Novo

Pode-se justificar que uma contração econômica de 11,3% seja “a maior queda em mais de 300 anos”?

Pode-se justificar que uma contração econômica de 11,3% seja “a maior queda em mais de 300 anos”?


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Hoje, o chanceler do Reino Unido, Rishi Sunak, disse: "A previsão do OBR de que a economia vai se contrair este ano em 11,3%, a maior queda na produção em mais de 300 anos." Esta me parece ser uma afirmação muito forte. Em particular, comparar medidas modernas de desempenho econômico com aquelas usadas nos últimos 300 anos parece ter incerteza suficiente para impedir tal declaração de fato. Em particular, como se pode comparar o impacto da produtividade deste ano com o do ano sem verão, a perda do controle do Reino Unido sobre os EUA ou Índia ou outras pandemias, como a 3ª pandemia de cólera (que teve aproximadamente o dobro da taxa de mortalidade per capita de cobiçado no Reino Unido)?

Há alguma boa evidência de que não houve nenhum ano nos últimos 300 com uma queda na produção econômica maior do que 11,3%? Existe alguma evidência de que há um ano, mais de 300 anos atrás, ou de que nossos registros econômicos nos permitem fazer uma declaração precisa sobre os últimos 300 anos do que poderíamos dizer sobre os últimos 500?

Esta resposta responde "foi 1706 pior do que 2020" (a resposta é não sabemos, mas provavelmente não), mas não "nenhum outro ano foi pior do que 2020" nem "esta medida é / não é uma medida significativa do desempenho econômico real "


(isenção de responsabilidade: não sou economista, mas acho que entendi isso)

Duas perguntas: a afirmação está correta com base nos dados e quão plausíveis são essas estimativas?

As estimativas do PIB usadas aqui são publicadas pelo Banco da Inglaterra, como parte de seu conjunto de dados "milênio de dados macroeconômicos" (aqui). Você também pode obter uma versão semelhante (e um pouco mais utilizável) dos dados em MeasuringWorth; isso limita-o a um par de figuras-chave e oferece uma "série histórica" ​​(incluindo a Irlanda até 1920) que remonta a 1800 e uma "série consistente" (com base nas fronteiras atuais) que remonta a 1700. Eles oferecem dados (valores da época) e dados reais (ajustados a preços modernos). O Tesouro e o Banco da Inglaterra parecem estar usando dados reais para suas comparações.

Usando a "série consistente" do MW, podemos ver uma queda no PIB real de quase 10% ao ano em 1919-21 - uma pandemia, o fim de uma guerra, e uma crise econômica! - mais alguns anos dramaticamente ruins no início do século XVIII.

Isso sugeriria que uma queda de 11% seria de fato pior do que a queda de um único ano em 1919, 1920 ou 1921, embora não pior do que a queda sustentada dos três juntos. Antes disso, porém, parece o pior ano único desde o início do século XVIII.

Então sim, com base nos dados estimados, a afirmação está correta.

Mas como obtemos essas estimativas?

O apêndice na nota de orientação do Banco da Inglaterra e as notas sobre MeasuringWorth dividem as fontes como dados reais desde 1948, dados estimados de historiadores anteriores, em várias seções encaixadas.

Os dados de 1700-1830 são derivados deste estudo, que basicamente funciona agregando dados sobre o que a economia fez naqueles anos - quantos acres foram cultivados, quão grande foi a colheita, quão produtiva foi a indústria, quanto o governo gastou , etc. Embora não tenhamos contas nacionais da mesma forma que temos agora, em geral temos dados suficientes para fazer estimativas anuais como esta.

O apêndice do estudo é bastante interessante - ele descreve as várias estimativas existentes que eles se basearam e detalha quanto delas compunham as estimativas para cada ano. Por exemplo, temos uma estimativa de qual parcela da economia agrícola era pastoril versus cultivável, qual parcela da agricultura arável era composta por várias safras diferentes, quais eram os rendimentos e preços anuais de cada uma, e assim por diante.

Em seguida, todos foram comparados a um ano de referência (1841) e os valores foram calculados por comparação. Isso deu valores reais com base em 1841 valores reais. Os valores nominais foram então estimados, derivados das estimativas dos valores reais.

(Os números citados na outra resposta baseiam-se no PIB nominal, não real. Dado que as estimativas trabalharam o PIB real e se ajustaram a ele nominal, suspeito que seja uma medida mais significativa das mudanças ano após ano. Mas estou definitivamente não sou um especialista aqui, então aceite isso com uma pitada de sal.)

Pensar nisso como uma série de estimativas diferentes agrupadas também faz com que as flutuações maiores nos primeiros anos façam mais sentido. Uma parte maior da economia nacional era agrícola naqueles anos, portanto, uma quebra de safra em 1700 teria muito mais efeito sobre os números principais do que a mesma quebra de safra em 1900. Da mesma forma, isso ajuda a explicar por que vemos anos muito bons alternando com anos muito ruins - uma colheita abundante em um ano e uma colheita ruim no outro significa uma variação relativa muito grande. (Observe que 1704 e 1707 são os melhores anos na análise!) As coisas ficam mais consistentes ano após ano no século 19, onde a atividade industrial e comercial está começando a dominar e as diferenças de colheita anual não têm um efeito tão dramático sobre economia como um todo.

Então ... quão confiáveis ​​são todas essas estimativas? Acho que, de maneira geral, eles fazem sentido, tratados com um pouco de cautela saudável. Provavelmente não faz sentido falar sobre um ano tendo uma queda de 5% e outro uma queda de 5,3%, mas parece muito provável que eles podem nos dizer a diferença entre um ano ligeiramente ruim, com uma queda de 2%, e um muito ano ruim com uma queda de 8%, ou entre um ano moderadamente bom e outro moderadamente ruim. E olhando para os anos extremos, essas estimativas sugerem que nenhum ano na maior parte do século 18 ou em todo o século 19 foi tão ruim quanto 1706 ou 1709-10.

Acho que a magnitude muito substancial dessas quedas provavelmente supera as margens de erro sobre eles, e torna possível dizer que não houve nada parecido desde então, salvando talvez 1919-21. No entanto, nossas estimativas para 1919-21 são um pouco mais robustas do que as de dois séculos anteriores - temos dados melhores - então, se podemos ter certeza de que a queda em 2020 é pior do que qualquer um desses três anos, então é muito provavelmente também é pior do que qualquer coisa desde o início do século XVIII.

Claro, ainda há a questão em aberto sobre o PIB nominal versus real, como observado anteriormente, o que pode dar alguns anos mostrando quedas mais substanciais. Não estou confiante em responder qual delas é mais "correta", mas meu sentimento é que se o Banco da Inglaterra e o Tesouro usarem consistentemente as estimativas reais, essas são provavelmente as mais adequadas. Certamente eles parecem ser o contexto no qual a reivindicação está sendo feita.


Você deve tratar esses números com uma boa dose de ceticismo, pois eles se baseiam em estimativas, e não em registros sólidos. Os números usados ​​pela Sunak são consistentes com as estimativas fornecidas pelo BoE:

No entanto, se você olhar por exemplo aqui para as estimativas do PIB britânico anual (não levando em consideração as colônias), você verá, por exemplo, uma queda do PIB anual estimada em mais de 12% em 1802, 1816 (o ano sem verão) e 1826. (Eu apenas olhei para esse intervalo de tempo).

Editar 1. Para fins de integridade: O gráfico vinculado é de maio de 2020 (artigo da BBC aqui). As estimativas naquela época da contração anual do PIB no Reino Unido eram de 14%, o que teria sido maior do que as do início do século 19, não apenas de acordo com as estimativas do BoE, mas também com as estimativas do link de gastos públicos do Reino Unido acima. Os dados históricos no link aparentemente vêm de Fundação MeasuringWorth que parece ser dirigido por historiadores econômicos muito respeitados.

Editar 2. Aqui estão alguns números para o PIB 1815/1816 / (ano sem verão) e 1854/1855 (3ª pandemia de cólera), seguindo as tabelas de

British Economic Growth, 1270-1870, Stephen Broadberry, Bruce M. S. Campbell, Alexander Klein, Mark Overton, Bas van Leeuwen, Cambridge University Press, 2015. Pages 243-244.

Todos os números estão em preços de 1.700, em milhões de libras.

1815: PIB = 301,6, 1816: PIB = 285,8. A diminuição de 5,2%.

1854: PIB = 707,9, 1855: PIB = 691,9. A diminuição de 2,2%.


Assista o vídeo: Jimmy Swaggart Pode Deus condenar o homem ao inferno e justificar se? (Outubro 2022).

Video, Sitemap-Video, Sitemap-Videos