the new stair in the castle proper are Jacobean in character. Considerable alteration was necessary to create the present sitting-room out of two small chambers, and the new pointed arches are very successful. On the first floor of the old castle are connecting bedrooms and a nursery suite. The wood casements were removed and iron casements, set in mullions of the Milverton limestone, were used throughout the building.

To fully appreciate the massive undertaking by Mr. Lutyens one must remember that all the heavy machinery required for the work had to be dismantled at Rogerstown Quay near Rush, ferried out on the "Shamrock" then re-assembled on site. All building requirements had to be imported, as, needless to say, there's no local hardware shop on the island.

In 1946 Rupert Baring, son of Cecil Baring and godson of Lutyens, took up residence on Lambay and became something of a recluse. However, he (Lord Revelstoke) carried out some remedial work on the castle including re-roofing with concrete pantiles. When he died in 1994 it was found that the fabric of the castle was deteriorating due to age and damp. Since then renovation and conservation work has been ongoing, guided by the firm of conservation architects Messrs Howley Harrington. A modern wind powered electricity generator has been installed which enables a degree of heating to keep the damp at bay and, of course, the castle is now once again an occupied family home. All this bodes well for the future of one of the most important private residences built in Ireland in the 20th century.

GARDENS

Beautiful gardens surround the house and there is also a separate very attractive walled garden. A feature of the island growth is the profuse way in which fuchsias thrive. In Lambay, as in Connemara, the soft sea air swiftly turns a low bush in to a great hedge, brilliant with showers of crimson blossom. Not often can it be said of an old building that additions covering an even greater area have failed to take away the charm of the old, and still more rarely that they have increased it - but no less is true of Lambay Castle. It is worthy of the island, which is to say much. To-day, the castle sits, surrounded by an island of flowers. On the cliffs grow acres of scurvy-grass, with its creamy white flowers smelling like honey, and flooding the land with blossom. Grass, bracken, heath, rush and blazing with stonecrop and golden samphire, swords bright with the cool grey-blue of sulla verna enclosed by banks of sea pink and great stretches of purple heather- these are the pictures framed by the margin of low water rocks black with fungus or brilliant with yellow lichen.

Indeed, one could not be blamed for thinking in the realms of a fairy castle in an enchanted island.

FOOTNOTE - ISLAND LIFE TODAY

Lambay is about 250 ha. in area and rises to about 127m. at its highest point (Knockbane). Though only four km. off the Fingal coast the island is isolated and many of the trappings and comforts of modern living which mainland dwellers take for granted are not so readily available.

A 25 kw wind powered generator, installed in 2001, provides electricity for lighting and a very limited amount of electric storage heating but little else. Cooking is by bottled gas brought over from the mainland along with food and other consumables but adverse weather can disrupt service on occasions. The island is farmed organically. Vegetables and fruit are grown in the walled garden and one milking cow is kept. Cattle and sheep are grazed. Hay is made and some tillage undertaken with the help of modern farm machinery including a quad bike and a large tractor brought across in recent times on the "SHAMROCK". Maintenance of the built heritage on the island is a major concern and cost for the owners. In summer guests are accommodated in the renovated coastguard houses and the White House. There are no land line telephones but mobile reception is available. Professor Gabriel Cooney of UCD has been directing summer archaelogical surveys and digs since the late 1990s with exciting results. And yes there are wallabies on the island - around fifty at the last count and increasing plus a serious plague of rabbits, perhaps as many as 15,000! Also large numbers of deer.

A map produced as part of the island survey by Robert Lloyd Praeger and associates in 1905.

As well as showing the contours the vegetation is depicted. There are stories behind most of the names of features around the shores.

Lambay is the wind passing by
Lambay is the goose flying high
Flying to the West Wind crying
As the light is dying
In the Celtic sky
The Kittiwake lives
On the Isle of Lambay,
Close by the goose
And Razorbill,

Basking seal,
Curlew and teal

And always will. ​
Lambay is the sound of the sea
Calling, ever calling to me.
My land,
Sweet enchanted Island
Magic sea and sky land


Assista o vídeo: Malahide Castle and Ardgillan Castle Vlog 2019 by a Filipina Nurse TravelWithMarichu (Setembro 2022).


Comentários:

  1. Averey

    Bravo, qual é a frase certa... um pensamento maravilhoso

  2. Elwald

    E as opções ainda são possíveis?

  3. Emilio

    Eu acho que você está cometendo um erro. Envie -me um email para PM.

  4. Tojajora

    Eu concordo plenamente com você. A ideia é boa, eu apoio.

  5. Gorboduc

    I thought and deleted the message



Escreve uma mensagem

Video, Sitemap-Video, Sitemap-Videos