Novo

Mao Zedong

Mao Zedong


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Mao Zedong (Mao Tse-Tung), filho de um camponês, nasceu em Chaochan, China, em 1893. Ele se tornou marxista enquanto trabalhava como assistente de biblioteca na Universidade de Pequim e serviu no exército revolucionário durante a Revolução Chinesa de 1911 .

Inspirado pela Revolução Russa, o Partido Comunista Chinês (PCC) foi estabelecido em Xangai por Chen Duxiu e Li Dazhao em junho de 1921. Os primeiros membros incluíam Mao, Zhou Enlai, Zhu De e Lin Biao. Seguindo as instruções dos membros do Comintern, também se juntou ao Kuomintang.

Nos anos seguintes, Mao, Zhu De e Zhou Enlai adaptaram as idéias de Lenin, que havia realizado com sucesso uma revolução na Rússia. Eles argumentaram que na Ásia era importante concentrar-se no campo e não nas cidades, a fim de criar uma elite revolucionária.

Mao trabalhou como organizador político do Kuomintang em Xangai. Com a ajuda de assessores da União Soviética, o Kuomintang (Partido Nacionalista) aumentou gradualmente seu poder na China. Seu líder, Sun Yat-sen, morreu em 12 de março de 1925. Chiang Kai-Shek emergiu como o novo líder do Kuomintang. Ele agora realizou um expurgo que eliminou os comunistas da organização. Os comunistas que sobreviveram conseguiram estabelecer o Soviete de Jiangxi.

Os nacionalistas impuseram um bloqueio e Mao Zedong decidiu evacuar a área e estabelecer uma nova fortaleza no noroeste da China. Em outubro de 1934, Mao, Lin Biao, Zhu De e cerca de 100.000 homens e seus dependentes rumaram para o oeste através de áreas montanhosas.

Os manifestantes passaram por sofrimentos terríveis. As passagens mais notáveis ​​incluíram a travessia da ponte suspensa sobre um desfiladeiro profundo em Luting (maio de 1935), viajando sobre as montanhas Tahsueh Shan (agosto de 1935) e o pântano de Sikang (setembro de 1935).

Os manifestantes percorreram cerca de cinquenta milhas por dia e chegaram a Shensi em 20 de outubro de 1935. Estima-se que apenas cerca de 30.000 sobreviveram à Longa Marcha de 8.000 milhas.

Quando o exército japonês invadiu o coração da China em 1937, Chiang Kai-Shek foi forçado a transferir sua capital de Nanquim para Chungking. Ele perdeu o controle das regiões costeiras e da maioria das grandes cidades para o Japão. Em um esforço para derrotar os japoneses, ele concordou em colaborar com Mao Zedong e seu exército comunista.

Durante a Segunda Guerra Mundial, as forças de guerrilha bem organizadas de Mao foram bem lideradas por Zhu De e Lin Biao. Assim que os japoneses se renderam, as forças comunistas começaram uma guerra contra os nacionalistas liderados por Chaing Kai-Shek. Os comunistas gradualmente ganharam o controle do país e em 1º de outubro de 1949, Mao anunciou o estabelecimento da República Popular da China.

Em 1958, Mao anunciou o Grande Salto para a Frente, uma tentativa de aumentar a produção agrícola e industrial. Este programa de reforma incluiu o estabelecimento de grandes comunas agrícolas contendo até 75.000 habitantes. As comunas administravam suas próprias fazendas e fábricas coletivas. Cada família recebia uma parte dos lucros e também possuía um pequeno terreno privado. No entanto, três anos de inundações e más colheitas prejudicaram gravemente os níveis de produção. O esquema também foi prejudicado pela decisão da União Soviética de retirar seu grande número de especialistas técnicos que trabalhavam no país. Em 1962, o programa de reforma de Mao chegou ao fim e o país recorreu a uma forma mais tradicional de produção econômica.

Como resultado do fracasso no Grande Salto para a Frente, Mao se aposentou do cargo de presidente da República Popular da China. Seu lugar como chefe de estado foi assumido por Liu Shaoqi. Mao continuou sendo importante na determinação da política geral. No início dos anos 1960, Mao tornou-se altamente crítico da política externa da União Soviética. Ele ficou, por exemplo, chocado com a forma como Nikita Khrushchev recuou durante a crise dos mísseis cubanos.

Mao envolveu-se abertamente na política em 1966, quando com Lin Biao iniciou a Revolução Cultural. Em 3 de setembro de 1966, Lin Biao fez um discurso no qual exortou os alunos de escolas e faculdades a criticar os dirigentes do partido que foram influenciados pelas idéias de Nikita Khrushchev.

Mao estava preocupado com os líderes do partido, como Liu Shaoqi, que era favorável à introdução de peças por empreitada, maiores diferenciais de salários e medidas que buscavam minar fazendas coletivas e fábricas. Em uma tentativa de desalojar aqueles no poder que favoreciam o modelo soviético de comunismo, Mao galvanizou estudantes e jovens trabalhadores como seus Guardas Vermelhos para atacar os revisionistas do partido. Mao disse-lhes que a revolução estava em perigo e que deviam fazer tudo o que pudessem para impedir o surgimento de uma classe privilegiada na China. Ele argumentou que foi isso que aconteceu na União Soviética sob Joseph Stalin e Nikita Khrushchev.

Lin Biao compilou alguns dos escritos de Mao no manual, As citações do presidente Mao, e providenciou uma cópia do que ficou conhecido como o Livrinho vermelho, para cada cidadão chinês.

Zhou Enlai a princípio deu seu apoio à campanha, mas ficou preocupado quando estourou o conflito entre os Guardas Vermelhos e os revisionistas. A fim de alcançar a paz no final de 1966, ele pediu o fim desses ataques a funcionários do partido. Mao permaneceu no controle da Revolução Cultural e com o apoio do exército foi capaz de expulsar os revisionistas.

A Revolução Cultural chegou ao fim quando Liu Shaoqi renunciou a todos os seus cargos em 13 de outubro de 1968. Lin Biao tornou-se agora o sucessor designado de Mao.

Mao agora deu seu apoio à Gangue dos Quatro: Jiang Qing (a quarta esposa de Mao), Wang Hongwen, Yao Wenyuan e Zhange Chungqiao. Esses quatro radicais ocuparam cargos poderosos no Politburo após o Décimo Congresso do Partido em 1973.

Mao Zedong morreu em Pequim em 9 de setembro de 1976.

Meu pai tinha dois anos de escolaridade e sabia ler o suficiente para manter os livros. Minha mãe era totalmente analfabeta. Ambos eram de famílias camponesas. Eu era o 'estudioso' da família. Eu conhecia os clássicos, mas não gostava deles. O que eu gostava eram os romances da velha China e, principalmente, as histórias de rebeliões. Eu li o Yue Fei Zhuan (Jing Zhong Zhuan), Shui Hu Zhuan, Fan Tang, San Guo e Xi You, ainda muito jovem, e apesar da vigilância de meu antigo professor, que odiava esses livros proibidos e os chamava de perversos. Eu costumava lê-los na escola, cobrindo-os com um clássico quando o professor passava. O mesmo aconteceu com a maioria dos meus colegas de escola. Aprendemos muitas das histórias quase de cor, e as discutimos e rediscutimos muitas vezes. Nós os conhecíamos mais do que os velhos da aldeia, que também os amavam e trocavam histórias connosco. Eu acredito que talvez eu tenha sido muito influenciado por tais livros, lidos em uma idade impressionável.

Finalmente abandonei a escola primária aos treze anos e comecei a trabalhar longas horas na fazenda, ajudando o trabalhador contratado, fazendo todo o trabalho de um homem durante o dia e à noite cuidando dos livros do meu pai. Mesmo assim, consegui continuar lendo, devorando tudo que pude encontrar, exceto os clássicos. Isso irritou meu pai, que queria que eu dominasse os Clássicos, principalmente depois que ele foi derrotado em um processo por causa de uma citação clássica feita por seu adversário na corte chinesa. Eu costumava cobrir a janela do meu quarto tarde da noite para que meu pai não visse a luz.

Meu pai era um jovem cético, na meia-idade, mas minha mãe adorava Buda com devoção. Ela deu instrução religiosa aos filhos, e todos ficamos tristes porque nosso pai era incrédulo. Quando eu tinha nove anos, discuti seriamente com minha mãe o problema da falta de piedade de meu pai. Fizemos muitas tentativas então e mais tarde para convertê-lo, mas sem sucesso. Ele apenas nos amaldiçoou e, oprimidos por seus ataques, nos retiramos para traçar novos planos. Mas ele não teria nada a ver com os deuses.

Minha leitura gradualmente começou a me influenciar, no entanto; Eu mesmo me tornei cada vez mais cético. Minha mãe ficou preocupada comigo e repreendeu-me por minha indiferença às exigências da fé, mas meu pai não fez comentários. Então, um dia, ele saiu para a estrada para coletar algum dinheiro e, no caminho, encontrou um tigre. O tigre ficou surpreso com o encontro e fugiu imediatamente, mas meu pai ficou ainda mais surpreso e depois refletiu muito sobre sua fuga milagrosa. Ele começou a se perguntar se não havia ofendido os deuses. A partir de então, ele mostrou mais respeito pelo budismo e queimava incenso de vez em quando. No entanto, quando minha própria apostasia piorou, o velho não interferiu. Ele só orava aos deuses quando estava em dificuldades.

No inverno de 1920, organizei politicamente os trabalhadores, pela primeira vez, e comecei a ser guiado nisso pela influência da teoria marxista e da história da Revolução Russa. Durante minha segunda visita a Pequim, li muito sobre os acontecimentos na Rússia e procurei ansiosamente a pouca literatura comunista então disponível em chinês. Três livros gravaram profundamente minha mente e construíram em mim uma fé no marxismo, da qual, uma vez que o aceitei como a interpretação correta da história, não vacilei depois. Esses livros eram os manifesto Comunista, traduzido por Chen Wangdao, e o primeiro livro marxista publicado em chinês; Luta de Classe, por Kautsky; e um História do Socialismo, por Kirkupp. No verão de 1920, eu havia me tornado, em teoria e até certo ponto na prática, um marxista e, a partir dessa época, me considerei marxista.

Para ajudar artistas e escritores a encontrarem algumas respostas, o Partido Comunista em maio de 1942 organizou um fórum sobre literatura e arte em Yan'an. Mao Zedong falou duas vezes neste encontro histórico, em parte resumindo o pensamento dos artistas mais progressistas e apresentando conclusões alcançadas por meio de discussões e argumentos. Ele lembrou aos artistas que eles tinham um papel muito importante a desempenhar na luta contínua. A revolução precisava de forças armadas para lutar a batalha da espada, mas isso não foi suficiente. A revolução também precisava de um exército cultural - lutadores armados com canetas - para educar e unir o povo e promover a libertação do país.

Para realizar essa tarefa, escritores e artistas devem primeiro mudar sua posição de classe e se tornar um com as massas, vendo as coisas de seu ponto de vista. Nenhum artista pode escrever de forma convincente sobre o que não sabe. "Os escritores e artistas revolucionários da China, escritores e artistas promissores", disse ele, "devem ir entre as massas ... a fim de observar, experimentar, estudar e analisar todos os diferentes tipos de pessoas, todas as classes, todas as massas , todos os padrões vívidos de vida e luta, todas as matérias-primas da literatura e da arte. " Eles também devem aprender a linguagem das massas. Só então eles podem prosseguir com o trabalho criativo.

Naquela época (1931) Wang Ming, que havia assumido a liderança do Comitê Central do Partido, perseguia sua política de aventureirismo de "esquerda", causando grandes perdas às forças revolucionárias: os soldados do Exército Vermelho foram reduzidos de 300.000 para 30.000 e os membros do Partido Comunista de 300.000 a cerca de 40.000. Sob essas circunstâncias, o Exército Vermelho teve que se mudar. Em outubro. 1934, começou sua Longa Marcha mundialmente famosa em Jiangxi.

Em janeiro de 1935, o Birô Político do Comitê Central do Partido Comunista Chinês realizou uma reunião ampliada em Zunyi, na província de Guizhou. Militar e organizacionalmente, retificou a linha aventureira de "esquerda" de Wang Ming e estabeleceu a liderança de Mao Zedong sobre todo o Partido. A partir de então, a revolução chinesa avançou por um caminho vitorioso. Em outubro de 1935, o Exército Vermelho chegou triunfantemente à região fronteiriça de Shaanxi-Gansu-Ningxia. Mais tarde, esmagou as campanhas de cerco de Chiang Kai-shek. Enquanto o Partido Comunista Chinês lutava pelo estabelecimento de uma frente única nacional contra a agressão imperialista japonesa, ele estabeleceu sua base na cidade de Yan'an, no norte de Shaanxi.

Mao Zedong trabalhou em Guangzhou como chefe interino do Departamento Central de Propaganda do Kuomintang, editou o Political Weekly e dirigiu a Sexta Turma no Instituto do Movimento Camponês. Em novembro de 1926 foi nomeado secretário da Comissão do Movimento Camponês do Comitê Central do Partido Comunista Chinês. Publicadas entre o inverno de 1925 e a primavera de 1927, suas obras Análise das classes na sociedade chinesa e Relatório sobre uma investigação do movimento camponês em Hunan tratavam dos problemas fundamentais relacionados à revolução chinesa e expunham alguns dos fundamentos básicos de Mao idéias sobre a Nova Revolução Democrática na China. Nestes tratados, Mao Tsé-tung sublinhou a grande importância do problema do camponês para a revolução chinesa e a importância primordial da direção do proletariado sobre o movimento camponês. Os críticos de Chen Duxiu, o principal líder do Partido na época, pelos compromissos e concessões que fez ao lidar com a direita do Kuomintang Mao denunciaram o desvio de direita de Chen ao negar ao proletariado sua liderança legítima na Revolução Democrática.

Em abril de 1928, ele se juntou às forças insurgentes de Zhu De para formar o Quarto Exército do Exército Revolucionário dos Trabalhadores e Camponeses (mais tarde renomeado como Exército Vermelho dos Trabalhadores e Camponeses Chineses), com Mao Zedong como representante do Partido e Secretário do o Comitê de Frente e Zhu De como Comandante do Exército. Em janeiro de 1929, ele e Zhu De lideraram o corpo principal do Quarto Exército Vermelho descendo as Montanhas Jinggang até o sul de Jiangxi e o oeste de Fujian, onde mais bases revolucionárias foram estabelecidas (mais tarde se tornariam a Área de Base Revolucionária Central). Com Mao Zedong como seu principal representante, os comunistas chineses procederam da realidade da China. Conduzindo lutas armadas em áreas rurais onde as forças do governo reacionário eram fracas, os comunistas abriram o caminho revolucionário característico da China para a tomada final do poder político do país, cercando cidades das áreas rurais e, em seguida, capturando-as.

Durante a Grande Revolução, o presidente Mao já sabia que os camponeses eram o maior aliado e que a revolução popular não poderia triunfar sem eles. E com certeza, a revolução sofreu uma derrota porque suas opiniões não foram ouvidas. Mais tarde, quando chegamos ao campo. O presidente Mao viu que para fazer a revolução é necessário não só contar com os camponeses, mas também conquistar a média e a pequena burguesia. À medida que a traição contra-revolucionária de Chiang Kai-shek se tornou ainda mais exposta, apenas o burocrata comprador e as classes feudais dos proprietários de terras o apoiaram. Mas um grupo de pessoas dentro do Partido Comunista cometeu erros divergentes de "esquerda" e foi muito estreito em suas perspectivas, sustentando que a média e a pequena burguesia não eram confiáveis. Eles não deram ouvidos ao presidente Mao, e o resultado foi que a revolução sofreu outro revés e tivemos que marchar 25.000 li. Então, o presidente Mao propôs que nos uníssemos com Chiang Kai-shek e outros membros das camadas superiores para resistir à agressão japonesa. Mas algumas pessoas disseram que se quiséssemos união, não deveria haver luta. O presidente Mao respondeu que Chiang e os outros eram nosso inimigo doméstico; estávamos nos unindo a eles para lutar contra o inimigo nacional. Mas eles não eram parceiros ou aliados confiáveis, e devemos nos proteger contra eles; caso contrário, eles podem se voltar contra nós. Tomamos medidas para evitar desvios à direita e para evitar compromissos irrestritos. Durante a presente Guerra de Libertação, erros de desvio de "esquerda" foram cometidos na reforma agrária no campo. A fim de eliminar a classe dos proprietários, os proprietários receberam terras pobres ou nenhuma terra para que não pudessem ganhar a vida; ou muitas pessoas foram classificadas como camponeses ou latifundiários ricos feudais. Além disso, sobre a questão das execuções, foi estipulado que ninguém deveria ser executado, exceto aqueles que cometeram crimes graves, se recusaram a consertar seus caminhos e eram odiados pelo povo. Mas, às vezes, quando o povo ficava furioso, essas distinções não eram feitas e a liderança não tentava persuadir as massas, então muitas pessoas eram condenadas à morte. Isso teve um efeito adverso em nossa frente única com o campesinato, e particularmente com os camponeses médios. Esse erro também foi corrigido pelo presidente Mao.

O camarada Mao Zedong escreveu um lema de quatro palavras para a Escola Central do Partido em Yanan: "Busque a verdade dos fatos." Essas quatro palavras são a quintessência do pensamento de Mao Zedong. Em última análise, a grandeza do camarada Mao e seu sucesso em guiar a revolução chinesa à vitória dependem apenas dessa abordagem. Marx e Lenin nunca mencionaram o cerco das cidades ao campo - um princípio estratégico que não havia sido formulado em nenhum lugar do mundo durante sua vida. No entanto, o camarada Mao Zedong apontou-o como o caminho específico para a revolução nas condições concretas da China. Numa época em que o país estava dividido em domínios separatistas de senhores da guerra, ele liderou o povo na luta para estabelecer bases revolucionárias em áreas onde o controle do inimigo era fraco, para cercar as cidades do campo e, finalmente, tomar o poder político. Assim como o Partido Bolchevique liderado por Lênin fez sua revolução em um elo fraco da corrente do mundo imperialista, nós fizemos nossa revolução em áreas onde o inimigo era fraco. Em princípio, os dois cursos eram iguais. Mas em vez de tentar tomar as cidades primeiro, começamos com as áreas rurais e, gradualmente, circundamos as cidades. Se não tivéssemos aplicado o princípio fundamental de buscar a verdade dos fatos, como poderíamos ter levantado e resolvido esse problema de estratégia?

Um camarada chamado Wu me levou ao comissário. Ele morava em uma típica casa de madeira de Jiangxi com dois cômodos, um com quarto e outro com escritório. Entramos pelo quarto. Nela havia uma cama comum de madeira coberta com um lençol de algodão. Nem mesmo tinha travesseiro. Fiquei menos nervoso. A julgar pela sala, o Comissário deve estar vivendo com a mesma simplicidade de todos nós, pensei. Dois homens conversavam no escritório. O camarada Wu indicou o homem sentado na cadeira e sussurrou: "Esse é o comissário Mao." Eu olhei para ele com curiosidade. Seu uniforme cinza era igual ao nosso. A única diferença era que os bolsos do casaco pareciam especialmente grandes. Seu cabelo preto contrastava fortemente com sua pele clara. Talvez ele fosse um pouco magro demais. Seus olhos pareciam muito grandes e penetrantes. Ele parecia ter cerca de quarenta anos, no máximo. Conversando com um homem à sua frente, ele gesticulou com as mãos; sua voz era gentil. Embora eu não entendesse do que ele estava falando, achei que ele era muito sincero.

A vida do comissário Mao era muito simples e logo conheci seus hábitos. Seus pertences pessoais incluíam apenas dois cobertores, um lençol de algodão, dois uniformes cinza, exatamente como nós vestíamos, um sobretudo surrado e um suéter de lã cinza. Em seguida, ele tinha um guarda-chuva quebrado, uma tigela para comer e uma mochila com nove compartimentos para seus mapas, documentos e livros. Quando estávamos em campanha ou em marcha, ele próprio carregava a mochila e o guarda-chuva. Eu carregaria o resto.Quando chegávamos ao nosso acampamento, eu encontrava duas tábuas de madeira, colocava-as juntas e estendia os cobertores e o lençol sobre elas, dobrando seus uniformes para fazer um travesseiro. Esta era sua cama.

Ele dormia muito pouco. Tínhamos uma pequena lâmpada; durante a marcha, isso era usado como uma tocha para iluminar o caminho, mas quando no acampamento era colocado em um tijolo ou pedra para uso em seu escritório. Depois do jantar, ele acendia essa lamparina, abria sua mochila e tirava mapas, documentos e livros, papéis e pincel de escrita e às vezes trabalhava até o amanhecer.

Eu levantei a questão sobre a ameaça de guerra entre os EUA e os EUA. O presidente disse que a conversa sobre guerra no momento era em grande parte uma cortina de fumaça que os reacionários criaram para encobrir as muitas contradições imediatas que o imperialismo norte-americano enfrenta. O capital monopolista americano, é claro, sonhava em destruir os EUA, mas esse objetivo não era tão imediato. Eles devem primeiro vencer a oposição do povo americano à guerra e, em seguida, devem colocar outros países capitalistas sob o controle americano. Qualquer guerra contra os EUA deveria ser travada através do território de outros países, através da Grã-Bretanha, França e China. Assim, os reacionários americanos usaram toda essa conversa sobre lutar contra os EUA para dar uma desculpa para atacar os direitos civis e padrões de vida do povo americano e para colocar as outras terras capitalistas sob o controle americano. Ele destacou como, sob esse pretexto, os EUA estavam instalando bases militares em muitos lugares e já haviam ocupado uma área muito grande sob controle americano.

O presidente Mao, rindo, ilustrou seu argumento com as xícaras de chá e pequenas xícaras de vinho branco sobre a mesa, colocando uma grande xícara para o imperialismo americano e circundando-a com um círculo de pequenas xícaras de vinho para o povo americano, com uma longa linha em zigue-zague preenchida com caixas de fósforos e cigarros para representar outros países, todos separando o imperialismo americano da União Soviética, uma grande xícara do outro lado. A cooperação do povo, disse ele, era forte o suficiente, se devidamente estimulada, para evitar uma terceira guerra mundial. Mas essa cooperação contra a guerra mundial deve ser despertada, caso contrário, a guerra viria.

A metáfora do "tigre de papel" foi usada durante esta palestra e fiquei especialmente impressionado, não apenas pela metáfora, mas pela maneira como o presidente Mao, sem saber inglês, foi capaz de corrigir a tradução exata de suas palavras. Quando ele disse pela primeira vez que governantes reacionários são tigres de papel, a palavra foi traduzida como "corvo do medo". O presidente Mao interrompeu imediatamente a conversa e pediu-me que lhe contasse o que é um "espantalho". Quando eu respondi que é uma figura semelhante a um homem que os camponeses colocaram no campo para espantar os corvos, ele imediatamente expressou sua insatisfação e disse que não era isso o que queria dizer. Um tigre de papel, disse ele, não é algo morto para assustar os corvos. Isso assusta crianças. Parece um tigre terrível, mas, na verdade, por ser feito de papel prensado, amolece quando úmido e é levado pela chuva forte.

Depois disso, o presidente Mao usou o "tigre de papel" em inglês, rindo do som de palavras em inglês em uma frase, o resto das quais eram chinesas. Antes da Revolução de fevereiro na Rússia, disse ele, o czar parecia muito forte e terrível. Mas uma chuva de fevereiro o levou embora. Hitler também foi arrastado pelas tempestades da história. Os imperialistas japoneses também. Todos eram tigres de papel. A mesma coisa aconteceria com todos os imperialistas e reacionários. Sua força residia apenas na inconsciência das pessoas. A consciência das pessoas é a questão básica. Não explosivos de bombas atômicas, mas o homem que os maneja. Ele ainda está para ser educado. Depois de um momento, acrescentou: Os partidos comunistas têm poder real, porque despertam a consciência do povo.

Meu pai adorava particularmente o irmão Anying, que era um tenente do Exército Vermelho Soviético muito admirado por Stalin e que foi morto no campo de batalha na Coréia. Depois da morte do irmão Anying, por muito tempo só o pai suportou a profunda dor de um velho que havia perdido seu filho querido e escondeu a triste notícia da irmã Songlin para que ela se concentrasse nos estudos. Durante esse período, ele várias vezes contou nos dedos e contou à irmã Songlin sobre os feitos dos mártires, contando a ela como cinco membros de nossa família haviam morrido heroicamente. Naquela época, a irmã Songlin estava completamente no escuro, sem saber o que ele queria dizer. Mais tarde, quando finalmente soube da triste notícia, ficou extremamente triste; ela e o irmão Anying foram separados pela morte após apenas um ano de casamento. Para não despertar a tristeza do pai, ela se escondeu em seu próprio quarto para soluçar, mas o pai ainda descobriu seus dois olhos vermelhos inchados quando ela se sentou à mesa para jantar. Pauzinhos nas mãos, ele ficou pensando profundamente por um longo tempo, então, largando os pauzinhos, saiu lentamente da sala de jantar sem comer nada. Depois disso, a irmã Songlin suprimiu sua dor no coração e engoliu as lágrimas. No entanto, meu pai entendia bem os sentimentos dela. Olhando para o rosto dela ficando mais magro a cada dia que passava, ele a consolou dizendo: "É uma guerra, e a guerra tirará a vida das pessoas. Não pense que Anying não deveria ter morrido pelo povo da China e da Coreia porque era meu filho. " Depois que a notícia da morte do irmão Anying foi tornada pública. O pai disse a Songlin: "De agora em diante, você é minha filha mais velha". A partir de então, ele demonstrou um cuidado especial e amoroso por ela, muitas vezes perguntando pessoalmente sobre suas roupas, comida e outras coisas e chamando-a de "minha própria filha mais velha" em sua correspondência.

Certa vez, a irmã Songlin pediu permissão ao pai para trazer os restos mortais do irmão Anying para a China, mas ele balançou a cabeça e disse: "Mártires podem ser enterrados em qualquer lugar. Por que deveríamos trazer seus restos mortais para casa? Não existem milhares e milhares de mártires entre os Voluntários chineses que foram enterrados na Coréia? " A mente de meu pai era tão ampla quanto o oceano sem limites. Ele considerou o interesse do povo como critério de seu próprio amor e ódio. Os imperialistas dos EUA mataram milhares dos melhores filhos e filhas da nação chinesa, incluindo seu próprio filho querido, mas pelo interesse fundamental do povo chinês e pela amizade entre os povos chinês e americano, ele deixou de lado velhos erros e abriu a porta com suas próprias mãos para estabelecer relações diplomáticas entre a China e os Estados Unidos.


Mao Zedong descreve o novo governo chinês

Na abertura da Conferência Consultiva Política do Povo Chinês & # x2019s em Pequim, Mao Zedong anunciou que o novo governo chinês estará & # x201Sob a liderança do Partido Comunista da China. & # X201D

A conferência de setembro de 1949 em Pequim foi tanto uma celebração da vitória comunista na longa guerra civil contra as forças nacionalistas chinesas quanto a revelação do regime comunista que dali em diante governaria a China. Mao e seus partidários comunistas vinham lutando contra o que alegavam ser um governo nacionalista corrupto e decadente na China desde os anos 1920. Apesar do apoio maciço dos EUA ao regime nacionalista, as forças de Mao & # x2019s foram vitoriosas em 1949 e levaram o governo nacionalista à ilha de Taiwan. Em setembro, com canhões disparando saudações e bandeiras cerimoniais acenando, Mao anunciou a vitória do comunismo na China e prometeu estabelecer a estrutura constitucional e governamental para proteger a revolução & # x201Cpessoas & # x2019s. & # X201D

Ao delinear os vários comitês e agências a serem estabelecidos sob o novo regime, Mao anunciou que & # x201Nosso sistema de estado da Ditadura Democrática do Povo & # x2019s é uma arma poderosa para salvaguardar os frutos da vitória da revolução popular e para conspirações opostas de inimigos estrangeiros e domésticos para encenar um retorno. Devemos agarrar firmemente essa arma. & # X201D Ele denunciou aqueles que se opunham ao governo comunista como & # x201 Reacionários imperialistas e domésticos. & # X201D No futuro, a China buscaria a amizade da & # x201C União Soviética e os novos países democráticos. & # x201D Mao também afirmou que o comunismo ajudaria a acabar com a reputação de país menos desenvolvido. & # x201A era em que os chineses eram considerados incivilizados acabou. Emergiremos no mundo como uma nação altamente civilizada. & # X201D Em 1º de outubro de 1949, a República Popular da China foi formalmente anunciada, com Mao Zedong como seu líder. Ele permaneceria no comando da nação até sua morte em 1976.


HIS 100 - Perspectivas na História

Mao Zedong foi o pai da República Popular da China. Ele governou como presidente do Partido Comunista de 1949 até sua morte em 1976. Embora muitas vezes receba o crédito de modernizar o país e torná-lo uma potência mundial, seu Grande Salto para a Frente e a Revolução Cultural foram violentamente opressores e responsáveis ​​pela morte de milhões de pessoas.

A China de Mao Zedong é um tópico amplo. Há informações suficientes sobre isso para escrever um livro inteiro, e as pessoas o fizeram! Ao iniciar sua pesquisa, considere em qual faceta deste tópico você gostaria de enfocar. Ao fazer isso, pode ser útil escrever uma pergunta de pesquisa como base para sua pesquisa. Leia as Perguntas frequentes da Biblioteca Shapiro sobre como escrever perguntas de pesquisa para obter mais informações.

Aqui está um iniciador de pesquisa que pode lhe dar informações básicas sobre Mao Zedong. Este é um artigo de enciclopédia e, como outras fontes de fundo / referência, é uma ótima fonte para se contextualizar sobre um assunto antes de mergulhar em pesquisas mais profundas. Fontes de plano de fundo podem ajudá-lo a decidir como você gostaria de focar sua pesquisa e quais palavras-chave podem ser úteis. Geralmente, eles não são fontes aceitáveis ​​para usar em seus trabalhos porque resumem e condensam informações sobre um tópico. A pesquisa original e as fontes primárias de referência citadas podem ser um bom lugar para começar.

Uma forma mais antiga de escrever caracteres chineses na escrita romana significava seu nome & # 39Mao Tse-tung. & # 39 Embora & # 39Mao Zedong & # 39 seja a grafia moderna aceita, você ainda pode ver a grafia & # 39Mao Tse-tung & # 39 em alguns recursos e publicações mais antigos.

Continue na página de fontes primárias para ver alguns exemplos de fontes e mais recursos para encontrar fontes primárias neste tópico.


As consequências

No final, por meio de uma combinação de política econômica desastrosa e condições climáticas adversas, cerca de 20 a 48 milhões de pessoas morreram na China. A maioria das vítimas morreu de fome no campo. O número oficial de mortos no Grande Salto para a Frente é de "apenas" 14 milhões, mas a maioria dos estudiosos concorda que esta é uma estimativa substancial subestimada.

O Grande Salto em Frente deveria ser um plano de cinco anos, mas foi cancelado depois de apenas três trágicos anos. O período entre 1958 e 1960 é conhecido como os "Três Anos Amargos" na China. Também teve repercussões políticas para Mao Zedong. Como autor do desastre, ele acabou afastado do poder até 1967, quando convocou a Revolução Cultural.


Citações de Mao Zedong sobre política

19. “Política é guerra sem sangue, enquanto guerra é política com sangue.” - Mao Zedong

20. “O poder político cresce fora do cano da arma.” - Mao Zedong

21. “A luta do povo negro nos Estados Unidos pela emancipação é parte integrante da luta geral de todas as pessoas do mundo contra o imperialismo dos EUA, parte integrante da revolução mundial contemporânea. & # 8221 - Mao Zedong

22. “O Partido Comunista deve controlar as armas.” - Mao Zedong

23. & # 8220Muitos membros de nossa família deram suas vidas, mortos pelo Kuomintang e pelos imperialistas americanos. Você cresceu comendo mel e, até agora, nunca conheceu o sofrimento. No futuro, se você não se tornar um direitista, mas sim um centrista, ficarei satisfeito. Você nunca sofreu & # 8211como pode ser um esquerdista? & # 8221 - Mao Zedong

24. “Comunismo não é amor. O comunismo é um martelo que usamos para esmagar o inimigo. ” - Mao Zedong

25. “O imperialismo não durará muito porque sempre faz coisas más. & # 8221 - Mao Zedong

26. & # 8220É tarefa dos povos de todo o mundo pôr fim à agressão e opressão perpetrada pelo imperialismo. & # 8221 - Mao Zedong

27. “Em nossas relações internacionais, nós, o povo chinês, devemos nos livrar do chauvinismo das grandes potências de maneira resoluta, completa, total e completa.” - Mao Zedong


A Guerra Civil Chinesa

Um senhor da guerra local em Changsha capturou a esposa de Mao, Yang Kaihui, e um de seus filhos em outubro de 1930. Ela se recusou a denunciar o comunismo, então o senhor da guerra a decapitou na frente de seu filho de 8 anos. Mao casou-se com uma terceira esposa, He Zizhen, em maio daquele ano.

Em 1931, Mao foi eleito presidente da República Soviética da China, na província de Jiangxi. Mao ordenou um reinado de terror contra os proprietários de terras, talvez mais de 200.000 pessoas foram torturadas e mortas. Seu Exército Vermelho, composto em sua maioria por camponeses mal armados, mas fanáticos, chegava a 45.000.

Sob crescente pressão do KMT, Mao foi rebaixado de seu papel de liderança. As tropas de Chiang Kai-shek cercaram o Exército Vermelho nas montanhas de Jiangxi, forçando-os a uma fuga desesperada em 1934.


O presidente Mao Zedong usou a morte e a destruição para criar uma nova China

Mao Zedong foi um ditador inflexível responsável pela morte de dezenas de milhões de seu povo - e mesmo assim milhões na China ainda se dirigem a Pequim para visitar seu túmulo, e bilhões comemoram seu aniversário todos os anos.

Mao foi um visionário, um poeta, um erudito e, para alguns, um semideus que, em virtude de sua vontade e sabedoria, transformou a China de um país pobre em uma das superpotências do mundo. No entanto, ele é constantemente agrupado com déspotas do século 20 - loucos, assassinos - como Joseph Stalin e Adolf Hitler.

Mao inspirou os oprimidos a assumir o controle de seus opressores. No entanto, ele lutou durante a maior parte de sua vida para manter seu poder, e o poder do Partido Comunista da China, a qualquer custo.

& quotAqueles que suportaram os piores abusos de Mao execram sua memória, & quot o historiador Jonathan Spence escreveu em & quotMao Zedong: A Life & quot, uma biografia de 2006 do homem que fundou a República Popular da China em 1949 e governou o país até sua morte em 1976. & quotAqueles que beneficiou de suas políticas e seus sonhos ainda o reverenciam, ou pelo menos lembre-se das forças que ele gerou com uma espécie de espanto espantado. & quot

Era Mao. Complicado então. Ainda complicado. Mesmo dentro da China. Talvez especialmente lá.

& quotA história na mente de muitas pessoas é apagada, não é falada, não é mencionada. E os jovens que nada sabem disso consideram Mao um herói nacional. O apelo nacionalista é tão forte ”, diz Xing (Lucy) Lu, Ph.D., Professor Emérito da Universidade DePaul em Chicago. Ela também escreveu & quotA Retórica de Mao Zedong: Transformando a China e seu Povo & quot em 2017. & quotEles consideram isso um monumento a Mao, porque Mao se levantou contra os Estados Unidos, a União Soviética. qualquer superpotência, ele não tinha medo. & quot

Tornando-se Mao

Mao nasceu em 1893 e, quando jovem, foi influenciado pela revolução de 1911, que derrubou a última dinastia imperial da China. Mais tarde, ele se tornou membro fundador do Partido Comunista da China (PCC) e seu presidente. (Ele era, e ainda é, conhecido mundialmente como & quotChairman Mao. & Quot)

Ele liderou batalhas dentro da China e lutou contra as agressões dos japoneses e, em 1949, superou o Governo Nacional da República da China na guerra civil do país, forçando aquela facção a fugir para Taiwan. Em outubro de 1949, ele fundou oficialmente a República Popular da China, então e agora controlada pelo PCC.

Mao foi considerado por alguns um intelectual, um poeta e um estudante de história e literatura chinesa. Ele era um estrategista de guerra estudado e um político astuto impregnado da ideologia do marxismo-leninismo.

Alguns anos antes da formação da China moderna, em um discurso em memória aos membros do PCC, Mao falou do princípio mais nobre de seu partido de & citar o povo. & Quot De seu discurso:

O slogan ainda permanece como uma espécie de doutrina do partido comunista hoje. Mas a história mostra que a China, sob Mao, não conseguiu sustentar essa promessa.

Sua Regra Polêmica

Depois de solidificar seu domínio do poder e conquistar o povo tirando terras dos ricos e dando-as aos trabalhadores, Mao pretendia puxar a China para o século 20 com dois planos notáveis. Ambos foram desastres.

O Grande Salto em Frente teve como objetivo usar os camponeses em áreas rurais para impulsionar uma revolução econômica por meio do aumento da produção de grãos. Ao mesmo tempo, o PCC instou os camponeses nas comunas recém-formadas e nos bairros das cidades a dar os primeiros passos em direção à industrialização, forjando aço por meio da construção e uso de altos-fornos de quintal.

Muitos agricultores mudaram-se para a produção de aço, que não se mostrou economicamente viável. E devido a vários outros fatores, a produção de grãos caiu e não foi suficiente para uma população crescente. O resultado foi uma fome de severidade inescrupulosa. O Grande Salto para a Frente foi responsável por dezenas de milhões de mortes de chineses - talvez até 45 milhões - desde o início em 1958 até o início dos anos 1960. Vários milhões desses números foram executados por vários crimes contra o partido.

"É melhor deixar metade das pessoas morrer", disse Mao durante uma reunião secreta em Xangai em março de 1959, "para que a outra metade possa comer até se fartar."

O fracasso do Grande Salto para a Frente permitiu que algumas outras pessoas poderosas do PCC assumissem o controle de alguns aspectos do governo de Mao, pelo menos por um curto período. Mas em 1966, Mao lançou outro programa mortal destinado ao fracasso.

A Grande Revolução Cultural Proletária, ou simplesmente a Revolução Cultural, foi projetada para ignorar os efeitos do Grande Salto para a Frente, livrar o PCC e o país das pessoas que não concordavam com sua visão e avançar em direção a uma China mais forte. Mao tinha um plano simples: convocou a rebelião contra o partido como uma forma de expurgar os elementos que contrariavam seu modo de pensar.

Milhões foram expulsos de suas casas, espancados, torturados ou jogados na prisão. Muitos milhões foram massacrados em todo o país. Muitos milhares mais cometeram suicídio.

Estudantes armados - a Guarda Vermelha - lutaram entre si e mataram outros que consideravam inimigos de Mao e do comunismo. Eles destruíram artefatos históricos que simbolizavam a "velha" China. Bibliotecas foram fechadas. Livros foram queimados.

& quotMao estava acima da lei. Nesse sentido, ele era como um ditador ”, diz Lu. “Ele também buscava o controle dos métodos de controle da mente das pessoas, fazendo lavagem cerebral por meio do medo, da intimidação e da força. Ele [via] a si mesmo como um salvador da nação e de seu povo. & Quot

A Revolução Cultural lançou o país inteiro no caos econômico e social. Ao final, em 1969, pelo menos 500.000 chineses, talvez até 8 milhões, morreram no levante.

A Revolução Cultural e o Grande Salto para a Frente permanecem como manchas inapagáveis ​​no governo de Mao. Dezenas de milhões foram assassinados e morreram de fome em nome do comunismo.


Mao Zedong - História

Publicado pela primeira vez: como artigos de três parcelas em Luta de Classe, começando Vol. 10, No. 9, setembro de 1986.
Transcrição, edição e marcação: Sam Richards e Paul Saba
Copyright: Este trabalho está em domínio público sob o Creative Commons Common Deed. Você pode copiar, distribuir e exibir livremente este trabalho, bem como fazer trabalhos derivados e comerciais. Por favor, credite a Encyclopedia of Anti-Revisionism On-Line como sua fonte, inclua o url para este trabalho e observe qualquer um dos transcritores, editores e revisores acima.

Mao Zedong morreu há dez anos. Ele foi uma figura extraordinária na história mundial. Sua vida se confundiu com a experiência de um dos eventos mais importantes de todos os tempos, a revolução chinesa. Nascido em 1893, Mao se tornou uma figura importante no Partido Comunista da China (PCC) após sua fundação em 1921.

O PCC teve a pesada tarefa de levar o povo chinês a se libertar da terrível exploração dos imperialistas e reacionários domésticos. A China estava pronta para a revolução. Mas o que era necessário era uma linha política correta para guiar o povo na construção de uma. Em seus primeiros dias, o PCC cometeu muitos erros, ou confiando demais no que pensava serem elementos progressistas da burguesia, ou indo ao extremo oposto e negligenciando a construção de alianças. Mao lutou pelas linhas que mais tarde se mostraram corretas. Ele elaborou uma análise de classe que enfatizou a poderosa força revolucionária representada pelo campesinato pobre: ​​portanto, ele estava confiante no longo prazo.

MAO & # 8217S LIDERANÇA

O PCC sofreu o massacre de grande parte de seus membros em 1927, e teve que abandonar suas bases rurais no sul da China em 1935, por causa de seus erros. Mas logo depois disso, Mao foi eleito presidente do PCC. Ele liderou o Exército Vermelho na Longa Marcha de 6.000 milhas, no final da qual eles alcançaram Yenan, no norte.

Sob a liderança de Mao & # 8217, o PCC lutou contra as forças japonesas, invadindo a China e fez os reacionários liderados por Chiang Kai-shek se unirem em uma frente única contra o Japão. Quando Chiang, apoiado pelo imperialismo dos EUA, se voltou contra o PCC após a Segunda Guerra Mundial, foram as políticas políticas e militares de Mao & # 8217 que guiaram as massas chinesas à vitória e à fundação do Povo & # 8217República da China.

Após a Libertação, o PCC levou o povo chinês a acabar com a exploração e construir uma economia independente do imperialismo, que garantiu ao povo um padrão de vida decente e melhorado, apesar do bloqueio EUA-Soviética. Externamente, a China ajudou a Coreia contra a intervenção dos EUA logo após a Libertação e quebrou o bloqueio da Guerra Fria contra ela.

Durante um período em que os crescentes movimentos de libertação nacional & # 8211 da Argélia ao Vietnã, da Palestina à Azânia & # 8211 estavam enfrentando um violento ataque do imperialismo, quando o movimento comunista estabelecido estava degenerando e se vendendo ao inimigo & # 8211 por todos a China de Mao & # 8217 manteve-se firme, aliando-se aos movimentos revolucionários e lutando contra a contra-corrente revisionista.

PAPEL DOS GRANDES LÍDERES REVOLUCIONÁRIOS NA HISTÓRIA

Todas essas lutas foram lideradas coletivamente por todo o partido, mas Mao, por causa de sua clarividência e prontidão para responder às iniciativas das massas, desempenhou um papel crucial.

Marx disse: & # 8220 Os filósofos interpretaram o mundo, mas o que importa é mudá-lo. & # 8221

Nenhum evento único confirmou esta afirmação mais do que a revolução chinesa. As revoluções são possíveis por causa de causas: a opressão imperialista cria a necessidade de mudança e, ao mesmo tempo, sua possibilidade.

Mas nenhuma revolução acontece & # 8217automaticamente & # 8217. Na China dos anos 20, as condições eram adequadas: as massas estavam prontas para se rebelar contra a opressão do imperialismo e, ao mesmo tempo, nenhuma potência imperialista isolada era forte o suficiente para controlar a China diretamente por conta própria. Mas uma mudança duradoura só poderia ser realizada se esses elementos estivessem concentrados juntos de uma forma que pudesse dar ao movimento uma direção consciente.

Isso só poderia ser feito, e só pode ser feito em qualquer revolução, por um partido comunista que estabeleça uma linha para guiar as massas adiante com base na realidade de sua situação, e envie isso de volta às massas na forma de liderança concreta. As políticas orientadoras e a ideologia do PCC são resumidas em um sistema de idéias geralmente conhecido como Pensamento Mao Zedong, sua fonte foi a realidade do movimento revolucionário, bem como uma destilação das idéias subjetivas corretas das massas e se desenvolveu precisamente no curso de mudança da realidade. Sob sua orientação, o povo chinês cumpriu a tarefa extraordinária de expulsar séculos de opressão por exploradores domésticos e estrangeiros, dando início à construção de uma nova sociedade com muitos novos recursos importantes.

MAOÍSMO: A PROPRIEDADE DE TODO O MOVIMENTO INTERNACIONAL

Seria absolutamente errado ver o Maoísmo como um fenômeno puramente chinês. Precisamente por estar tão intimamente integrado à realidade chinesa, produziu lições esmagadoramente positivas, mas também algumas negativas, que todos os revolucionários têm o dever de aprender. Claro, os revolucionários têm responsabilidades finais pelo movimento em seu próprio país, onde somente eles conhecem profundamente as condições. Mas é preciso ver o comunismo como um movimento internacional, identificar quais são as tendências e, se necessário, polemizar sobre elas. Marx e Engels fizeram isso. Lenin fez isso e Mao também. Temos o dever de fazer o mesmo em relação à revolução chinesa.

Neste ponto, certamente não podemos tentar um resumo completo da contribuição de Mao Zedong & # 8217s, mas será útil listar algumas áreas nas quais achamos que isso foi particularmente importante.

ESTANDE DE CLASSE DE FIRMAS

Mao manteve uma posição firme de classe, sempre defendendo os interesses do povo trabalhador. Ele entendeu muito claramente que o proletariado e o campesinato pobre eram a única força de classe capaz de regenerar a China e assim contribuir para o movimento revolucionário mundial. Ele resistiu a qualquer tendência de tornar o comunismo dependente do movimento da burguesia local, ao mesmo tempo em que resistiu a qualquer sectarismo em relação às diferentes correntes que constituem o que é necessariamente um movimento complexo e multifacetado para o ressurgimento de uma nação oprimida.

Mao aplicou consistentemente seu método de & # 8220 buscar a verdade a partir dos fatos & # 8221 e, ao fazê-lo, chegou a uma visão da realidade que contradizia algumas idéias profundamente arraigadas no movimento comunista de sua época. Havia uma visão predominante de que os países industrializados, onde o nível das forças produtivas era mais alto e o proletariado mais numeroso, seriam inevitavelmente a força que impulsionava o movimento revolucionário a nível mundial, enquanto os países coloniais e semicoloniais deveriam ser. puxado por trás desse processo. (Lenin teve muitos insights que mostraram o contrário, mas estes tendiam a ser esquecidos após sua morte).

PAPEL REVOLUCIONÁRIO DO CAMPONÊS POBRE

Mao descobriu que o campesinato, especialmente o campesinato pobre, pode ser profundamente revolucionário, ao passo que a burguesia nacional sempre será incapaz por si mesma de avançar em uma direção realmente independente do imperialismo.

DINÂMICA HISTÓRICA DO MUNDO NÃO EUROPEU

Mao criticou os chineses que só conheciam a história da Grécia antiga e não a de seu próprio país. O movimento revolucionário chinês restabeleceu a história do comércio e do intercâmbio cultural entre a China e outros países asiáticos e africanos que deram uma contribuição essencial para a dinâmica da história humana antes de ser interrompida pelo capitalismo.

Essas lições desempenharam um papel importante na conscientização dos povos das nações oprimidas. Mas não é menos importante que os revolucionários de origem europeia os aprendam a ajudar a se libertar do chauvinismo cultural que está fortemente enraizado no movimento de esquerda e que o vincula à classe dominante.

ESTRATÉGIA DE PESSOAS & # 8217S GUERRA

As teorias de Mao & # 8217 que guiaram a revolução chinesa à vitória em 1949, particularmente sua teoria da guerra popular, representam uma fusão de muitos aspectos de seu pensamento: sua confiança na força revolucionária fundamental do campesinato, sua compreensão da filosofia dialética , sua completa liberdade do tipo de filistinismo que investe desculpas para condenar a luta armada das nações oprimidas. Ele escreveu: & # 8220O poder político surge do cano de uma arma & # 8221 e enfatizou a necessidade de um exército do povo & # 8217 de um tipo inteiramente novo como a garantia fundamental da causa revolucionária. Ele elaborou uma estratégia para a guerra de guerrilha na qual os combatentes se movem entre o povo como um peixe na água.

O mais importante de tudo era sua teoria de que a revolução chinesa poderia ganhar a vitória cercando as cidades do campo. A prática provou que era correto. Obras de Mao Zedong como & # 8217On prolongada guerra & # 8217 e & # 8217A situação e nossa política após a vitória na guerra de resistência contra o Japão & # 8217 estão ao lado dos maiores escritos de Marx e Lenin, além da importância prática das políticas que eles propomos, são exemplos brilhantes do método materialista dialético e histórico que pode nos ensinar a maneira de abordar qualquer problema.

PAPEL DA POLÍTICA E DA IDEOLOGIA

Como já apontamos, Mao rompeu com o equívoco mecânico dos processos sociais e econômicos da história mundial, e da era imperialista em particular, uma concepção verdadeiramente dialética dos modos de produção, formações sociais e relações de produto com a qual Mao Zedong & O trabalho do # 8217s abriu o caminho, pode nos ajudar a entender as causas mais profundas dos & # 8217eventos & # 8217 históricos.

Ao mesmo tempo, porém, Mao também repudiou outro erro dentro do movimento comunista que consistia em superestimar a importância das chamadas leis econômicas, em detrimento da política e da ideologia. O homem enfatizou o papel da consciência na promoção da mudança. Nem todos os aspectos da ideologia foram tratados de forma adequada: a revolução chinesa fez progressos inadequados na avaliação da importância do racismo em escala mundial, por exemplo. Mas Mao avaliou com precisão a importância da cultura revolucionária. Ele enfatizou a necessidade de uma cultura que permeie as grandes massas trabalhadoras e reflita suas aspirações, ao mesmo tempo que aprecia o papel de um gênio como o escritor Lu Xun.

CONSTRUINDO A PARTE COMUNISTA

Mao deu grande importância à construção do Partido Comunista nas linhas corretas. Ele disse que era preciso ter fé nas massas e ter fé no partido. Ele apresentou o conceito de & # 8220servir o povo & # 8221 e o estilo de liderança de & # 8220 das massas às massas & # 8221, argumentando que os comunistas devem concentrar as idéias corretas das massas como base para a liderança que dão ao movimento de massa. Os comunistas, disse ele, não procuram cargos políticos para si próprios, procuram a revolução.

Os diferentes aspectos da perspectiva maoísta que foram forjados durante os anos de luta anteriores à vitória da revolução chinesa, foram desenvolvidos pelo presidente Mao após 1949 em relação à natureza da sociedade socialista e às tarefas que ela enfrenta, e também à novas tarefas internacionais surgidas no período pós-Segunda Guerra Mundial.

TRANSIÇÃO PARA A REVOLUÇÃO SOCIALISTA

Compreendendo profundamente o fato de que a revolução nas nações oprimidas é, em essência, anti-imperialista, Mao Zedong viu que a vitória na luta pela democracia conquistada com a fundação da República Popular da China em 1949, abriu o caminho para um progresso ininterrupto para a revolução socialista por etapas.

Mao tinha uma profunda convicção de que as revoluções são obra das massas. Ele sempre sentiu que os verdadeiros reacionários são uma pequena minoria e é possível unir uma ampla gama de forças contra eles. Isso pode ser difícil, mas é tarefa dos comunistas realizá-lo. Durante a revolução até 1949, o Partido Comunista conseguiu ganhar a liderança de uma ampla gama de forças sociais que estavam prontas para lutar por pelo menos algum aspecto da dignidade humana contra os opressores nacionais e estrangeiros. Mesmo com a transição para a revolução socialista muito mais radical após 1949, Mao procurou manter esses aliados e transformá-los gradualmente, em vez de deixá-los cair em uma posição reacionária.

Mas o mais importante de tudo foi a aliança operário-camponesa. A menos que isso pudesse ser consolidado de uma forma muito real, por meio de políticas reais e concretas, qualquer conversa sobre socialismo não teria sentido.

EXISTÊNCIA DE CONTRADIÇÃO NA SOCIEDADE SOCIALISTA

Durante o período de Stalin, a União Soviética passou a pensar que o Partido Comunista governante deveria ser monolítico, com apenas um único conjunto de ideias, e mesmo na sociedade socialista em geral, as diferenças eram consideradas uma espécie de anomalia. A concepção de Mao & # 8217 era muito diferente. Como um expoente completo do materialismo dialético, ele sustentava que a contradição era a força vital de qualquer fenômeno ou processo. As contradições dentro da sociedade socialista são uma expressão de sua realidade material e sua vivacidade & # 8211 sem elas, estaria morto.

Mao distinguiu dois tipos diferentes de contradições. Ele se opôs à visão de que qualquer pessoa que discordasse da concepção oficial era parte do inimigo. Ao mesmo tempo, em um mundo ainda governado por forças hostis ao socialismo, é claro que havia inimigos reais, portanto, os dois tipos de contradição não devem ser confundidos.

LUTA DE DUAS LINHAS

O incentivo de Mao & # 8217 ao debate e choque de idéias dentro do partido e dentro da sociedade socialista não significava que ele considerava essas idéias basicamente neutras. Pelo contrário, até a abolição da sociedade de classes em escala mundial, as idéias ainda teriam um caráter de classe . Ele acreditava firmemente que o progresso no movimento comunista era determinado pela luta entre duas linhas ou pontos de vista opostos. A luta de duas linhas reflete os interesses conflitantes do proletariado e da burguesia, mas, é claro, a questão só pode ser resolvida com o teste da prática, e mesmo aqueles que propõem uma linha burguesa não são necessariamente agentes da burguesia. Mao acreditava no princípio de & # 8220curar a doença para salvar o paciente & # 8221 a fim de vencer aqueles que haviam apresentado linhas erradas.

CULTURA NA SOCIEDADE SOCIALISTA

Com relação à cultura da sociedade socialista, Mao propôs o princípio de & # 8220 deixar cem flores & # 8217 florescer e cem escolas de pensamento sustentam . Isso deve ser entendido de um ponto de vista duplo. Por um lado, o socialismo deve ser uma sociedade que dê o máximo de participação à criatividade humana e, portanto, será mais rica e variada do que as formas anteriores de sociedade. Por outro lado, enquanto as classes existirem, ideias reacionárias podem surgir, mas o socialismo só pode crescer mais forte no combate ao que é reacionário, então o princípio de deixar uma centena de flores florescer promove a luta de duas linhas.

CONSTRUINDO A BASE DE CLASSE E ECNÔMICA PARA O SOCIALISMO

Mao entendeu a necessidade de manter a base de classe para o socialismo mesmo depois da revolução. A aliança operário-camponesa foi um fator-chave e, em certo sentido, precisava estar embutida na própria base econômica. Conseqüentemente, Mao apresentou uma linha melhor resumida em seu artigo & # 8220On the Ten Major Relationships & # 8221 (1956), que defende a colocação de grande ênfase nas massas rurais. Isso criará demanda para os produtos da indústria leve e, por sua vez, haverá uma base confiável para a indústria pesada.

Este modo de desenvolvimento contrasta com o usado na União Soviética na década de 1930 & # 8217, em que o campesinato foi pressionado para fornecer um enorme excedente, o que de fato permitiu uma rápida industrialização, mas também enfraqueceu a base de classe do socialismo, além de levar a o deslocamento entre os diferentes setores da economia de que ainda sofre a União Soviética.

Assim, as diferenças entre os tipos de sociedade chinesa e soviética vão muito além da simples questão de quem está consciente e quem não está consciente do problema da restauração capitalista. Existem diferenças muito concretas, talvez sempre qualitativas, entre os tipos de sociedade que os dois países estavam construindo durante seus períodos iniciais de construção socialista. Foi necessário grande coragem para os chineses sob a liderança de Mao & # 8217 para trilhar uma estrada independente.

O CAMINHO A SEGUIR PARA AS NAÇÕES OPRIMIDAS

Há outro ângulo de onde podemos olhar para o modelo econômico de desenvolvimento maoísta. Não é apenas uma lufada de ar fresco dentro do movimento socialista, mas também tem um significado profundo para os debates dentro do movimento do terceiro mundo. Além de mostrar ao movimento socialista que direção ele deve tomar, o modelo maoísta também mostra ao terceiro mundo que ele deve tomar uma direção socialista. Mesmo que aspirem genuinamente à independência, os países que se permitem integrar no mercado capitalista mundial encontrarão inevitavelmente as suas estruturas internas forçadas a um molde capitalista: dentro deste molde as receitas do campesinato são absurdamente baixas porque a estrutura de preços entre a agricultura e a indústria refletem o de um capitalismo desenvolvido, onde a produtividade agrícola é muito mais alta, e isso fornece uma barreira crucial para o desenvolvimento. O Maoísmo aponta o caminho a seguir para um & # 8220despensar & # 8221 da economia capitalista mundial e mostra que o desenvolvimento para o terceiro mundo só pode ser realizado sob o socialismo.

ANÁLISE DA SITUAÇÃO MUNDIAL

O Partido Comunista da China (PCC), sob a liderança de Mao & # 8217, tinha uma compreensão muito aguda da situação mundial geral. Na conversa de Mao & # 8217 com a americana Anna Louise Strong, ele caracterizou corretamente toda uma era na história mundial & # 8211 a da Guerra Fria & # 8211 apontando que embora a América realmente estivesse ameaçando a União Soviética, ao mesmo tempo estava também usando esta questão e uma cobertura para expandir suas próprias esferas de influência e foi na área & # 8220intermediária & # 8221 que a ameaça mais aguda estava.

O problema do papel correto na política mundial para um estado socialista, e a relação entre este e o movimento revolucionário mundial, era muito difícil e o PCC deu grandes contribuições a esse respeito. A experiência da União Soviética acumulou uma série de problemas, especialmente na maneira como se esperava que os revolucionários se conformassem às voltas e reviravoltas da política externa soviética nos anos que antecederam a Segunda Guerra Mundial. Já na década de 1940 & # 8217, Mao já apontava que a situação pós-Segunda Guerra Mundial poderia obrigar a União Soviética a entrar em alguns compromissos com os países imperialistas, mas isso não obrigaria os revolucionários desses países a seguir o exemplo.

ABORDAGEM PRINCIPAL PARA AS RELAÇÕES INTERNACIONAIS

Depois que a China, por sua vez, se tornou um estado socialista, Mao e seu camarada próximo Zhou Enlai, elaboraram alguns novos princípios muito importantes para governar as relações exteriores. Estes foram diferenciados em três tipos de relações, a saber, partido a partido, estado a estado e relações interpessoais. O objetivo era reunir todas as forças possíveis na mais ampla frente única contra o principal inimigo, o imperialismo dos EUA tentou de tudo para fazer as nações do mundo, particularmente as nações do terceiro mundo recém-independentes, se alinharem com ele e ficarem sob seu domínio. Mais tarde, a União Soviética tentou o mesmo truque. As massas populares nos países oprimidos resistiram vigorosamente e os governos de muitos estados, mesmo que fossem bastante reacionários em alguns aspectos, tiveram que aceitar as demandas das massas e mostrar certas tendências para a independência. Caso contrário, eles teriam sido expulsos. A virtude da abordagem baseada em princípios da China era que ela distinguia claramente entre o próprio movimento de massa (expresso mais claramente nos movimentos de libertação) e as políticas governamentais que lhe deram expressão circunstancial, enquanto, ao mesmo tempo, encorajava tudo o que era progressivo neste último . E o próprio movimento comunista, que é indispensável como núcleo de qualquer movimento revolucionário bem-sucedido a longo prazo, foi considerado novamente como um nível separado.

A China recusou-se a abandonar os revolucionários para obter o favor de qualquer governo. A China manteve relações amistosas de estado com vários países, por exemplo, Burma e Tailândia & # 8211 enquanto os revolucionários desses países estavam aplicando o Marxismo-Leninismo-Pensamento Mao Zedong às suas próprias condições e fazendo a revolução com o encorajamento ativo do PCC.

A DISTINÇÃO ENTRE MARXISMO E REVISIONISMO

Por volta da virada do século, havia uma tendência que tentava revisar o marxismo eliminando sua essência, por exemplo, alegando que poderia haver uma transição pacífica para o socialismo. Os comunistas genuínos empreenderam um contra-ataque contra este & # 8220revisionismo & # 8221 no qual eles não apenas justificaram as idéias de Marx, mas também desenvolveram sua teoria. Lenin viu que os revisionistas estavam apoiando sua própria burguesia na questão colonial, e desenvolveram uma linha sobre isso questão que ia além de Marx. Como disse Lenin, a vitória teórica do marxismo obrigou sempre, seus inimigos a se disfarçarem de marxistas. Esta é uma verdade profunda que se aplica a todo o tempo presente.

Mao compreendeu totalmente essa verdade e entendeu que a linha do movimento comunista se desenvolve na luta contra o que é negativo. Sob sua liderança, o Comitê Central do PCC identificou o fato de que uma nova tendência internacional, que eles chamaram de & # 8220 revisionismo moderno & # 8221, havia surgido. A liderança soviética vinha defendendo, particularmente desde seu 20º Congresso do Partido em 1956, uma linha que sustentava que a coexistência pacífica entre eles e os EUA era o fator decisivo, influenciando a situação mundial e alegando que as lutas de libertação nacional e de classe poderiam proceder de forma moderada, sem enfrentar a violência.

O CPC decidiu contra-atacar no início dos anos 1960 & # 8217s com uma série de documentos escritos coletivamente que juntos formam a & # 8220Polêmica na Linha Geral do Movimento Comunista Internacional & # 8221. O PCC cometeu alguns erros, mas no geral a polêmica é uma reafirmação surpreendentemente correta e sistemática dos princípios marxista-leninistas básicos, bem como o desenvolvimento criativo da teoria.

PRINCIPAIS LIÇÕES DA LUTA ANTI-REVISIONISTA

Hoje chamamos nosso movimento de Marxista-Leninista porque os revisionistas se afastaram de certas verdades científicas que se aplicam a toda a era do capitalismo e do imperialismo, e a Polêmica as reafirmou. Eles incluem o seguinte:
(a) O estado capitalista é um instrumento de violência para a manutenção do domínio capitalista, e é virtualmente impossível que os exploradores abram mão do poder voluntariamente.
(b) As relações entre os países socialistas e capitalistas nunca podem determinar o desenvolvimento dos três outros conflitos importantes no mundo, ou seja, a luta de classes, a libertação nacional e o confronto entre potências imperialistas rivais.
(c) O imperialismo como sistema é a fonte da guerra. Conseqüentemente, as lutas que servem para abolir o imperialismo, especialmente as guerras revolucionárias de libertação nacional, nunca podem ser suspensas sob a desculpa de que perturbariam a paz mundial.

Entre as novas ideias desenvolvidas, as seguintes são particularmente importantes:

As nações oprimidas estão enfrentando uma nova era de neocolonialismo em que as tarefas de libertação nacional, longe de estarem acabadas, passam para um plano superior.

Ásia, África e América Latina são foco de contradições no mundo contemporâneo.

As tempestades políticas em todo o Terceiro Mundo em tempos de relativa paz dentro dos estados imperialistas provaram amplamente o ponto.

De todas as idéias apresentadas por Mao Zedong, a mais controversa é sua idéia da necessidade de uma & # 8217Revolução Cultural & # 8217. Ao contrário de quase todas as suas outras teorias, esta não foi justificada pela prática. Mas a Revolução Cultural da China continua sendo um evento sem precedentes na história do movimento comunista internacional, com o qual podemos aprender com suas experiências positivas e negativas.

É provável que leve algum tempo antes que o movimento internacional ou mesmo o Partido Comunista Chinês sejam capazes de fazer uma análise científica completa desse evento. Mas seus temas básicos continuam sendo um dos principais problemas não resolvidos na construção do socialismo.

O objetivo da Revolução Cultivada era evitar a ameaça de uma restauração do capitalismo em um país socialista. Os reacionários ficam felizes em argumentar que a revolução inevitavelmente dá origem a uma nova sociedade opressora. Mas para os revolucionários, desde a União Soviética, uma vez que um modelo vivo, claramente não pode mais ser considerada uma sociedade socialista. A questão da restauração do capitalismo ainda é vital.

NECESSIDADE DE UM MOVIMENTO DE MASSA PARA EVITAR A RESTAURAÇÃO DE CAPITALISTA

No mínimo, podemos dizer que um agrupamento burocrático detém o poder agora na URSS, o que transformou o Partido Comunista em seu instrumento e monopólios de riqueza e privilégio. A única fonte possível de seu estilo de vida extravagante é a mais-valia gerada pelos trabalhadores.

Assim, podemos nos referir a esse grupo como uma nova classe de exploradores. Mesmo que não possuam os meios de produção, eles controlam a economia nacionalizada porque controlam o estado. Além disso, externamente eles oprimem outras nações, como Afeganistão, Polônia e Eritreia. Certamente, a União Soviética não é mais socialista e, a menos que presumamos a existência de um modo de produção explorador completamente novo, é provavelmente correto chamá-lo de capitalista.

Assim, podemos ver que a avaliação de Mao & # 8217 sobre o perigo da restauração capitalista e a necessidade de um movimento de massa para impedir o tom na China estava correta em um sentido geral.

GRAVE ERRORS NA PRÁTICA

Em sua prática real, a Revolução Cultural falhou em realizar as tarefas que ainda são necessárias. Foi uma experiência negativa grave, um reverso na história do socialismo. As novas ideias esperadas, novos sucessores da revolução, novas formas de organização social não se materializaram. Em vez disso, um grande número de pessoas que, na pior das hipóteses, cometeram apenas pequenos erros, foram rotulados de & # 8220 roaders capitalistas & # 8221 e maltratados e o estilo de trabalho do partido & # 8217, herdado das guerras revolucionárias, foi derrubado. Muitos oportunistas usaram o movimento de massa para se impulsionar ao poder. Quando o sucessor de Mao & # 8217, o camarada Hua Guofeng jogou fora o & # 8217Gang of Four & # 8217, houve um grande alívio popular.

A experiência da Revolução Cultural causou confusão porque os conceitos corretos que Mao apresentou (a necessidade de combater o revisionismo e continuar a revolução sob a ditadura do proletariado) foram desacreditados pela prática real do movimento.

FALHA EM & # 8217 PROCURAR A VERDADE DOS FATOS & # 8217

A Revolução Cultural foi lançada com base em uma análise geral da situação mundial, e não em uma análise concreta da situação na China. Como a Comuna de Paris de 1871, pode ser vista como uma primeira tentativa histórica com a qual o movimento internacional pode aprender muito para fazer melhor da próxima vez.

Supunha-se que o alvo da Revolução Cultural eram os revisionistas e as pessoas que seguiam pelo caminho capitalista. Mas não havia uma definição desses fenômenos nas condições concretas da China. O processo de formação do capitalismo central nos países imperialistas é diferente daquele do capital dependente do Terceiro Mundo, e também diferente daquele do capitalismo burocrático de Estado na URSS. Essas distinções cruciais foram completamente negligenciadas.

Na prática real também, o conceito de & # 8217ver a verdade dos fatos & # 8217 foi abandonado e as pessoas confiaram em slogans abstratos. Na primeira parte da revolução chinesa, Mao sempre combateu o que chamou de & # 8220 escrita partidária estereotipada, comercialização de frases vazias e o estilo de & # 8220 luta implacável e golpes implacáveis ​​& # 8221 apontando corretamente que estes refletiam uma falha em lidar com realidade material de uma situação. Mas, na Revolução Cultural, esses estilos ruins de trabalho se tornaram a norma e atingiram proporções fantásticas.

Outro aspecto do Pensamento de Mao Zedong que foi derrubado pela prática da Revolução Cultural foi a importante distinção entre contradições antagônicas e não antagônicas. Um grande número de pessoas foi tratado como inimigo, ao invés de simplesmente influenciado pelas idéias burguesas. A política de enviar intelectuais para fazer trabalho manual entre as massas foi tratada como uma punição. Esse erro crítico violou algumas das tendências corretas, além de levar a maus-tratos a incontáveis ​​indivíduos.

Como mostra o argumento acima, mesmo uma crítica aos erros de Mao & # 8217s pode ser realizada aplicando-se o Pensamento de Mao Zedong como um sistema. Esta é uma medida de sua correção fundamental, da mesma forma que os erros cometidos por Marx e Engels como indivíduos podem ser explicados e retificados por uma aplicação consistente do princípio do materialismo histórico que eles propuseram.

UPHOLD MARXISM-LENINISM AND MAO ZEDONG THOUGHT

Em 1962, Mao afirmou que: & # 8220Os próximos 50 a 100 anos ou mais, começando agora, serão uma grande era de mudanças radicais no sistema social em todo o mundo, uma era de abalar a terra sem igual em qualquer período histórico anterior . Vivendo em tal era, devemos estar preparados para nos engajar em grandes lutas que terão muitas características diferentes em sua forma daquelas do passado. & # 8221

Alguns anos depois, iniciou-se o período da grande crise estrutural do sistema imperialista mundial, em que ainda vivemos. Os novos problemas levantados neste período são excepcionalmente complexos, mas igualmente as oportunidades para a revolução são grandes. Mais do que nunca, precisamos dos métodos experimentados e testados do Pensamento de Mao Zedong do Marxismo-Leninismo para nos guiar para a frente e do espírito revolucionário indomável do Camarada Mao & # 8217s Zedong & # 8217s para nos inspirar à vitória.


HIS 100 - Perspectivas na História

Aqui estão alguns exemplos de fontes primárias relacionadas à China de Mao Zedong, incluindo um dos discursos de Mao Zedong e uma seleção de sua poesia.

Zhou, X. (2012). A grande fome na China, 1958-1962: uma história documental. Yale University Press.

Este livro explora a grande fome na China após a implementação da política do Grande Salto para a Frente de Mao & # 39. O livro inclui informações primárias e secundárias. Procure por páginas com & quotdocumento & quot em seus títulos para documentos primários. O primeiro, um relatório sobre o surto de fome e mortes relacionadas a partir de 1959, pode ser encontrado na página 4.

Mao, T. (1949). O povo chinês se levantou! Obras Selecionadas de Mao Tse-Tung, Vol. 5

Este discurso foi o discurso de abertura de Mao na Primeira Sessão Plenária da Conferência Consultiva Política do Povo Chinês, poucos dias antes de ele proclamar oficialmente a República Popular da China em 1º de outubro de 1949. A frase, & quotO povo chinês se levantou up, & quot foi amplamente atribuído como um slogan do Partido Comunista Chinês.

Procurando por mais

Aqui estão alguns recursos adicionais que você pode usar ao continuar sua pesquisa. Os recursos a seguir são coleções online de obras de Mao Zedong. Eles não são bancos de dados de biblioteca, mas são coleções extensas de seus escritos e outras fontes primárias.


Mao Zedong

Definição e resumo de Mao Zedong e do comunismo chinês
Resumo e definição: Mao Zedong (26 de dezembro de 1893 9 de setembro de 1976), foi o líder do Partido Comunista da China e o fundador da República Popular da China. Ele também é conhecido pelo nome de Mao Tse-tung ou simplesmente Presidente Mao. Após a segunda guerra mundial, Mao Zedong e os comunistas lideraram a Revolução Chinesa e expulsaram Chiang Kai-shek, líder do Partido Popular Nacional, e assumiu o controle da China em 1949. Mao Zedong e os comunistas tornaram-se populares entre os camponeses na China prometendo reformas agrárias para as pessoas que estavam à beira da fome em massa.

O presidente Mao foi um líder brutal e temporariamente perdeu o poder em 1958, quando seus planos de industrializar a China, chamado de "Grande Salto para a Frente", fracassaram. Mao Zedong recuperou o poder em 1966 durante a Revolução Cultural com o apoio da Guarda Vermelha. A filosofia de Mao Zedong em relação ao comunismo é conhecida como Maoísmo. A filosofia de Mao Zedong em relação ao comunismo é conhecida como Maoísmo e ele é famoso pelo & quotPequeno Livro Vermelho & quot, que continha seus pensamentos e citações.

Mao Zedong - Comunismo na China
Harry Truman foi o 33º presidente americano que ocupou o cargo de 12 de abril de 1945 a 20 de janeiro de 1953. Um dos eventos importantes durante sua presidência foi a ascensão de Mao Zedong com a Revolução Chinesa de 1949 e a propagação da Guerra Fria para além da Europa para o Leste Asiático.

Fatos de Mao Zedong: Folha de dados rápida
Fatos rápidos e divertidos e perguntas frequentes (FAQ) sobre Mao Zedong e a Revolução Chinesa de 1949.

Quem foi Mao Zedong? Mao Zedong foi um famoso líder comunista chinês e fundador da República Popular da China.

Quando ele nasceu e qual foi a data da sua morte? Mao Zedong nasceu em uma família de agricultores em 26 de dezembro de 1893 e morreu em 9 de setembro de 1976. Ele se casou 4 vezes e teve 10 filhos.

Por que os camponeses apoiaram Mao Zedong? Mao Zedong ganhou o apoio dos camponeses prometendo reformas agrárias aos camponeses chineses que estavam à beira da fome em massa. Os camponeses preferiam Mao Zedong ao impopular e corrupto Chiang Kai-shek.

Fatos de Mao Zedong para crianças: a Guerra Fria
A ascensão de Mao Zedong e do comunismo na China resultou na disseminação da Guerra Fria para além da Europa no Leste Asiático. Mao Zedong e os comunistas chineses lutaram contra Chiang Kai-shek e o partido nacionalista Kuomintang (KMT) desde os anos 1920. As hostilidades entre as duas facções cessaram devido à sua aliança temporária durante oito anos de guerra com o Japão (1937-1945), mas após a Segunda Guerra Mundial, a Guerra Civil Chinesa estourou novamente. Os Estados Unidos envolveram-se na política chinesa ao fornecer ajuda financeira a Chiang Kai-shek e ao governo nacionalista para deter a ameaça de Mao Tsé-tung e a disseminação do comunismo na Ásia. Chiang Kai-shek e o partido nacionalista Kuomintang (KMT) foram derrotados em 1949 e fugiram para Taiwan. Em 1950, a URSS e a República Popular da China anunciaram a assinatura de um tratado concordando com a defesa e assistência mútua. Os americanos ficaram horrorizados com o fato de as duas maiores nações comunistas do mundo terem formado uma aliança e a Guerra Fria atingir um nível crítico quando a China entrou na Guerra da Coréia.

Cronologia de Mao Zedong e fatos para crianças
A folha de fatos a seguir contém uma linha do tempo e informações interessantes, história e fatos sobre Mao Zedong para crianças.

Fatos e cronograma de Mao Zedong para crianças

Fatos de Mao Zedong - 1: 26 de dezembro de 1893: Mao Zedong nasceu em 1893 em uma família de agricultores em Shaoshan, condado de Xiangtan, província de Hunan, China, onde foi educado em uma escola primária local.

Fatos de Mao Zedong - 2: 1906: Ele foi forçado a um casamento arranjado aos dezessete anos, juntando duas famílias ricas que possuíam uma grande quantidade de terras.

Fatos de Mao Zedong - 3: 1910: Ele testemunha os efeitos de uma terrível fome em Hunan.

Fatos de Mao Zedong - 4: 1911: Ele luta no lado revolucionário na Revolução de 1911 (Revolução Xinhai) que derruba a última dinastia imperial da China (a dinastia Qing) e estabelece a República da China (ROC)

Fatos de Mao Zedong - 5: 1912: Ele retorna à educação na Quarta Escola Normal de Changsha e se forma

Fatos de Mao Zedong - 6: 1919: Viaja para Pequim, onde trabalha na Biblioteca da Universidade, onde começa a ler literatura marxista.

Fatos de Mao Zedong - 7: 1921: Torna-se membro fundador do Partido Comunista Chinês (PCC) e cria uma filial em Hunan.

Fatos de Mao Zedong - 8: 1923: O partido nacionalista Kuomintang (KMT) aliou-se ao Partido Comunista Chinês para derrotar os senhores da guerra chineses que controlavam a maior parte do norte da China.

Fatos de Mao Zedong - 9: 1927: Chiang Kai-shek, o líder do KMT, lança um violento expurgo anticomunista e Mao Zedong lidera o Levante da Colheita de Outono, o primeiro levante armado pelos comunistas, em Changsha, Hunan

Fatos de Mao Zedong - 10: 1927: A Revolta da Colheita de Outono foi derrotada pelas forças do Kuomintang e os comunistas foram forçados a recuar para as Montanhas Jinggang. Mao Zedong e o fundador do Exército Vermelho, Zhu De, começam a desenvolver uma estratégia rural que se concentra em táticas de guerrilha.

Fatos de Mao Zedong - 11: Outubro de 1934: A Guarda Vermelha conta com 45.000 combatentes, além de 200.000 milícias. As forças nacionalistas de Chiang Kai-shek s cercam os comunistas que escapam pela Longa Marcha.

Fatos de Mao Zedong - 12: 14 de outubro de 1934: The Long March, (1934 a 1935). A Longa Marcha foi a jornada de 6.000 milhas dos comunistas chineses por 8 cadeias de montanhas e 24 rios, que resultou na transferência da base revolucionária comunista do sudeste da China para a província de Shaanxi, no noroeste.

Fatos de Mao Zedong - 13: 1937: As hostilidades entre as duas facções cessaram devido à sua aliança temporária para lutar contra os japoneses durante 8 anos de guerra com o Japão (Segunda Guerra Sino-Japonesa, 1937-1945)

Fatos de Mao Zedong - 14: 1939 - 1945: Durante a 2ª Guerra Mundial, Chiang Kai-shek foi reconhecido como um dos & quotBig Four & quot líderes aliados junto com Stalin, Roosevelt e Churchill e viajou para participar da Conferência do Cairo em novembro de 1943.

Fatos de Mao Zedong - 15: 1945: A Segunda Guerra Sino-Japonesa terminou quando o Japão foi derrotado na 2ª Guerra Mundial. A guerra civil chinesa entre nacionalistas e comunistas estourou novamente.

Fatos de Mao Zedong - 16: 1946: Os Estados Unidos se envolveram na política chinesa ao fornecer ajuda financeira a Chiang Kai-shek e ao governo nacionalista para deter a ameaça de Mao Zedong e a disseminação do comunismo na Ásia.

Fatos de Mao Zedong - 17: 1949: Chiang Kai-shek e o partido nacionalista foram derrotados pelos comunistas na Revolução Chinesa de 1949 e fugiram para Taiwan.

Fatos e cronograma de Mao Zedong para crianças
O seguinte folheto informativo e cronograma continuam com informações, história e fatos interessantes sobre Mao Zedong para crianças.

Fatos e cronograma de Mao Zedong para crianças

Fatos de Mao Zedong - 18: 1 de outubro de 1949: Mao Zedong fundou a República Popular da China e tornou-se o presidente do Partido Comunista e o líder absoluto da China. Como Stalin, ele se tornou um ditador opressor e brutal. Quaisquer objeções ao seu regime foram imediatamente suprimidas, levando a inúmeras execuções ou prisão em campos de trabalho forçado.

Fatos de Mao Zedong - 19: 15 de fevereiro de 1950: A URSS e a República Popular da China anunciaram a assinatura de um tratado concordando com a defesa e assistência mútua (Tratado Sino-Soviético de Amizade). Este tratado entre as duas maiores nações comunistas do mundo coincidiu com os testes bem-sucedidos dos soviéticos de sua primeira bomba atômica, que deu início à corrida armamentista da Guerra Fria.

Fatos de Mao Zedong - 20: 25 de junho de 1950: A Guerra da Coréia (25 de junho de 1950 a 27 de julho de 1953) começou entre o norte comunista apoiado pelos soviéticos e os EUA e o Sul apoiado pela ONU.

Fatos de Mao Zedong - 21: Outubro de 1950: a China entra na Guerra da Coréia permitindo que os comunistas norte-coreanos recuperem o território perdido. O general Macarthur queria expandir a guerra da Coréia para a China. O presidente Truman recusou e libertou Macarthur de seu comando.

Fatos de Mao Zedong - 22: 27 de julho de 1953: A Guerra da Coréia terminou com um armistício que foi assinado pelos Estados Unidos, República Popular da China, Coreia do Norte e Coreia do Sul em julho de 1953.

Fatos de Mao Zedong - 23: 5 de março de 1953: Quando Stalin morreu em 5 de março de 1953, Mao Zedong sentiu que era agora o líder comunista sênior e ficou ressentido quando os novos líderes soviéticos Khrushchev e Malenkov não reconheceram isso. Nesse ponto, a aliança entre os soviéticos e a China começou a esfriar.

Fatos de Mao Zedong - 24: 8 de março de 1954: Os EUA e o Japão assinaram o Acordo de Assistência de Defesa Mútua em Tóquio. Com a vitória de Mao Zedong e dos comunistas na Revolução Chinesa de 1949, os Estados Unidos perderam seu principal aliado na Ásia. Os EUA agora viam o Japão como a chave para defender a Ásia contra o comunismo durante a Guerra Fria.

Fatos de Mao Zedong - 25: Maio de 1956: A Campanha das Cem Flores começou com um movimento dentro do governo comunista da China para suspender as restrições impostas aos intelectuais chineses e conceder maior liberdade de pensamento e expressão.

Fatos de Mao Zedong - 26: 1958: O presidente Mao apresentou seu plano denominado "Grande Salto para a Frente" (1958 a 1961). O 'Grande Salto para a Frente' foi uma campanha econômica e social com o objetivo de transformar rapidamente a China de uma economia agrária em uma sociedade socialista por meio da rápida industrialização.

Fatos de Mao Zedong - 27: 1961: O 'Grande Salto para a Frente' contou com o sistema comunal e a mobilização em massa de mão-de-obra para melhorar a produção agrícola e industrial. A política levou a um declínio maciço na produção agrícola, o que, junto com as colheitas ruins, levou à fome e à morte de milhões. A política de 'Grande Salto para a Frente' foi abandonada e a posição do Presidente Mao foi enfraquecida.

Fatos de Mao Zedong - 28: 1962: A divisão final entre a União Soviética e a China ocorreu quando o presidente Mao criticou o presidente Khrushchev por recuar na crise dos mísseis cubanos. Khrushchev respondeu declarando que as políticas do presidente Mao levariam a uma guerra nuclear.

Fatos de Mao Zedong - 29: 16 de outubro de 1964: a China testa sua primeira arma nuclear em Lop Nur, um antigo lago de sal na China.

Fatos de Mao Zedong - 30: 1966-1976: O presidente Mao lidera a & quotGrande Revolução Cultural Proletária & quot para limpar a China de elementos "impuros" e renovar o espírito da Revolução Chinesa. Ele fechou escolas na China e encorajou os Guardas Vermelhos a atacar todos os valores tradicionais. A Revolução Cultural

Fatos de Mao Zedong - 31: 1966: O Pequeno Livro Vermelho foi publicado pela primeira vez pelo governo chinês durante a Revolução Cultural. O Pequeno Livro Vermelho, também conhecido como As Citações de Mao Zedong consiste em uma coleção de 427 citações de Mao Zedong sobre assuntos como Socialismo e Comunismo, patriotismo, disciplina e o papel das mulheres.

Fatos de Mao Zedong - 32: Não carregar, ler, conhecer o seu conteúdo e citar o Pequeno Livro Vermelho teria sido visto como um sinal de divergência dos ensinamentos do Maoísmo, levando à opressão ou mesmo à morte.

Fatos de Mao Zedong - 33: O Pequeno Livro Vermelho foi uma forma de propaganda de sucesso para Mao Tsé-tung, assim como o "culto da personalidade" que garantiu que sua foto estivesse em toda a China.

Fatos de Mao Zedong - 34: 1969: A divisão entre a União Soviética e a República Popular da China se transforma em combates nas fronteiras sino-soviéticas, resultando na ameaça de um ataque nuclear soviético contra a China.

Fatos de Mao Zedong - 35: 1971: Os EUA planejam fortalecer os laços com o governo chinês Henry Kissinger é enviado à China para um encontro secreto com o primeiro-ministro Zhou Enlai, abrindo caminho para um encontro com o presidente Nixon.

Fatos de Mao Zedong - 36: 1972: O presidente Nixon viaja para se reunir principalmente com o segundo em comando do presidente Mao, Zhou Enlai, devido ao declínio da saúde de Mao. O encontro foi uma parte importante da Guerra Fria quando a China começou a se aproximar dos Estados Unidos e se afastar da União Soviética .

Fatos de Mao Zedong - 37: 9 de setembro de 1976: Mao Zedong morre de mal de Parkinson aos 82 anos

Fatos e cronograma de Mao Zedong para crianças

Vídeo de Mao Zedong - Presidente Harry Truman
O artigo sobre Mao Zedong fornece uma linha do tempo, fatos detalhados e um resumo de um dos eventos importantes durante seu mandato presidencial. O vídeo de Harry Truman a seguir fornecerá a você fatos e datas importantes adicionais sobre os eventos políticos vividos pelo 33º presidente americano, cuja presidência durou de 12 de abril de 1945 a 20 de janeiro de 1953.

Presidente Mao Zedong - História dos EUA - Fatos - Presidente Mao Tse-tung - Biografia - Mao Zedong - Definição - Americano - EUA - EUA - Presidente Mao Zedong - América - Presidente Mao Tse-tung - Datas - Estados Unidos - Presidente Mao Zedong - Crianças - Crianças - Biografia - Escolas - Presidente Mao Tse-tung - Trabalho de casa - Importante - Fatos - Biografia - Chave - Principal - Presidente Mao Tse-tung - Principal - Biografia - História - Interessante - Mao Zedong - Biografia - Presidente Mao Zedong - Presidente Mao Tse-tung - Info - Biografia - Presidente Mao Zedong - História americana - Fatos - Histórico - Presidente Mao Tse-tung - Biografia - Presidente Mao Zedong


Assista o vídeo: 1960s China Cultural Revolution Propaganda, Beijing Rally at Night, Fireworks (Outubro 2022).

Video, Sitemap-Video, Sitemap-Videos